Poder

Deputado denuncia contrato de R$ 6 mi com Duda Mendonça

O líder da Oposição na Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Tavares (PSB), denunciou, nesta segunda-feira (22), mais um episódio do que ele chamou de descaso e desrespeito do governo do Estado para com o povo maranhense.

Deputado Marcelo Tavares

Deputado Marcelo Tavares

De acordo com Tavares, a administração Roseana Sarney (PMDB), através das Secretarias de Estado da Comunicação e Saúde, contratou, ao valor de R$ 6 milhões, a empresa Mendonça Associados e Propaganda Ltda., de propriedade do publicitário Duda Mendonça, para executar serviços de propaganda e publicidade dos hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) que estão sendo inaugurados em várias cidades do Estado.

O parlamentar classificou o episódio, registrado no processo nº 1336/2011 e publicado no Diário Oficial do Estado da semana passada, como mais um caso de total desrespeito ao dinheiro público. “Para quem não se lembra, o Duda Mendonça foi o marqueteiro que fez a campanha de Roseana, em 2010. E agora, ele recebe um benefício desses vindo dos cofres públicos. Gostaria de fazer a seguinte pergunta: qual vantagem o povo maranhense recebe com uma iniciativa dessas? Respondo: nenhuma. Os únicos beneficiados são os órgãos de comunicação da empresa da governadora, que estão faturando alto com a divulgação de comerciais institucionais”, avaliou o líder da Oposição.

Marcelo Tavares questionou, ainda, o alto valor do contrato. Disse que R$ 6 milhões é dinheiro suficiente para construir e equipar quatro novas UPAs, de acordo com o padrão do Ministério da Saúde. No entanto, segundo o deputado, estes recursos, para o padrão do secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, servem para construir apenas uma Unidade de Pronto Atendimento.

O deputado encerrou o seu pronunciamento denunciando a situação de professores do município de Vargem Grande, que participam do programa ProJovem Urbano. Marcelo Tavares informou que, recentemente, foi procurado por estes docentes que garantiram estar a sete meses sem receber salários.

“O programa é federal mais foi o governo do Estado que contratou a Fundação que geri o ProJovem e não paga ninguém. É outro exemplo de que esta administração é totalmente descompromissada”, finalizou.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários