Poder

MPF denuncia 22 pessoas por fraudes descobertas na ''Operação Rapina I''

Do imirante
O Ministério Público Federal (MPF) no Maranhão denunciou à Justiça Federal 22 pessoas acusadas de fraude de recursos públicos, entre elas o ex-prefeito de São Luís Gonzaga, Luiz Gonzaga Fortes Filho, o contabilista e empresário Waldely Leite de Moraes e o seu filho Luciano Rabelo de Moraes, sócios das empresas Escritório de Planejamento Municipal Ltda. (Eplam) e Escritório de Consultoria e Planejamento Municipal Ltda. (Ecoplam). Todos os envolvidos foram presos pela Polícia Federal (PF), na Operação Rapina I, em dezembro de 2007.

Os 22 denunciados pelo Procurador da República Marcílio Medeiros têm envolvimento com uma série de desvios de recursos públicos na Prefeitura de São Luís Gonzaga, pois o inquérito que envolve essas pessoas foi desmembrado. O MPF ofereceu o benefício da delação premiada, com a redução da pena do delator.

A CGU individualizou as evidências correspondentes ao período de 2005 a 2007, ressaltando que não lhes fora apresentado, pela Prefeitura, nenhum documento relativo aos exercícios de 2005 e 2006, sob a justificativa de que um incêndio no prédio-sede, ocorrido em 11 de dezembro de 2006, teria inutilizado todos os seus arquivos, inclusive os correspondentes aos dois exercícios indicados.

Segundo a denúncia do Procurador da República Marcílio Medeiros, “após a liberação dos recursos públicos ao Município assessorado, a rotina era de que o dinheiro fosse sacado pelos gestores municipais ou seus subordinados diretamente “na boca do caixa”. Às empresas Eplam/Ecoplam, cabia assegurar a aparência de legalidade à utilização das verbas desviadas.

Os 22 denunciados pelo MPF

Luiz Gonzaga Muniz Fortes Filho – ex-prefeito de São Luís Gonzaga

Waldely Leite de Moraes – administrador

Luciano Rabelo de Moraes – contador

José de Ribamar Romão Borges – contador

Josias Luis Monção – técnico em contabilidade

Priscila Maria Godinho Lobato – contadora

Nilton de Souza Jerônimo – servidor público

José de Ribamar Romão Borges – contador

Pedro Luiz de Jesus Borges Júnior – servidor público

Josias Luis Monção – técnico em contabilidade

Francisco dos Santos Conceição – servidor público

Eliene Pereira Lisboa – servidora pública

Flávio da Silva Santos – servidor público

Antônio Costa – empresário

Érika Camilla de Oliveira Raposo – empresária

Silvia da Assunção Cruz – empresária

Celso Rodrigues da Silva – autônomo

Laurindo Sebastião Lima Silva

Valmir Neves Filho –

Francisco Paulo Ferreira Veras – empresário

Jackson Lindoso da Silva – empresário


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

2 comentários em “MPF denuncia 22 pessoas por fraudes descobertas na ''Operação Rapina I''”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Ana Torres Pedrosa

    Lamentavel ver que o crime da chantagem, do qual sobrevive o imoral do teu pai, jå é o teu meio de vida. Vc herdou, nada mais. é a løgica da puta, vida fåcil, independentemente da rePUTAçåo. mAs saiba que o secretårio Aluisio é dos que nåo se dobram. Olhe pelas pedrinhas e verås que as fotos foram tiradas pela moça no mesmo lugar. Imbecil. Procure um meio de vida mais digno, se é que vc tem mais vergonha na cara que o seu pai vagabundo e desmoralizado. Uma pena.

    Resposta

    Caro amiga leitora,

    AS sas ofensas não caracteriza nada. Se realmente vocetivesse atenta teria confirmaão do proprietariod o estudio, ele confirmando AS FOTOS.

  2. Italo

    É meus amigos vamos ver se esse rapaz, vai desenrolar essa bronca tbm, mais essa é pouca. La tem umas coisas ainda piores tipo uns cara vindo fazer treinamentos em helicopteros e avioes da secretaria por conta dos cofres publicos e ainda querem ser certinho denunciando colegar de profissao te liga que aqui é M aranhão e nao é lugar de boiola nao… É SO INVESTIGAR QUE SAI MAIS COISA VAMOS FICAR DE OLHO E DAR A RESPOSTA NAS URNAS…

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários