Brasil

Envolvido no sequestro de menor em Imperatriz tem habeas corpus negado

Criança sequestrada  na cidade de Imperatriz, em 2012

Criança sequestrada na cidade de Imperatriz, em 2012

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) negou, por unanimidade, habeas corpus em favor de Antônio Diacui Brito, acusado de envolvimento no sequestro de um garoto de 5 anos,  na cidade de Imperatriz, em 2012, com repercussão no Estado.

No HC em que pleiteava a substituição da prisão preventiva por medidas cautelares, Brito alegou, primeiramente, excesso de prazo na formação da culpa. Também argumentou não haver subsídios necessários para que o mesmo seja mantido preso, nem fatos que demonstrem que ele irá prejudicar o bom andamento do processo – visto que o mesmo possui residência fixa e é réu primário.

Em seu voto, o relator do processo, desembargador Froz Sobrinho, rebateu a alegação de excesso de prazo, ressatando que a instrução criminal já foi concluída. Ele apontou que não há nos autos provas que confirmem a ausência de fundamentação da prisão preventiva.

O CASO – No dia 27 de junho de 2012, dois indivíduos invadiram a casa da vítima, de apenas 5 anos, portando arma de fogo. Renderam a mãe da vítima e as empregadas domésticas, roubando um celular e um veículo S-10, e sequestrando o menor e a babá.

Os envolvidos seguiram para o estado do Tocantins, levando a criança e a empregada, que foi deixada às margens da BR-010. A criança foi mantida como refém durante 13 dias, sendo exigido pelo sequestradores um  resgate no valor de R$ 500 mil.

Por meio de escuta telefônica, a polícia confirmou a participação do acusado como principal organizador do sequestro, tendo sido decretada  a sua prisão temporária, em 11 de julho, pela 4ª Vara Criminal de Imperatriz.

O acusado era funcionário do pai da vítima e, motivado por um sentimento de vingança, teria entrado em contato com os demais envolvidos para programar o crime. Além de Antônio Diacui, outras nove pessoas foram acusadas de envolvimento no caso.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Mulher que participou do seqüestro de Pedro Paulo é presa

Ela ajudou a cuidar do garoto durante cativeiro.

Ela ajudou a cuidar do garoto durante cativeiro.

Uma ação do Serviço de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), com o apoio da Polícia Civil do Estado de Tocantins, resultou na prisão de mais uma integrante da quadrilha que seqüestrou o menino Pedro Paulo Mendes, o Pedrinho, de 4 anos. O crime ocorreu em Imperatriz, em junho do ano passado. Maria Alves Sandes da Silva, conhecida como Tina ou Cristina, de 31 anos, é a quinta pessoa detida suspeita de envolvimento no sequestro.

Segundo a Polícia, foi ela quem cuidou do garoto durante os 14 dias em que ele permaneceu no cativeiro. Três integrantes foram presos no próprio sítio na cidade de Cicilândia, utilizado para esconder o menino e o líder intelectual, Sebastião Soares, que tem mais de 10 mandados de prisão em aberto no país inteiro, e que já está preso desde janeiro deste ano.

“Tina” foi localizada na madrugada desta terça-feira (27) em um sitio no município de Araguaina (TO). De acordo informações policiais, após o sequestro, ela e o esposo, Geraldo Bueno da Silva, de 30 anos, que também participou da ação, fugiram para o estado do Pará, onde se homiziaram na cidade de São Geraldo do Araguaia.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.