Poder

Presidente do Sindjus diz que denúncia é fruto de inverdades

O presidente afastado do Sindicado dos Servidores da Justiça do Estado do Maranhão (SINDJUS/MA), Aníbal Lins – que é candidato a vereador de São Luís – emitiu nota esclarecendo a postagem deste blog titulada “Procurador abre investigação contra o presidente do SindJus

Para Aníbal, a denúncia é fruto de inverdades e tem caráter político em questão de finalidade única de atingir uma pessoa. Ele condenou a forma anônima da denúncia ao Ministério Público do Trabalho (MPT), que acusa sua gestão de irregularidades em quase R$ 2 milhões.

Anibal

NOTA ESCLARECIMENTO

Eu, Anibal da Silva Lins, presidente afastado do Sindicato dos Servidores da Justiça do Maranhão (Sindjus), em razão de matéria divulgada neste blog, vem a público exercer o seu direito de resposta e esclarecimento aos milhares de pais e mães de famílias, servidores do Judiciário maranhense, e a toda a sociedade.

Convém esclarecer inicialmente que pelo fato de estar afastado da Presidência para concorrer a uma vaga na Câmara de Vereadores de São Luís, caberá ao atual presidente se posicionar em relação ao Sindjus e apresentar as informações solicitadas eventualmente pelo Ministério Público do Trabalho.

Todavia, na qualidade de cidadão de bem, honrado e que não se esconde atrás de denúncias anônimas, coloco-me à disposição de qualquer autoridade pública para colaborar no esclarecimento dos fatos ora arrolados.

Nesse sentido, eu, ANIBAL DA SILVA LINS, esclareço que:

1. Cabe destacar inicialmente que a dita denúncia é fruto de inverdades, não devendo, portanto, sequer prosperar;

2. Preceitua a Constituição da República Federativa do Brasil que é livre a manifestação de pensamento, sendo vedado, expressamente proibido, o anonimato. A prática destoante desse dispositivo legal se configura em crime previsto no Código Penal Brasileiro;

3. O caráter político da denúncia em questão tem a finalidade única de atingir uma pessoa que, há 14 anos, tem se posto a serviço dos servidores do Poder Judiciário e que nunca teve quaisquer de suas contas ou ações reprovadas pela categoria, como também quer tal denúncia anônima desqualificar uma instituição sindical respeita nacionalmente, que representa com independência e combatividade mais de cinco mil servidores públicos em
todo o Maranhão;

4. Respeito esse portal de notícias, mas abomino o jornalismo parcial, que não atende às exigências éticas da profissão de ouvir as duas partes, sendo que em momento algum fui procurado para manifestar minha versão dos fatos. O posicionamento adotado neste portal corrobora para o fortalecimento de práticas escusas, constituindo-se como um espaço colocado a serviço de ataques a pessoas e instituições, em detrimento do bom jornalismo;

5. Consoante ao disposto no item anterior, destaco que na Apreciação Prévia do Ministério Público do Trabalho em nenhum momento houve menção de meu nome ou da expressão “presidente do sindicato”, restando comprovado o teor político da aludida divulgação;

6. Destaco que irei protocolar pedido no Ministério Público do Trabalho, bem como envidarei todos os esforços para identificar o autor interessado em tal denúncia maliciosa, haja vista que um mínimo de procedimento para a formalização do pedido de investigação, ainda que anônimo, foi realizado, podendo ser assim sua origem identificada;

7. Ratifico, ainda, que a prática da denuncia anônima não se coaduna com o atual estágio da democracia brasileira, sendo este um mero instrumento político utilizado por covardes para denegrir a imagem de pessoas honradas, que, nos mais de trinta anos de vida profissional, sempre dei a minha “cara a tapa”, assinando meu nome em toda e qualquer denúncia que fiz contra gestores públicos, no intuito de apuração e esclarecimento de situações que se apresentavam obscuras.

São Luís (MA), 02 de agosto de 2016
ANIBAL DA SILVA LINS


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários