Poder

Conselheiros seguem voto de Edmar Cutrim no TCE contra Lauro da Enciza

Em Sessão Ordinária do Pleno, os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE) julgaram improcedente o pedido de medida cautelar da Enciza Engenharia, de propriedade do empresário José Lauro, contra a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra).

Em seu voto sobre o caso, o conselheiro Edmar Cutrim, foi incisivo ao apontar que a Enciza tem procurado manobras para ganhar, a todo custo, em um contrato de R$ 54 milhões com o Governo do Estado para executar obras na cidade de Paulino Neves.

“Essa é a primeira manifestação no Tribunal de Contas, com referência a esse processo. Na Vara da Fazenda, na 7ª Vara, ele entrou com uma ação anulatória. Essa ação anulatória, a juíza de uma liminar  nos termos seguintes, que eles não falam, nem eles nem o secretário da Sinfra: ela deu uma decisão liminar determinando a suspensão da licitação até o julgamento do mérito”, explicou o conselheiro.

Cutrim lembrou ainda que a Enciza conseguiu uma liminar sem validade durante o plantão do desembargador Luiz Gonzaga, do Tribunal de Justiça do Estado. Para ter validade, a limiar precisaria do referendo do pleno do TJ-MA por se tratar de matéria não cabível a plantão. Esse referendo não foi dado e três desembargadores pediram vista no processo.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários