Poder

Maior parte da violência contra jornalistas parte de agentes públicos, diz Fenaj

Portal Imprensa

Nos seis primeiros meses deste ano, seis jornalistas foram assassinados no Brasil, número que representa todas a quantidade de mortes desses profissionais no ano de 2011, informou o site da Câmara dos Deputados.
Segundo a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), a violência contra os jornalistas não está relacionada apenas aos assassinatos, mas também às agressões físicas, ofensas e ameaças. Relatórios elaborados pela federação revelam que a maior parte da violência contra profissionais da imprensa parte de agentes públicos, principalmente políticos estaduais e municipais e policiais locais.

José Carlos Torves, representante da Fenaj, afirma que muitos dos crimes acontecem por causa da impunidade, já que os criminosos têm a sensação de que não serão punidos pelos seus atos. Torves está defendendo a aprovação de um projeto para a federalização dos crimes contra a atividade jornalística.

“Há uma situação já comprovada de que todos os crimes que ocorrem contra jornalistas no interior do Brasil acabam sendo engavetados. Por um conluio de várias autoridades políticas e policiais, os crimes nunca são esclarecidos. Então, com a federalização, nós acreditamos que vai sair desse controle paroquial e vai haver a apuração do caso pela Polícia Federal”, afirmou Torves.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários