Poder

São Luís já registrou dois óbitos por raiva humana em 2012

Dois óbitos por raiva humana foram registrados no município de São Luís este ano. A informação foi confirmada durante entrevista coletiva, realizada na tarde desta sexta-feira (20), na sede do Centro de Informação Estratégica de Vigilância em Saúde (CIEVS). A primeira morte foi atestada por meio de laudo do Instituto Pasteur, de São Paulo, nesta quinta-feira (19). Já o outro caso foi ratificado por meio de análise no laboratório da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), nesta sexta (20).

As vítimas foram Maria Gerlândia Marins, de 36 anos, moradora da Vila Embratel; e Luís Carlos Araújo Barbosa, de 23 anos, morador do Tibirizinho. De acordo com o secretário-adjunto de Estado de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Alberto Carneiro, há mais de 10 anos não se registrava casos de raiva humana em São Luís.

Até o momento, 17 casos ocorreram na Região Metropolitana de São Luís, sendo 1 em Paço do Lumiar, 3 em São José de Ribamar e 13 na capital. Em todo o ano de 2011, foram 52 casos nos três municípios – não houve registro em Raposa.

“É preciso responsabilidade dos gestores públicos para controlar os animais, principalmente, aqueles que apresentam doenças no sistema nervoso. Os animais sem dono devem ser retirados de circulação das ruas pelos Centros de Zoonoses municipais”, informou.

Também participaram da coletiva o chefe do Departamento de Controle de Zoonose, Salim Jorge Waquim Neto; o professor doutor da Universidade Federal do Maranhão (Uema) na área de doenças infecciosas, Hamilton Pereira dos Santos; o presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária e Zootecnia do Maranhão (CRMV-MA), Osvaldo Serra; o médico infectologista, consultor da Ses e pesquisador da FioCruz (BA), Jackson Costa; a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da Ses, Maria das Graças Lírio Leite; o diretor-geral da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged-MA), Fernando Mendonça Lima e a coordenadora Estadual do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, Jakeline Trinta Reis.

Alberto Carneiro reforçou, ainda, que o cidadão, ao observar animal com suspeita da doença também pode contribuir no combate à raiva ligando para o Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura de São Luís (98 3212-4816). Os centros dos municípios são responsáveis pela retirada dos animais soltos nas ruas. Após exames, se constatada a ausência do vírus, o animal ficará disponível para doação.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários