Artigo

Parceria de mau exemplo

Por Abdon Marinho

Abdon Marinho.

Abdon Marinho.

As propaladas parcerias entre o governo do estado e a prefeitura de São Luís, ao que me parece, ainda não avançaram muita coisa, pelo menos com o nome de “parceria” vi muita coisas para uma cidade que tanto necessita.

O que avança mesmo é a parceria do mau exemplo. Acabo de ver dois comerciais na TV, em horário nobre, um do governo do estado, outro do governo municipal. Os dois encangadinhos, como elefantes de circo, tromba no rabo do outro, como se fossem parte do mesmo riscado e “script”.

E, verdade seja dita, numa coisa são: No ufanismo despropositado que vende o que não oferecem. Sempre me perguntei porque razão se investe mais em propaganda do que em ações efetivas que minore o sofrimento do povo. Porque será? Sei que dirão, é através da propaganda que “se resolve” muitos dos problemas das campanhas passadas e das futuras, é através dela, como não se tem como aferir, de fato o valor, que presta as “ajudas” do obus político, etc, etc., e é também com ela que que se mantém a população anestesiada com um suposto benefício que nunca chega.

Mas me digam, que sentido tem o governo do estado festejar a segurança pública no mesmo dia em que novembro fechou com quase 900 mortos, acumulados de janeiro até aqui? Que sentido tem a prefeitura falar nos hospitais em reforma quando o clima de guerra impera nos dois socorrões da cidade? Quando uma criança nos corta o coração ao ficar sem atendimento por dois, três dias numa maca, no corredor do hospital, sem que ninguém se dignasse a olhar para ela e oferecer um diagnóstico?

Qual o sentido o governo mostrar um comercial sobre educação, quando pesquisas e estatísticas mostram de forma inquestionável que estamos na rabeira da rabeira da educação e que os nossos jovens sabem menos que os jovens de nações marcadas pela miséria, guerras civis e outros infortúnios?

Qual o sentido da prefeitura mostrar a cidade como um canteiro de obras quando nos deparamos com os mesmos problemas que já eram presentes no governo passado, inclusive no que diz respeito a qualidade? Outro dia vi um melhoramento na Avenida dos holandeses, na altura do posto pereira, acesso da Vila Luizão, a empresa encarregada colocava o asfalto nos buracos chios de água, como se diz, n “rebolo”. Resultado: A mesma buraqueira que existia há quinze dias permanece lá, infernizando a vida de todos.

Este é um quesito que o município aprende direitinho o exemplo do estado. Parceria de resultados.

Qual o sentido do governo estadual dizer que o Maranhão cresceu uma fábula quando os indicadores sociais mostram que a renda dos nossos cidadãos ainda é inferior aos níveis africanos?

Os exemplos de desatinos seguem cada vez mais eloquentes a cada comercial, passaríamos horas e horas debatendo cada um.

Em todo caso tem um da prefeitura, num rasco de desbragada sinceridade que depõe contra o próprio objeto da propaganda, mostrar uma administração operosa, competente, etc., é quando diz que a prefeitura está há um ano arrumando a casa. Vamos combinar, um ano é tempo demais para arrumar a casa.

Quando vejo os governos dizerem melhoramos isso, melhoramos aquilo, e eu não duvido que melhoras tenha ocorrido, mas sei que só melhoramos onde não havia espaço para piorar.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários