Poder

Ex-prefeito será julgado pela morte de secretário

Eles são acusados de serem os mandantes da morte do empresário Gilmar Luna Peixoto, ex-secretário do Meio Ambiente do município. O crime aconteceu em setembro de 2007.

Ex-prefeito de São Pedro da Água Branca

Ex-prefeito de São Pedro da Água Branca

O Tribunal do Júri, por meio da 2ª Vara Criminal, realiza nesta quinta-feira (20), no Fórum Henrique de La Roque, em Imperatriz, o julgamento do ex-prefeito do município de São Pedro da Água Branca, Ildezio Gonçalves de Oliveira, e a ex-primeira dama do município, Edilane Pereira do Nascimento.

Eles são acusados de serem os mandantes da morte do empresário Gilmar Luna Peixoto, ex-secretário do Meio Ambiente do município. O crime aconteceu em setembro de 2007.

Presidido pela juíza Suely de Oliveira Santos Feitosa, o julgamento seria realizado em abril, mas foi adiado para o dia 20 de junho, porque a delegada Nilmar da Gama, que investigou o caso, não pôde comparecer por motivos de doença.

Juca e Edilane chegaram a ser presos, após as investigações feitas pela delegada Nilmar da Gama apontarem que eles eram os mandantes do crime. Entretanto, passaram menos de 24 horas presos, pois tiveram o benefício de relaxamento de suas prisões, através de habeas corpus, e estão respondendo em liberdade.

Osmar Luna Peixoto foi assassinado com quatro tiros, por volta de 20 horas do dia 10 de setembro de 2007, quando colocava o carro na garagem de sua casa, localizada na Rua Iracema, bairro Nova Imperatriz.

Segundo informações de testemunhas, dois homens chegaram em um Fiat Uno e estacionaram o veículo próximo à casa onde o secretário estava. “Osmar Paixão”, como era mais conhecido, foi surpreendido quando apareceu na porta, sendo alvejado na cabeça e no pescoço. Os assassinos fugiram sem deixar pistas.

Osmar Luna Peixoto atuava no ramo de materiais de construção e era casado com a vereadora Noemi Antunes, presidente da Câmara Municipal de São Pedro d’Água Branca, na época.

O acusado de ter perpetrado o crime foi o Cabo da Polícia Militar Paulo Sena Aleixo, o Cabo Aleixo, que foi preso, julgado e absolvido.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários