Poder

Terremoto causa estragos em casas de Belágua, no Maranhão

belagua-2-768x1024

Belágua foi uma das cidades mais atingidas pelo abalo sísmico de 4.7 de magnitude registrado pelo Centro de Sismologia da USP no Maranhão.

Na imagem abaixo, é possível ver rachaduras em uma casa provocadas pelo tremor de terra.

O Centro de Sismologia da USP atualizou o seu sistema e registrou o epicentro do terremoto em Vargem Grande, seguindo o Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UNB).

terremoto3


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Terremoto na costa do Chile pode ter causado tremor de terra no Maranhão

img-20170103-wa0033

As causas do terremoto que atingiu o Maranhão nesta terça-­feira (3) ainda não foram totalmente explicadas. Mas, segundo o geólogo Sebastião Correia, uma das possíveis causas do tremor no Estado foi um terremoto registrado no Chile, de magnitude 8.4, que foi muito forte e de grande profundidade.

“Isso se deve a acomodação de algumas formações tectônicas e acaba tendo reflexos na superfície onde se caracterizam os tremores de terra. Esse abalo tem extensões laterais muito grande que vão se refletindo em várias partes do globo terrestre. Às vezes eles são sentidos em intensidade maior em regiões não tão próximas ao terremoto inicial”, explicou o geólogo.

Quem também falou sobre o tremor no Estado foi o pesquisador da Universidade de Brasília (UNB), Marcelo Peres Rocha, o qual afirmou que o Observatório Sismológico da UNB detectou um terremoto com registros muitos claros, sendo que a localização do epicentro estava ao norte da cidade de Vargem Grande no Estado do Maranhão, tendo a magnitude preliminar de 4.7 na escala Richter, o que é alto para os padrões do Brasil.

“Para os padrões brasileiros ela não é uma magnitude muito comum. No Brasil, a média é de 3 ou 3,5. Por isso, constatamos que foi um tremor grande e, como não está longe da capital São Luís , é provável que muita gente tenha, de fato, sentindo os tremores”, explicou Marcelo Peres.

1483455019-331366111

Ainda de acordo com o pesquisador, provavelmente o terremoto foi causado por um “falhamento” geológico da região. “Essas falhas existem em vários locais, e, uma falha dessas que estava sob compressão, sofrendo esforços na região, e a energia desses esforços são liberados em alguma falha nova ou antiga.

No entanto, essa informação não temos como confirmar no momento, são apenas suposições”, destacou o pesquisador. Marcelo Peres explicou, também, que normalmente esses terremotos são o que se chama de réplica, pois são tremores posteriores a um terremoto maior.

Mas, as réplicas são de magnitude bem menor. “Aqui no Brasil, é mais comum que a energia que foi acumulada e que gerou o terremoto seja praticamente quase toda liberada no primeiro evento que é maior. A gente tem vários terremotos no Brasil, mas de magnitude bem menor, que muitas vezes não são nem sentidos. Já este é atípico para os padrões brasileiros, mas vale lembrar que já tivemos terremotos grandes de 5 a 6 e magnitude”, finalizou.

De O Estado do Maranhão


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

USP e UNB divergem sobre terremoto no Maranhão

img-20170103-wa0040

O terremoto, que foi registrado no Maranhão, por volta das 9h45 da manhã desta terça-feira (3), ainda está causando
muita confusão.

O Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UNB) registrou o epicentro do abalo sísmico no município de Vargem Grande com magnitude de 4.7 na escala Richter. Já o Centro de Sismologia da USP mostra que o epicentro foi na cidade de Belágua com magnitude de 4.6, como pode ser visto abaixo.

Essa divergência tem causado desencontro de informações nos meios de comunicação do Maranhão.

O terremoto causou desespero entre os moradores de São Luís e de várias cidades do interior do Estado. Na capital maranhense, diversos prédios foram evacuados nos bairros do Calhau, Renascença, Centro, Ponta do Farol, Angelim, Recanto dos Vinhais, Cohama.

Os moradores dos municípios de Nina Rodrigues, Itapecuru, Vargem Grande, Timon, Axixá e São Benedito do Rio Preto, Urbano Santos e, Belágua, registraram os tremores.

terremoto

Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UNB)

terremoto1

Centro de Sismologia da USP.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Vídeo: tremor de terra causa pânico em moradores de São Luís

semed-1024x576

O abalo sísmico ocorrido na manhã desta terça-feira (3) causou pânico em todos os moradores de São Luís.

As imagens abaixo mostram um grupo de pessoas que deixa um prédio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), no bairro do São Francisco, após o tremor, que aconteceu por volta das 9h45.

“Nosso prédio, que a gente trabalha, tá balançando. Todo mundo saindo, olha o desespero”, relata a mulher que fez a filmagem.

O abalo sísmico foi sentido em várias cidades do interior do estado, inclusive em São Luís. Na capital maranhense, diverso prédios foram evacuados nos bairros do Calhau, Renascença, Centro, Ponta do Farol, Angelim, Recanto dos Vinhais, Cohama.

Os moradores dos municípios de Nina Rodrigues, Itapecuru, Vargem Grande, Timon, Axixá e São Benedito do Rio Preto, Urbano Santos e, Belágua, registraram os tremores.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

São Luís poderá ser atingida por novos tremores, diz professor da UEMA

img-20170103-wa0041

O professor de geografia física da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Luis Jorge Dias, fez um alerta sobre futuros tremores de terra no Maranhão, em especial em São Luís.

Na manhã desta terça-feira (03), o Estado foi surpreendido por um forte abalo sísmico de 4,6 graus na escala Richter. O epicentro do terremoto foi registrado em Belágua.

Segundo o professor, o que aconteceu em São Luís foi um tremor de acomodação, ou seja, as rochas estão saturadas do peso que elas suportam do solo para baixo. E isso é muito comum em áreas sedimentadas, como é no Maranhão.

Luis Jorge afirmou, ainda, que a maior parte da zona costeira maranhense tem falhas geológicas, por isso os abalos foram sentidos pelos moradores.

O professor de geografia física alertou, também, que poderá ter novos abalos secundários em decorrência do abaixamento da superfície. Isso deverá acontecer nos próximos dias. “Nós temos que ficar em alerta. É bom e interessante, inclusive, que as autoridades competentes, a exemplo do CREA, Defesa Civil, comecem a observar o que está acontecendo em determinados prédios, sobretudo em construção para ver se não comprometeu a questão mesmo das vigas, pilastras, de toda a sua estrutura, e aqueles que já estejam construídos, é interessante verificar o que foi afetado.”, destacou Luis Jorge.

Ouça o áudio na íntegra:


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Epicentro de terremoto que atingiu o Maranhão foi registrado em Belágua

img-20170103-wa0039

O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) confirmou que o epicentro do terremoto de 4,6 graus que atingiu o Maranhão foi registrado na cidade de Belágua.

O abalo sísmico foi sentido em várias cidades do interior do estado, inclusive em São Luís. Na capital maranhense, diversos prédios foram evacuados nos bairros do Calhau, Renascença, Centro, Ponta do Farol, Angelim, Recanto dos Vinhais, Cohama.

Os moradores dos municípios de Nina Rodrigues, Itapecuru, Vargem Grande, Timon, Axixá e São Benedito do Rio Preto, Urbano Santos e, Belágua, registraram os tremores.

img-20170103-wa0033

img-20170103-wa0040

img-20170103-wa0041


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Edíficio é evacuado na Ponta do Farol após abalo sísmico

img-20170103-wa0033

O Maranhão sofreu na manhã desta terça‐feira um abalo sísmico de 4,6 graus, confirmados pelo Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP). O epicentro foi registrado em Belágua às 9h45.

Relatos de tremor de terra foram sentidos em São Luís, na região dos bairros do Calhau, Cohama e Renascença.

Na ocasião evacuaram dois prédios, sendo um deles o Biadene Comercial, onde fica o restaurante Giraffas, localizado na Ponta do Farol.

No Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão todos os funcionários evacuaram o prédio. Funcionários e contribuintes que estavam na Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) também saíram às pressas do edifício.

Moradores dos municípios de Nina Rodrigues, Itapecuru, Vargem Grande, Timon, Axixá e São Benedito do Rio Preto, Urbano Santos e Belagua também sentiram os tremores.

Na capital do Piauí, Teresina, a terra também tremeu.

img-20170103-wa0030


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.