Poder

O governo Flávio Dino: esperança X Alianças

Por Italo Gomes

Se a expectativa a nível nacional com o governo Dilma Rousseff em 2015 – por ser a continuidade do que de há mais atrasado na política – é a pior possível, pelas bandas do Maranhão, o clima é de renovação, e, porque não dizer, de esperança. Após um domínio de quase 50 anos da família Sarney, o “comunista” que promete dar um choque de capitalismo no Estado, Flávio Dino, assume o governo em 1º de janeiro do ano que se aproxima.

Se Roseana se vangloriava de ter elevado o PIB maranhense ao 16º lugar no Brasil, Dino, por sua vez, promete distribuir essa riqueza mais igualitariamente, no intuito de tirar o Estado do mais miserável IDH – Índice de Desenvolvimento Humano – do país, e elevar o PIB per capita (também na lanterna nacional). Aumentar o nível do saneamento básico, um de seus focos, já é um bom começo para melhorar a saúde do sofrido povo maranhense. Controlar o sistema prisional, simbolizado no caos de Pedrinhas, com conseqüente diminuição da violência urbana, já seria outra grande vitória.

O ponto fraco do futuro governador é justamente a aliança que seu partido, o PC do B, tem com o PT nacional. Se, por um lado, seu anti-sarneysismo foi o que lhe levou a assumir a liderança da oposição por tantos anos no Maranhão, sua constrangida defesa com unhas e dentes da presidente Dilma – o que parece ser feito muito por conta dessa aliança partidária -, deixa claro que a independência demonstrada até agora por Dino tem um limite.

Vale ressaltar também que nas prefeituras apoiadas pelo futuro governador maranhense, a exemplo da capital São Luís, seus aliados ainda não mostraram a que veio, mesmo depois de 2 anos no poder. Para piorar, a saúde de Caxias e a educação de Matões do Norte tiveram péssima repercussão nacional no programa CQC da Band, demonstrando que a tão propalada mudança ainda não chegou por lá.

A ideologia comunista de Flávio Dino e sua aproximação com o PTismo também o leva a ter idéias controversas de viés autoritário, como a regulação da mídia, que rima com falta de liberdade de expressão. Sem contar que algumas de suas promessas de campanha são programas de governo do PT, vários deles já vigentes no Estado – com exceção do 13º do Bolsa Família – haja vista o Mais Médicos Maranhense, o Água para Todos e o Minha Casa Meu Maranhão. Infelizmente, o ex-juiz federal ainda não apresentou nada que sinalize com uma revolução na educação, nem com a implantação de uma meritocracia nos órgãos públicos.

Ainda assim, é óbvio que Flávio Dino tem a inteligência e o discernimento necessários para entender que apenas a educação pode levar o Maranhão ao nível que ele deseja. Apesar de suas controversas alianças, já vimos que isso não influenciou na ótima montagem de seu secretariado, elogiada até por opositores do nível de Joaquim Haickel. É acreditando nisso que se supõe que ele tem tudo para não repetir os erros daqueles que ele tanto defende. Boa sorte, Maranhão!

Dr. Italo Gomes (OAB/MA 11.702-A) é Advogado em Bacabal-MA. Bacharel em Direito pela UNINOVAFAPI-PI e Pós-Graduando em Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho pela Escola Superior Verbo Jurídico-RS.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários