Poder

No governo do clã Sarney, Maranhão segue com queda no emprego

Há sete meses consecutivos, o Maranhão apresenta saldo negativo na geração de empregos formais, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. Enquanto no Brasil foram abertas 72 mil vagas só no mês de maio, o Maranhão, no mesmo mês, apresentou saldo negativo, com menos 1.836 empregos em todo o estado.

O número de demissões é maior que o número de contratações desde novembro do ano passado. Durante o seu discurso na tribuna da Assembleia, o líder da oposição Rubens Jr. afirmou que o estado anda na contramão do país e do Nordeste. “Só no mês de maio, a Bahia criou mais de 4 mil empregos formais, o Ceará e Piauí apresentam saldo positivo com mais de 2 mil empregos e a Paraíba encerrou o mês de maio com um saldo de mais de mil empregos formais”, disse Rubens.

Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), no último mês, o Maranhão foi o 5º pior estado do país na geração de emprego. Com quase 2 mil empregos a menos, só no mês de maio, o estado apresenta o 5º pior índice de novos empregos em todo o Brasil. “A promessa da governadora foi de criar 230 mil empregos em seu mandato. Infelizmente a realidade é outra. Este é um governo que demonstra, novamente, que não está preocupado com o cenário do nosso estado e muito menos preocupado em criar empregos para quem realmente precisa”, concluiu o parlamentar.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários