Poder

Ausência de secretário em audiência é criticada

O secretário municipal de Saúde, César Félix, não compareceu a audiência convocada para esta terça-feira, 19, pela Câmara Municipal de São Luís a fim de esclarecer as graves denúncias de que os médicos estariam dando início a pedidos de demissão dos seus cargos, por não mais suportarem trabalhar mediante precárias condições de trabalho, sem vínculo trabalhista e com salários atrasados. Vereadores se irritaram com ausência do auxiliar do prefeito Edivaldo Júnior (PTC).

A vereadora Rose Sales, líder do PCdoB na Câmara, considerou a ausência de Felix “injustificada e desrespeitosa”. Segundo ela, o secretário sequer enviou uma justificativa. O requerimento de audiência partiu da própria parlamentar comunista, e foi comunicado com a devida antecedência a todos os entes federativos envolvidos com o setor de saúde.

“É uma falta de respeito do Executivo municipal. Não considero ninguém da equipe da Prefeitura nesta audiência, pois quem deveria estar aqui era o prefeito ou o secretário, para discutir o caos em que a saúde de São Luís se encontra”, disparou.

O vereador Fábio Câmara (PMDB), líder da oposição na Casa, também protestou contra o que considerou uma falta de respeito ao povo de São Luís.

“Hoje [ontem] perdemos a oportunidade de discutir um assunto da mais alta relevância para o povo: a saúde pública em São Luís. O secretário mostra total desrespeito com esta Casa. Perdemos a oportunidade de interrogá-lo para sabermos como anda o Programa Saúde da Família; a atenção primária, que é uma parte de grande importância para o sistema, enfim, perdemos a oportunidade de perguntar ao secretário Cesar Felix que decisão ele irá tomar em relação aos médicos que pediram demissão em massa mediante precárias condições de trabalho e com salários atrasados?”, questiona.

Fábio Câmara lembrou que hoje não era para o sistema de saúde do município está passando por esse caos e lembrou a parceria que o governo do Estado propôs à Prefeitura para melhorar o setor.

“Ainda no final da gestão do prefeito João Castelo, de novembro para dezembro do ano de 2012, a situação no socorrão I era bastante ruim e o governo do Maranhão ofereceu a mão, não para um aliado político, não para um membro do grupo, não para apontar a ineficiência de um gestor público. Nada disso! O governo estadual, através do senhor secretário de saúde, deputado estadual Ricardo Murad, ofereceu a mão para ajudar ao povo da nossa cidade que sofria e clamava por socorro. Um socorro que o socorrão não estava em condições de dar. O governo pretendia seguir com a parceria, mas o prefeito Edivaldo Júnior recusou a proposta e hoje o povo vive esse caos na saúde do município”, declarou Câmara.

CONVOCAÇÃO É APROVADA

Em razão de não ter comparecido numa audiência pública que seria realizada pela Câmara, o secretário Municipal de Saúde, César Félix, que havia sido convidado passou para a condição de convocado a participar de uma próxima audiência. A decisão foi aprovada pelo plenário por unanimidade.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários