Poder

Vaqueiros fazem protesto em São Luís após STF proibir atividade

vaquejada_jngkrll

Uma manifestação de vaqueiros do Maranhão foi realizada na manhã desta terça-feira (11), em frente à sede da Assembleia Legislativa do Maranhão, na Avenida Jerônimo de Albuquerque, no Cohafuma, em São Luís. A reclamação foi por conta da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que definiu a vaquejada como crime ambiental, inviabilizando a prática do esporte centenário com destaque no Nordeste. Protestos semelhantes e no mesmo horário foram registrados em outros estados.

O ato público foi para pressionar os parlamentares maranhenses a se manifestarem nesta discussão. O pedido é bem simples: que a vaquejada seja legalizada.

“Na nossa opinião, a vaquejada não foi analisada como deveria. Ela tem que ser vista como uma tradição nordestina, uma grande festa. A vaquejada ela gera emprego e tem famílias que sobrevivem desta festa há mais de 100 anos”, declarou Moacir Neto, um dos vaqueiros na manifestação desta manhã.

A ação do STF decorreu de uma lei cearense, que regulamentava a modalidade. A votação foi apertada e por 6 a 5, os ministros decidiram que o movimento nordestino tradicional era inconstitucional.

Os argumentos contrários ao STF pregam, principalmente, que além de tradicional, os eventos de vaquejada movimentam muito dinheiro com a geração de emprego e renda durante todo o ano. Dizem também que os animais são sofrem maus-tratos.

“Os animais que fazem parte da vaquejada são tratados com insumos agrícolas produzidos pela população do campo. Os cavalos são bem tratados e as pessoas que cuidam desses animais dependem da vaquejada. É inconcebível que você retire o emprego das pessoas. A partir do impedimento desse esporte, as pessoas vão passar necessidade já na próxima semana. Aqui no estado, mais de 700 empregos serão perdidos”, disse.

Contra a vaquejada votaram, além do relator da ação, Marco Aurélio, os ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Celso de Mello, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski. Os cinco votos favoráveis foram de Edson Fachin, Gilmar Mendes, Teori Zavascki, Luiz Fux e Dias Toffoli. O julgamento começou em agosto de 2015 e teve desfecho no início do mês de outubro de 2016.

Do G1


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Apoiadores da vaquejada protestam contra a proibição da atividade, em São Luís

Nesta terça-feira (11), vai acontecer uma grande caminhada em São Luís contra a decisão do Superior Tribunal Federal (STF), que decretou o fim das vaquejadas em todo o Brasil. O evento está marcado para às 9h.

A organização do movimento informou que a passeata sairá do bairro do Altos do Calhau e irá para a Assembleia Legislativa do Maranhão. O protesto acontecerá em todo o Nordeste.

E no dia 25, os integrantes do grupo irão até Brasília protesta contra a decisão da Corte Superior de proibir a atividade.

img-20161010-wa0023


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.