Poder

Justiça bloqueia R$ 362 mil da Center Med por transações financeiras “atípicas”

O juiz da 2ª Vara Cível de Bacabal, João Paulo Mello, determinou o bloqueio de R$362.255,36 mil da empresa Center Med Distribuidora, localizada em Bacabal.

A decisão foi dada após a Prefeitura de Bom Lugar entrar com uma Ação pedindo a indisponibilidade de bens da distribuidora por movimentações financeiras “atípicas e suspeitas”.

Segundo o documento, o Executivo afirmou que ao final da gestão anterior constatou-se a existência de transações suspeitas nas contas bancárias de Bom Lugar que envolvia a empresa bacabalense.

Após a posse da nova administração, foi verificado junto aos extratos bancários uma série de transferências de valores para a Center Med, as quais, em dois meses, somam a quantia de R$362.255,36 mil.

Os autos narram ainda que no hospital da cidade existe pouquíssimos medicamentos deixados pela gestão passada, mesmo a empresa tendo recebido uma quantia alta dos cofres da Prefeitura.

“Assevera que a falta de documentação alusiva à contratação da requerida, com a falta de medicamentos nos estoques do Município e o considerável volume de transferências feitas em curto prazo ‘representam fortes indícios de desvio de verbas'”, alegou a Prefeitura em seu pedido.

Para o juiz João Paulo Mello, os extratos bancários acostados aos autos mostram intenso volume de transferências de valores, inclusive mais de uma transferência no mesmo dia, nos meses de novembro e dezembro de 2020, e um desses beneficiados foi a Center Med.

Em razão disso, o magistrado determinou o bloqueio de bens da distribuidora, que tem como proprietário Ronni Roberte Mamede Bezerra.

Acesse a decisão aqui


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários