Judiciário

Norman Sá é solto após STJ conceder habeas corpus

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu habeas corpus impetrado pelo advogado Armando Serejo, na última terça-feira (07), em favor do empresário Normam Gonçalves de Sá, que responde a um processo, acusado pela morte do advogado Almir Silva Neto, 42 anos, ocorrida em dezembro de 2008, em Barra do Corda.

Na decisão do ministro Sebastião Reis Júnior a qual o Blog do Neto Ferreira teve acesso, ele pontua que no entendimento do STJ, a fuga, por sí só, não justifica na manutenção da prisão, deferindo a liminar para que Sá possa aguardar em liberdade o julgamento. Além disto, impera no CNJ um sentimento de que neste caso houve conotação política.

O empresário foi preso em novembro de 2012, em Teresina (PI), e estava custodiado na Penitenciária de Pedrinhas, em São Luís.

No mesmo processo estão arrolados, José Vieira Cruz, conhecido como “Mansidão”, e Elaine Cristina Gonçalves Lima, ambos já condenados a respectivamente, 27 anos e 21 anos de reclusão em regime fechado, por participação na morte do advogado que teve o corpo encontrado carbonizado.

Confira abaixo a integra da decisão do ministro do STJ:

image

image


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.