Poder

Estagiários da SSP continuam com salários atrasados

IMG-20160608-WA0004

Os estagiários da Secretaria de Segurança Pública (SSP) continuam sofrendo com os salários atrasados; já são quatro meses de espera. Diante da situação lamentável, os estagiários não sabem mais a quem recorrer.

O que mais revolta, segundo os relatos, é que o Instituto Nacional de Ensino e Desenvolvimento (Ined), contratado para agenciar os estudantes na SSP, já recebeu todo o valor pela prestação de serviço, o montante de R$ 2.907.452,76. Mesmo assim, não repassou os valores devidos as estagiários.

O contrato do INEP com a SSP vigorou por doze meses e encerrou no mês de março deste ano. O proprietário do Instituto, Laiones da Silva Nascimento, está com a conta abastecida, mas não arca com suas responsabilidades. Os estagiários alegam que ele sumiu do mapa e a SSP nada faz.

“Cadê o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela? Será que ele não consegue inventar nenhuma desculpa para acalmar os ânimos de quem trabalhou e não recebeu pelos serviços prestados?” desabafou um dos estagiários.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Funcionários terceirizados denunciam salários atrasados na SEMA

novasedesemaSão recorrentes os salários atrasados dos funcionários terceirizados que prestam serviços ao Governo do Estado. A situação perdura desde administrações anteriores, e quem sofre são os trabalhadores, que diariamente honram os seus compromissos.

Desta vez, a reclamação é dos funcionários da Suprithec, lotados na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA). A empresa presta serviço à pasta na área de recepção, telefonista e serviços gerais.

De acordo com a denúncia encaminhada ao Blog Neto Ferreira, todos os funcionários da empresa citada que trabalham na SEMA estão há dois meses sem receber salário e vale transportes; sendo impedidos de honrar com seus compromissos. Vale destacar que todos são assalariados.

Quando a classe prejudicada questiona sobre o motivo dos atrasos, não há um consenso entre a empresa e a secretaria. Uma joga a culpa para a outra. A SEMA disse que fez o repasse a Suprithec, mas a empresa alega que não recebeu dinheiro algum da pasta. Nesse jogo de mentiras e enroladas, quem sofre é o trabalhador.

Ainda segundo a denúncia, outra categoria prejudicada é a dos vigilantes da empresa Vip Vigilância que prestam serviço à SEMA. Os funcionários estão com três meses de salários atrasados e não há nenhuma previsão para quitá-los. Um verdadeiro absurdo.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Professores estão há quase 6 meses sem receber salários

A situação está insustentável para os professores das escolas comunitárias de São Luís, isso porque os educadores não recebem seus salários desde o mês de janeiro; conforme denúncia recebida pelo Blog. 

A escola Jardim de Infância Criança Feliz, localizada no bairro do São Cristóvão, é uma das unidades que tem padecido com a falta de repasse financeiro por parte da Secretaria Municipal de Educação (SEMED).

Os professores das escolas comunitárias não aguentam mais esse descaso. A categoria alega que já foram feitas várias denúncias sobre o caso, mas nem o secretário de Educação, Moacy Feitosa, e nem o prefeito Edivaldo Holanda Júnior se pronunciaram ou deram uma resposta satisfatória aos educadores.

Mesmo com os salários atrasados, os professores seguem com suas rotinas normalmente para não prejudicar os seus alunos. No entanto, a Prefeitura não se preocupa com a categoria e nem reconhece o esforço dos educadores. Lamentável!

Indignados com a gestão de Edivaldo Holanda Júnior também estão os professores da rede pública municipal de São Luís, que entraram em greve no último dia 25. A categoria pleiteia o reajuste salarial sem parcelamento e melhores condições nas unidades de ensino. No entanto, a gestão municipal fecha os olhos para as reivindicações e prejudica a educação de milhares de crianças e adolescentes.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.