Judiciário

Tribunal de Justiça contesta que assassino de Décio Sá tenha sido absolvido por Tráfico de Drogas

Jhonatan de Sousa Silva está preso no presídio em Minas Gerais

Jhonatan de Sousa Silva está preso no presídio em Minas Gerais

Por meio da Assessoria de comunicação da Corregedoria (AsscomCGJ), o Tribunal de Justiça do Maranhão divulgou nota sobre a absolvição de Jhonatan de Sousa Silva em relação ao crime de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

Segundo o Tribunal de Justiça, o processo continua tramitando normalmente na 2ª vara Criminal de São José de Ribamar e uma audiência está marcada para o próximo dia 11 de agosto de 2015, com todas as providências já sendo tomadas para que a mesma aconteça.

A nota destaca que “a confusão ocorreu após leitura equivocada de um alvará de soltura, datado de 03 de março, já tendo decorrido, portanto, mais de quatro meses. No documento, o juiz da 2ª Vara Criminal atendeu ao pedido formulado pelo defensor público do caso e determinou a soltura de Jhonathan de Souza Silva somente na seguinte condição: ‘se por outro motivo não estiver preso’. O que significa que o acusado somente seria colocado em liberdade se não estivesse encarcerado pelo cometimento de outro crime.”

Jhonatan cumpre pena no presídio federal de Campo Grande/MS após ser condenado por confessar o assassinato do jornalista Décio Sá em 2012.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Tribunal de Justiça contesta que assassino de Décio Sá tenha sido absolvido por Tráfico de Drogas”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. EDMILSON MOURA

    Esse cara tem é que está é na cadeia, veja tem frieza e crueldade. Jhonatan de Sousa Silva, pai de dois filhos, religioso e pistoleiro de aluguel, diz que não tem remorso nem prazer em matar: “Não sinto absolutamente nada. É só um trabalho.

    A morte de Décio Sá, a frieza e crueldade de Jhonatan de Sousa Silva o jornalista maranhense Décio Sá foi morto com cinco tiros, enquanto jantava em um restaurante da movimentada Avenida Litorânea, em São Luís. O assassino não disse uma única palavra antes de atirar. Com frieza incomum, entrou no restaurante, aproximou-se e disparou três vezes em direção à cabeça do jornalista. Depois, mais duas vezes em seu tórax, quando ele já estava no chão, provavelmente sem vida. Tudo aconteceu em menos de vinte segundos. Sem esconder o rosto, o homem caminhou tranquilamente rumo à saída, sentou na garupa de uma moto que o aguardava do lado de fora e se foi.

    O assassino, Jhonatan de Sousa Silva. Matador profissional, começou nesse ramo ainda na adolescência e já acumula 49 mortes no currículo, pelo cálculo da polícia. Não se arrepende de nenhuma delas. “Ninguém morre de graça”, justifica.

    Descrito pelas autoridades do Estado como um predador frio, um verdadeiro psicopata, Jhonatan não sente remorso nem prazer em matar. Para ele, é um trabalho como outro qualquer. Já matou traficantes, brigões de bar, agiotas, sem-terra, mulheres e pelo menos uma criança.

    Não é de recusar “serviço”, como sempre se refere aos assassinatos. Por eles, já recebeu quantias entre 5 000 e 100 000 reais. E também já matou por camaradagem, atendendo ao pedido de um amigo. Quando foi preso, Jhonatan trabalhava para uma quadrilha de agiotas. O jornalista era parte de uma empreitada de oito “encomendas”. Ele nunca se preocupou em cobrir o rosto ou matar suas vítimas em locais isolados.

    Esse assassino tem que está é preso e em segurança máxima.

    Edmilson Moura.
    Blog REBELDE SOLITÁRIO.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários