Crime

PF prende no MA líder de quadrilha que fraudava seguro-defeso de pescadores no RN

A Polícia Federal prendeu no Maranhão um homem suspeito de praticar fraudes em seguros de defeso de pescador artesanal no Rio Grande do Norte e mais quatro estados. A prisão aconteceu no fim de semana.

De acordo com a PF, o homem é suspeito de liderar uma quadrilha que atuava falsificando documentos de identidade com o objetivo de praticar as fraudes. Segundo apurado pela polícia, ele era o destinatário principal dos recursos dos crimes.

As investigações tiveram início em janeiro, com a prisão em flagrante de cinco integrantes dessa organização criminosa. Todos continuam presos e respondem ação penal na 10ª Vara da Justiça Federal em Mossoró.

A prisão aconteceu em Bacabal (MA). Os crimes, de acordo com a Polícia Federal, aconteceram em Mossoró, Grajau (MA), Chapadinha (MA), Belém (PA), Paulistana (PI), Fortaleza (CE) e Limoeiro do Norte (CE), onde, em três meses, também foram identificados saques ilegais praticados pelo bando que alcançaram a cifra total de R$ 50 mil.

“Ademais, a organização tinha em seu modus operandi, a produção em larga escala de documentos de identificação falsos, além de locar um imóvel que servia de base para a prática dos delitos, uma verdadeira ‘casa de produção’ de papéis falsificados”, alega a PF, em nota.

Ainda de acordo com a Polícia Federal, caso os suspeitos venham a ser condenados, as penas somadas pelos crimes de estelionato, uso de documentos públicos falsos e integrar organização criminosa podem alcançar 19 anos de reclusão, além de multa.

Do G1


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Governador do Rio Grande do Norte é alvo de operação da Polícia Federal

Da Folha de São Paulo

robinson

A Polícia Federal deflagrou nesta terça (15) a operação Anteros, que tem entre os alvos o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD). Segundo nota da PF, ele teria atuado para obstruir a justiça. Faria é alvo de busca e apreensão.

Cerca de 70 policiais estão cumprindo 11 mandados, sendo dois de prisão e nove de busca e apreensão. Todos foram expedidos pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

“O ministro Raul Araújo Filho, da Corte Especial do STJ, determinou que fosse iniciada investigação preliminar para apurar os crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça que estariam sendo praticados pelo governador do Estado com ajuda de servidores estaduais”, diz a nota da PF.

Os investigadores afirma que as manobras ilegais tinham o objetivo encobrir a apuração de atos do Executivo do Rio Grande do Norte relativos ao desvio de recursos públicos por meio da inclusão de funcionários fantasmas na folha de pagamento da Assembleia Legislativa do Estado entre os anos de 2006 até os dias atuais.

A operação é decorrente de uma delação premiada que envolve todos os poderes do Rio Grande do Norte, Executivo, Legislativo e Judiciário, além de parcela significativa dos empresários de Natal. A reportagem ainda não localizou a defesa do governador. A PF cumpriu busca e apreensão no apartamento de Faria, no bairro Areia Preta, e na sede da Governadoria.

A Operação Anteros é um desdobramento da Operação Dama de Espadas, de 2015, que investigava um esquema de funcionários fantasmas Assembleia Legislativa e resultou na prisão da então procuradora da Assembleia Legislativa, Rita das Mercês. Robinson Faria foi presidente do Legislativo estadual por quatro biênios, entre 2003 e 2010. Procurada, a Secretaria de Comunicação do Rio Grande do Norte informou que não tem detalhes sobre a operação e, por enquanto, não vai se manifestar sobre o caso.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.