Crime

Comissário da Polícia Civil é preso acusado de integrar grupo criminoso

Uma operação deflagrada pela Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (SECCOR), culminou na prisão de um comissário da Polícia Civil, Eduardo Daniel Ribeiro, em Igarapé do Meio. Ele é acusado dos crimes de concussão, associação criminosa e receptação e era lotado na Delegacia Regional de Santa Inês.

A ação ocorreu nas cidades de Santa Inês, Santa Luzia e Igarapé do Meio.

Segundo informações policiais, Eduardo faz parte de um grupo que tem como integrantes o policial militar reformado José Alves dos Santos e o Jose Raimundo Alves dos Santos, irmão do PM, que já exerceu as funções de carcereiro na Delegacia de Santa Luzia. Os dos últimos estão foragidos.

A operação também cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do PM reformado, onde foi encontrada uma arma do tipo pistola e motocicletas.

Em investigação conduzida pela Seccor, foi constatado que os criminosos exigiam valores de proprietários de motocicletas que haviam sido roubadas para que estes tivessem seus veículos restituídos.

O mesmo grupo já havia sido investigado pela Seccor, no ano de 2016, acusados de exigir dinheiro de receptadores de motocicletas roubadas para que os não fossem presos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Locação de máquinas pesadas vai custar R$ 2,8 milhões em Santa Luzia

A Prefeitura de Santa Luzia vai gastar milhões com a locação de máquinas pesadas com motorista/operador, segundo foi publicado no Diário Oficial.

O contrato de aluguel foi firmado com a empresa R.L. de Farias-ME, localizada em Santa Inês e de propriedade Roberto Limas de Farias.

O valor destinado para fazer o pagamento da locação é de R$ 2.862.460,00 milhões.

Ainda de acordo com o DOE-MA, o acordo contratual foi assinado em junho de 2018 e tem validade de 12 meses.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Moradores reclamam de abandono da MA-119

A situação da MA-119, no trecho Santa Luzia – Alto Alegre do Pindaré é precária.

A ponte que liga os dois municípios está completamente intrafegável e a qualquer momento pode desabar e causar uma tragédia, segundo denúncia dos moradores.

A construção do acesso é de responsabilidade do governo do Estado, que até o momento nada fez pela região. A situação já se arrasta há dois anos.

Enquanto isso, motoristas se arriscam ao passar pela ponte precária, pois precisam transitar entre as duas cidades.

Assista ao vídeo:


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Policiais militares do Mato Grosso são presos após manter família refém no Maranhão

Do G1,MA

page

Da esquerda para direita: dois policiais militares de Mato Grosso e dois homens, cuja identidades não foram divulgadas.

Dois policiais militares da Rotam do Batalhão de Rondas Ostensivas Tático Móvel da Polícia Militar (PM) de Mato Grosso foram presos no município de Santa Luzia, a 294 km de São Luís.

Eles são suspeitos de fazerem uma família refém para cobrar uma dívida. O caso ocorreu no povoado Faíza, localizado na zona rural da cidade.

e74fdb3d1296ad58999b9eee9a58e3aa

Segundo a polícia, eles teriam chegado a manter uma família, refém, amarrada, sob a mira de armas para forçar o pagamento da tal dívida. O soldado Edoriel Tales Taques Albuquerque e o cabo Wellington Bispo Nunes agiram junto com outros dois homens, que também foram presos, de acordo com a polícia.

O comando da PM de Mato Grosso foi informado da prisão dos policiais e disse que os dois haviam pedido folga no início da semana.

Com o grupo, a polícia apreendeu armas as armas usadas para intimidar as vítimas, além de rádios de comunicação.

6d6d9262c26635a93551372daadea8f2


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Prefeita de Santa Luzia faz jogo duplo com Flávio Dino

O jogo político, às vezes, reservas muitas surpresas.

Em 2014, a atual prefeita de Santa Luzia do Tide, Francilene Paixao de Queiroz, a França de Macaquinho, era completamente contrária ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Em uma de suas redes sociais chegou a publicar mensagens de apoio ao então candidato ao governo Edinho Lobão (PMDB).

“Sinceramente não sei como alguém pode votar nesse tal de Flávio Dino, aliado do Oseas em Santa Luzia, e que não conhece nossa cidade e nem a realidade dela. Eu voto 15! Comunismo jamais! (sic)”
, disse a prefeita.

Em outra postagem, a gestor chamou Dino de incompetente e afirmou que ele deixou um rombo de R$ 20 milhões nas contas da Embratur (veja abaixo).

3 anos depois, o jogo virou e França de Macaquinho já está apoiando aquele que sempre hostilizava. Nesta sexta-feira (12), Flávio Dino irá a Santa Luzia do Tide para cumprir a agenda do governo.

Está claro o jogo duplo da gestora.

thumbnail_IMG-20170511-WA0002

thumbnail_IMG-20170511-WA0000


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Empresa investigada no Piauí fatura contrato de R$ 4,1 milhões em Santa Luzia

1389846_401562149969758_253008713_n

Proprietário da Dimensão Distribuidora, Jadyel Alencar.

A Dimensão Distribuidora, localizada em Teresina (PI) e pertencente a Jadyel Alencar, continuar ganhando contratos milionários em Prefeituras do Maranhão.

Mesmo sendo investigado por desvios de medicamentos da Secretaria Estadual do Piauí, o empresário não mede esforços para faturar no estado. Em Santa Luzia do Tide, Jadyel ganhou um contrato no valor de R$ 4.167.425,04 milhões para fornecer medicamentos, materiais, equipamentos e instrumentais odontológicos para o Hospital Municipal e Postos de Saúde da cidade.

Somente para adquirir medicamentos, a Prefeitura de Santa Luzia vai pagar à Dimensão Distribuidora R$ 2.541.777,72 (dois milhões, quinhentos e quarenta e um mil, setecentos e setenta e sete reais e setenta e dois centavos).

E para os equipamentos odontológicos, serão gastos R$ 1.625.647,32 (um milhão, seiscentos e vinte e cinco mil, seiscentos e quarenta e sete reais e trinta e dois centavos).

O contrato foi assinado no dia 13 de março e deve findar em 31 de dezembro.

A Dimensão não fatura somente em Prefeitura, mas também no Governo do Maranhão. Em 2016, a empresa de Jadyel lucrou R$ 6.729.562,48 milhões sem participar de qualquer licitação.

Os dois primeiros contratos com Prefeituras divulgados pelo Blog do Neto Ferreira foi os de Coroatá e de Mirador, que somados chegam a R$ 4.073.610,61 milhões

Leia também

Dimensão Distribuidora fatura mais um contrato de R$ 2,06 milhões no Maranhão
Empresa do Piauí lucrou R$ 6,7 milhões no governo Flávio Dino sem participar de licitação
Dono de empresa que ganhou milhões no governo Flávio Dino é investigado no Piauí

santa luzia12

coroatá2

coroatá3-768x227


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Prefeitura de Santa Luzia vai gastar R$ 1,4 milhão em iluminação pública

A cidade de Santa Luzia do Tide terá ruas mais iluminadas neste ano de 2017, afinal a Prefeitura contratou a empresa C.S. Controle e Serviços para executar o gerenciamento e manutenção da iluminação pública com substituição de peças.

O contrato tem vigência até 31 de dezembro e foi orçado no valor de R$ 1.416.014,60 (um milhão, quatrocentos e dezesseis mil, quatorze reais e sessenta centavos).

A empresa, que fica localizada em Imperatriz, tem como proprietários Salustiano Santos de Assunção Júnior e Amilton Silva de Assunção.

santa luzia

santa luzi2

santa luzi3


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Prefeita eleita de Santa Luzia é acusada de compra de votos

f3403190-f195-414d-9d4d-a5ea41906f86

A prefeita eleita de Santa Luzia, Francilene Paixão de Queiroz, e o vice-prefeito, Juscelino da Cruz, estão sendo acusados de compra de votos e conduta abusiva do poder econômico. A acusação foi feita por Airton Chagas Cavalcante, que também concorreu à prefeitura de Santa Luzia no último pleito, em outubro de 2016. O ex-candidato ingressou  com uma ação judicial contra a próxima gestora do município.

Na ação judicial, Airton Chagas Cavalcante afirma que a prefeita eleita realizou uma “farta compra de votos”, menosprezando a legislação eleitoral e zombando da própria Justiça Eleitoral e da sociedade brasileira. Segundo Airton Chagas, a compra de votos era feita de várias formas: dinheiro em espécie, troca de bens, promessa de emprego e até distribuição de cestas básicas.

“Francilene Paixão de Queiroz tem praticado farta compra de votos, por meio de troca de bens, dinheiro em espécie, promessa de pagamento de contribuição sindical, distribuição de cestas básicas, promessa de empregos; tudo isso visando a obtenção de mandato eletivo, em menosprezo à legislação eleitoral e zombando da própria Justiça Eleitoral, do Ministério Público Eleitoral e da sociedade brasileira, que não aceita mais esse comportamento antidemocrático, ilegal, abusivo e criminoso”, diz o Airton Chagas na ação judicial.

airton

Como prova da afirmação, Airton Chagas apresentou um CD com a gravação de conversas da prefeita eleita com eleitores. Nas conversas, diz Airton Chagas, Francilene Paixão prometeu “de forma escancarada” o pagamento de contribuição sindical e cestas básicas a eleitores, além de doação de material de construção, aluguel de veículos e serviços médicos. “Não deixando qualquer margem de dúvida de que efetivamente se trata de compra de votos”, completa o denunciante.
Veja, abaixo, alguns trechos das conversas que a prefeita eleita teve com eleitores e que, segundo Airton Chagas, comprovam a compra de votos.

No primeiro trecho, um eleitor pede que ela garanta que o seu veículo seja alugado para prestar serviços à prefeitura.

(Eleitor) – …como esse serviço é um serviço mando, que não estraga muito o carro, se tu me arrumar ele, nós fecha bem aqui. Eu voto em você. Eu, por enquanto, não tô com ninguém.
(Candidata) – Certo.
(Eleitor) – …eu só quero uma coisa se você puder garantir: se você puder, você diga “posso”. O que você não puder, diz “não posso” que não tem nenhum problema também, viu?
(Candidata) – Não. Eu posso. Sabe por que eu digo que eu posso? Porque eu não tenho compromisso com ninguém. Eu vim aqui pedir seu voto, você se adiantou, falou comigo, e se a condição é essa

Em outra conversa, dessa vez com um eleitor que atende pelo nome de Del Rey, a prefeita eleita fala sobre “honrar a dívida” que fez com ele. E que pode gastar, no máximo, R$ 1 milhão do próprio bolso para pagar a campanha. Dinheiro que, segundo ela, será recuperado com “trabalho na prefeitura”.  Veja:

(Candidata) — eu venho gastando o que é meu, mas o que é meu, o que eu tenho pra gastar, não é muito, se eu tiver que gastar, é oitocentos mil, um milhão no máximo. Entendeu? E isso ai a gente tira com trabalho.

(Eleitor) – É..

(Candidata) – Né? A gente consegue o trabalho fazendo pelo município a gente tira isso ai.. eu vou honrar com o senhor, tá? Porque, a partir do momento que eu me endivido com outro [referência a agiotas, que ela afirmou não utilizar], passa a exigir as coisas da gente e a gente fica sem poder honrar os compromisso pra tá vivendo, né?

Veja, abaixo, alguns trechos do documento que foi obtido pelo Blog do Neto Ferreira.

santaluzia1

santaluzia2

santaluzia3

 


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime / Política

20 veículos com propaganda eleitoral irregular são apreendidos em Santa Luzia

img-20160921-wa0041

Uma operação conjunta entre a Promotoria da 70ª Zona Eleitoral e as polícias Civil e Militar, realizada em 22 de setembro, apreendeu 20 veículos envolvidos em práticas de propaganda irregular eleitoral e compra de votos no município de Santa Luzia.

A operação foi coordenada pelo titular da promotoria eleitoral, Francisco Thiago Rabelo.

Segundo o promotor eleitoral, foi constatado que os veículos apreendidos tinham condutores sem habilitação. Outra irregularidade verificada foi o desrespeito ao limite de 80 decibéis, previsto na Resolução nº 23.457/2015, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O dispositivo estabelece regras sobre “propaganda, utilização e geração do horário gratuito e condutas ilícitas em campanha eleitoral nas eleições de 2016”.

Participaram, ainda, da operação os delegados Ederson Coelho (regional de Santa Inês), Cláudia Almeida (Santa Inês), Alex Coelho (Santa Luzia) e o tenente Thiago Brito, do Batalhão de Polícia Militar de Pindaré-Mirim.

img-20160921-wa0042


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Sargento é morto em emboscada em Santa Luzia

m-1
Um sargento da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA) foi morto em uma emboscada no município de Santa Luzia, na noite dessa segunda-feira (8).

O sargento Ranilson, conhecido como “Cabecinha”, do 7º BPM, foi morto com um tiro no peito quando tentava localizar suspeitos de um assalto.

Ele e o cabo Elivaldo saíram para uma ronda de motocicleta após receberem informação de um assalto. Durante a incursão, o sargento Ranilson acabou sendo baleado por suspeitos que estavam escondidos.

A vítima morreu antes de chegar ao hospital. O PM era natural de Santa Inês e já tinha atuado como jogador de futebol. Dois suspeitos do assassinato foram mortos durante confronto com a polícia. As buscas pelos autores do crime foram realizadas durante toda a madrugada


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.