Judiciário

Justiça determina sequestro de bens do ex-prefeito de Pinheiro

O juiz da Comarca de Pinheiro, Anderson Sobral de Azevedo, determinou, através de medida liminar, o sequestro de bens do ex-prefeito de Pinheiro, José Arlindo Sousa [PSB]; do ex-secretário de Educação do município, José Ribamar Ribeiro Dias; do ex-gestor do Fundeb e compadre do ex-prefeito, Cezar Ronald de Jesus Salomão, e da empresa M de Jesus Ribeiro – ME.

A decisão, em caráter de liminar, resulta de Ação Cautelar de Sequestro ajuizada pelo município de Pinheiro contra o ex-gestor e aliados. Na decisão, Azevedo determina que seja efetuado o bloqueio, via penhora on line, da soma de R$ 375 mil reais do patrimônio individual de cada um e da empresa.

A Ação tramita na Comarca de Pinheiro desde o início do ano. Tem como base denúncia dando conta de transferência bancária, via Banco do Brasil, autorizada pelo ex-prefeito Zé Arlindo no dia 31 de dezembro de 2012, em favor da empresa M de Jesus Ribeiro, no valor de R$ 375 mil reais.

Detectada no incho deste ano, a transferência foi concretizada com o uso de senhas das contas do Município e do Fundeb pelo ex-secretário de Educação, Ribamar Dias, conhecido como Ribinha, e por Cezar Ronald.

A transferência, conforme dados da Ação Cautelar, teria sido feita à empresa M de Jesus Ribeiro para a cobertura de supostos serviços gráficos [impressos e outros]. Porém, depoimentos de servidores da Educação, colhidos pela Justiça, atestam que o referido material nunca chegou a ser entregue.

Dentre as provas constantes no processo, as mais fortes são os depoimentos prestados pelas servidoras Joycemara Correa Silva [coordenadora do Setor de Despesas e Patrimônio da secretaria de Educação], Raimunda de Araújo Furtado [responsável pelo almoxarifado] e pela atual secretária de Educação da Prefeitura de Pinheiro, Socorro Lima.

As três disseram desconhecer a existência no almoxarifado dos itens constantes na Nota Fiscal 0731, emitida pela empresa M de Jesus Ribeiro, datada de 28/12/12. Além disso, Joycemara Silva não reconheceu como sua assinatura aposta na Solicitação de Empenho Prévio n° 6433/12, constante no processo de pagamento da suposta despesa.

Ainda segundo o depoimento das servidoras, a partir de agosto de 2012, até o final do mandato de Zé Arlindo, material gráfico de nenhuma espécie deu entrada no almoxarifado da Educação. Alegaram, ainda, que o espaço físico do almoxarifado era insuficiente para receber a quantidade de impressos enumerada na nota.

Suspeita-se, que o verdadeiro motivo da transferência seriam pagamentos pendentes da campanha do ex-prefeito, que concorreu à reeleição em 2012, ou para uso pessoal dos réus e do grupo político liderado por Arlindo, utilizando-se da empresa como “laranja”.

Lembrando que o secretário Ribinha Dias foi alvo de notícias pouco abonadoras no início do ano. Em ação empreendida pela Justiça, foi apreendido na ocasião, em imóvel de propriedade do ex-secretário, vasto acervo documental da Prefeitura, processos de licitação inconclusos, notas fiscais, prestações de contas, dentre outros, referentes à administração de Zé Arlindo. O acervo vinha sendo manuseado por aliados do ex-prefeito, possivelmente com o objetivo de maquiar as contas do município e promover “limpeza de arquivos”.

Com base no sequestro dos bens, a Procuradoria do Município de Pinheiro já deu entrada em Ação de Improbidade Administrativa contra o ex-prefeito Zé Arlindo. Caso condenado, o ex-gestor pode engrossar o rol dos inelegíveis.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Zé Arlindo deixa médicos com salários atrasados em Pinheiro

Zé Arlindo deixou a prefeitura sucateada.

Zé Arlindo deixou a prefeitura sucateada.

Parte significativa dos servidores públicos de Pinheiro estão pê da vida com o ex-prefeito Zé Arlindo. Isso, porque, ele deixou a gestão sem pagar os profissionais da saúde sem receber o pagamento dos salários referentes ao mês de dezembro e também do 13º salário.

Os demais servidores, a exemplos dos setores de saúde, administração e obras, registram atrasos também de salários e pagamento do 13º. “Não recebemos o mês de novembro, dezembro e nem o décimo terceiro. Não aguentamos os atrasos, é preciso respeitar os funcionários”, reclamou um servidor da saúde ao Blog do Neto Ferreira.

Zé Arlindo não foi reeleito nas últimas eleições municipais, perdendo para o seu desafeto, o peemedebista Filuca Mendes. Apesar da vitória no pleito, a gestão de Mendes continua castigando os servidores com salários em atraso.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

‘Ditadura’ de Filuca Mendes é impedida em Pinheiro

Eleito pela coligação ‘O trabalho está de volta’, com 19.885 votos válidos (50,10%), o prefeito Filadelfo Mendes Neto, o Filuca Mendes (PMDB), pai do secretário de Meio Ambiente, deputado licenciado Victor Mendes (PV), teve sua primeira derrota na justiça à frente da Prefeitura de Pinheiro.

O ditador Filuca Mendes.

O ditador Filuca Mendes.

Após ameaçar de forma estúpida pobres moradores daquela cidade, com decreto de reintegração de posse em áreas que foram doadas na gestão do ex-prefeito Zé Arlindo, o juiz Anderson Sobral de Azevedo, proferiu liminar suspendendo efeitos ordenados por Mendes, que autorizava ‘demolição’ de casas construídas.

De acordo com o documento expedido pelo juiz da Vara de Pinheiro, a prefeitura poderá ser multada diariamente no valor de R$ 1 mil reais caso descumpra a decisão.

A medida tomada pelo juiz foi considerada depois que o Ministério Público Estadual, ajuizou Ação Cautelar contra a tentativa devastadora de Filuca Mendes.

As áreas da zona urbana de Pinheiro que seriam atingidas pela derrubada de prefeito são elas: Residencial Zé Arlindo, Juçareiras e Cidades das Águas.

Não é a primeira vez que Filuca Mendes é alvo de denúncias pela sua postura arrogante e prepotente. Em 2006, Mendes foi denunciado à Justiça por crime de racismo após chamar de “preto nojento”, o radialista conhecido por Pipoca.

O ato torpe e deplorável do prefeito ocorreu quando o radialista foi informado de que boca de urna estava sendo feita em uma Escola de Pinheiro.

Ao se dirigir ao locão, pipoca autorizou que o cinegrafista filmasse a discussão entre Marize Mendes (irmã de Filuca) e delegados da coligação de governador falecido Jackson Lago. Foi aí que Filuca Mendes chegou ao local agredindo fisicamente e verbalmente o radialista.

E dessa foram, o peemedebista e aliado da governadora Roseana, mostra o seu lado Adolf Hitler de ser à frente da Prefeitura de Pinheiro.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.