Cidade

Rodoviários ameaçam entrar em greve nesta terça-feira

1458848406-554531531

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão (Sttrema) anunciou nesta segunda­-feira (6) que poderá iniciar paralisação do setor de fretamento a partir das primeiras horas da terça-­feira (7). Categoria reivindica reajuste salarial de 15%, mas a contraproposta dos empresários, segundo a entidade, é de 6,5%. Com a greve, as viagens interestaduais e intermunicipais, na Rodoviária de São Luís, serão interrompidas.

De acordo com o sindicato, até a manhã de hoje não houve avanços nas negociações entre o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão e os empresários do setor de fretamento. Na Assembleia Geral realizada na sede da entidade na semana passada a categoria decidiu por cruzar os braços, caso as reivindicações feitas não fossem atendidas.

“Não iremos permitir que a classe tenha seus direitos desrespeitados. Não vamos mudar nossa postura, continuaremos firmes e se tivermos que cruzar os braços, essa será a medida adotada, decidida em Assembleia Geral e acatada por esta entidade”, afirmou Isaias Castelo Branco, presidente do Sttrema.

Uma reunião entre a categoria e os empresários deve ocorrer ainda hoje. Até o fim do dia, se um acordo não for firmado, será anunciada a paralisação do setor. “Esse é o prazo limite para que possamos sair com uma reposta positiva à categoria. Caso, mais uma vez, nenhum acordo seja fechado, os trabalhadores devem sim, deflagrar greve já a partir da zero hora desta terça-­feira”, disse o presidente da entidade.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Sindicato dos Rodoviários culpa empresários por paralisação de ônibus em São Luís

Muito se tem especulado nos últimos dias sobre um possível aumento das tarifas de ônibus de São Luís. Nesta quinta-­feira (25) o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Maranhão (Sttrema) resolveu se pronunciar sobre o caso que já está incomodando quem depende do sistema de transporte público da capital.

De acordo com a entidade, o sindicato não tem qualquer responsabilidade diante da possibilidade de reajuste. O aumento no valor das passagens de ônibus seria decidido apenas pelo Sindicato das Empresas de Transportes (SET) e pela Prefeitura de São Luís.

O presidente do Sttrema, Isaias Castelo Branco, afirmou que o movimento que resultou na paralisação dos ônibus na terça­-feira (23), não está relacionado ao suposto aumento do preço das passagens. Segundo ele, a exigência dos trabalhadores se referia estritamente ao cumprimento de convenção coletiva de trabalho, no que diz respeito ao pagamento da categoria na data estabelecida em cláusula, acordo não estaria sendo respeitado pelos empresários do setor.

Acordo

O Sindicato dos Rodoviários está na fase de discussões dos pontos que estarão presentes no novo acordo de convenção coletiva de trabalho, que tem prazo para ser definido em maio. Até agora não teria ficado estabelecido qualquer valor de reajuste de salário da classe. A categoria, portanto, assegura que os empresários não podem apontar esse novo acordo como justificativa para o reajuste.

“Não temos conhecimento das razões que possam levar os empresários do transporte público e a Prefeitura de São Luís a concederem novo reajuste nas tarifas. A paralisação da terça­-feira foi legítima e era direito da categoria cobrar pelos seus direitos. Vamos acompanhar toda essa questão no mesmo patamar dos usuários, já que não podemos opinar quanto a esse possível reajuste. Essa decisão está nas mãos do SET e da Secretária Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT)”, afirma Isaias Castelo Branco.

Reajuste
O último reajuste das passagens de ônibus de São Luís ocorreu no dia 27 de março de 2015. Na ocasião, os preços passaram de R$ 1,60 para R$ 1,90; R$ 1,90 para R$ 2,20 e R$ 2,40 para R$ 2,80. O aumento, porém, desagradou a população e durante três dias houve protestos na capital. No dia 3 de abril, a Prefeitura anunciou uma redução de R$ 0,20 no valor da tarifa mais cara, que havia sido reajustada para R$ 2,80 e passou a custar R$
2,60.

O reajuste anterior foi concedido em junho de 2014, quando o preço das passagens de ônibus sofreram acréscimo de R$ 0,30. O reajuste no valor das tarifas em 2014 foi o desfecho da greve dos rodoviários, que já se estendia por 16 dias. (Imirante.com)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cidade

Greve de rodoviários em São Luís é 'ilegal e abusiva'

Do G1, Maranhão

Grevistas desrespeitam decisão do TRT

Grevistas desrespeitam decisão do TRT

A presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão (TRT-MA), desembargadora Ilka Esdra Silva Araújo, decidiu, nesta segunda-feira (21), declarar ‘ilegal e abusiva’ a greve dos rodoviários, iniciada à 0h de hoje em São Luís. A magistrada também autorizou as empresas de ônibus a demitirem por justa causa os rodoviários que continuarem no movimento.

A decisão foi tomada porque o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (STTREMA) não cumpriu ordem da própria desembargadora, que na última sexta-feira (18) concedeu reajuste de 7% nos salários da categoria e o retorno imediato dos rodoviários às atividades normais, após quatro dias de negociações entre o sindicato patronal e o dos empregados do setor.

Além da ilegalidade, a desembargadora determinou a aplicação da multa diária de R$ 40 mil ao Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (STTREMA), por não cumprimento de sua ordem. Na última sexta-feira (18), a presidente do TRT determinou o retorno imediato dos rodoviários, bem como concedeu reajuste de 7% nos salários da categoria.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cidade

Greve de rodoviários em São Luís é ‘ilegal e abusiva’

Do G1, Maranhão

Grevistas desrespeitam decisão do TRT

Grevistas desrespeitam decisão do TRT

A presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão (TRT-MA), desembargadora Ilka Esdra Silva Araújo, decidiu, nesta segunda-feira (21), declarar ‘ilegal e abusiva’ a greve dos rodoviários, iniciada à 0h de hoje em São Luís. A magistrada também autorizou as empresas de ônibus a demitirem por justa causa os rodoviários que continuarem no movimento.

A decisão foi tomada porque o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (STTREMA) não cumpriu ordem da própria desembargadora, que na última sexta-feira (18) concedeu reajuste de 7% nos salários da categoria e o retorno imediato dos rodoviários às atividades normais, após quatro dias de negociações entre o sindicato patronal e o dos empregados do setor.

Além da ilegalidade, a desembargadora determinou a aplicação da multa diária de R$ 40 mil ao Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (STTREMA), por não cumprimento de sua ordem. Na última sexta-feira (18), a presidente do TRT determinou o retorno imediato dos rodoviários, bem como concedeu reajuste de 7% nos salários da categoria.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.