Política

Ricardo Murad lança pré-candidatura ao governo

O ex-presidente da Assembleia Legislativa e ex-secretário de saúde do Maranhão Ricardo Murad (PRP) lançou, nesta terça-feira (12) a pré-candidatura ao governo do estado.

Reunido com membros do partido e imprensa, Ricardo leu um documento, a Carta de Compromisso com o Povo Maranhense, registrada judicialmente, onde declara o que pretende fazer se conquistar o cargo de governador.

Pelo projeto de Murad seriam apenas 10 secretarias na administração direta: Secretarias de Governo, da Economia e Meio Ambiente, dos Direitos Sociais, de Planejamento e Gestão Pública, de Fazenda, de Segurança, de Administração Penitenciária, além da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Procuradoria Geral do Estado.

Outro projeto que chamou atenção foi o de interligação da ilha de São Luís com a Baixada Maranhense, através de uma ponte de 20 quilômetros. Questionado sobre de onde viriam os recursos para a obra, Murad disse que aproveitaria o capital estrangeiro.

Além do governador Flávio Dino, lançaram-se pré-candidatos ao executivo estadual Ricardo Murad, Roseana Sarney, Maura Jorge e Roberto Rocha que já afirmou a pretensão de concorrer ao cargo.

Do Portal Guará


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Juíza de Coroatá torna Ricardo e Teresa Murad inelegíveis

A juíza Eleitoral da 8ª Zona de Coroatá, Josane Araujo Farias Braga, condenou o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, a ex-prefeita e ex-vice de Coroatá, Maria Teresa Trovão Murad, Neuza Furtado Muniz, a ficarem inelegíveis por 8 anos subsequentes à eleição municipal de 2012.

A Ação foi protocolada pela Coligação “Coroatá Crescendo com liberdade”, que alegou que no dia 07 de outubro do ano de 2012, bem assim durante todo o período eleitoral a cidade de Coroatá – MA foi palco de um vergonhoso corolário de condutas irregulares que atentou contra a dignidade do povo/eleitor coroataense e o Estado Democrático de Direito.

A autora da ação afirmou também que o Ricardo Jorge Murad, então Secretário Estadual de Saúde, promoveu atos reprováveis em todas as esferas, que configuram, segundo alega, abuso de poder político, vez que com o propósito absoluto de beneficiar sua esposa Maria Teresa Trovão Murad e a Sra. Neuza Furtado Muniz, respectivamente, candidatas ao cargo de prefeita e vice-prefeita nas Eleições Municipais de 2012.

Ao analisar os fatos, a magistrada constatou que Murad, que também é presidente estadual do PRP, cometeu abuso de autoridade durante a campanha eleitoral de 2012 ao usar de seu cargo de então secretário de Saúde para promover as candidaturas de Teresa e Neusa.

A participação do Secretário de Estado da Saúde, senhor Ricardo Murad, nos eventos narrados na inicial de AIJE, se almoda plenamente a do administrador que se vale de programas de distribuição gratuita de bens e serviços de natureza social, custeados e subvencionados pelo poder público, para se projetarem diante dos eleitores, favorecendo a determinada candidatura, tendo incorrido, de forma inconteste, na conduta vedada do art. 73, IV da Lei das Eleições. Frise-se, por oportuno, que ações administrativas realizadas com esse objetivo, caracterizam, outrossim, desvio de finalidade a tipificar abuso de poder político, revelado no abuso do exercício de função, cargo ou emprego na Administração direta ou indireta, como bem sustentado na inicial da presente action.”, explicou Josane Braga.

Leia a decisão na íntegra aqui


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Ricardo Murad deixa o PMDB e se torna presidente estadual do PRP no Maranhão

O ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, deixou o PMDB para se tornar presidente estadual do Partido Republicano Progressista (PRP) no Maranhão.

A filiação do ex-gestor foi oficializada nesta sexta-feira (20) a pedido da direção nacional do partido, que entregou o comando estadual da legenda à Murad.

“O vice-presidente da Executiva Nacional, e presidente estadual do PRP, Severino Sales, recebeu convite da Direção Nacional para coordenar as candidaturas ao Congresso Nacional na região nordeste, em função da nova legislação eleitoral aprovada recentemente. Diante disso, convidou o recém filiado Ricardo Murad para comandar o PRP no Maranhão.”, declarou o agora ex-presidente do PRP no Maranhão, Severino Sales.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Veículos de luxo de Ricardo Murad continuam apreendidos no pátio da Polícia Federal

Os veículos de luxos do ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, ainda continuam no pátio da Polícia Federal, em São Luís.

Os 2 automóveis, sendo um modelo BMW Z4 azul, e outro de modelo Volvo XC60 branco, foram apreendidos em novembro de 2015, após Murad ser um dos alvos da operação Sermão aos Peixes, que desarticulou um esquema criminoso que atuava no âmbito da SES.

Na ocasião, também foram apreendidas obras de artes e documentos na residência do ex-gestor.

Entenda o caso

Em novembro de 2015, a Polícia Federal do Maranhão deflagrou a operação Sermão aos Peixes, que tinha como objetivo de desarticular uma organização criminosa montada no âmbito da Secretaria Estadual de Saúde e que tinha como líder o ex-secretário Ricardo Murad.

A investigação teve início em 2010, quando o então secretário de saúde do estado do Maranhão se utilizou do modelo de “terceirização” da gestão da rede de saúde pública estadual, ao passar a atividade para entes privados – Organização Social (OS) e Organização de Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), e, assim, fugir dos controles da lei de licitação. Contudo, essa flexibilização significou uma burla às regras da lei de licitação e facilitou o desvio de verba pública federal, com fim específico de enriquecimento ilícito dos envolvidos.

Durante o período de investigação, os fluxos de recursos destinados pela União, por meio do Ministério da Saúde, ao Fundo Estadual de Saúde do Maranhão, resultaram em um montante de R$ 2 bilhões

IMG-20170317-WA0092

IMG-20170317-WA0090

IMG-20170317-WA0086

IMG-20170317-WA0088


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Polícia Federal diz que provas que incriminavam Ricardo Murad foram queimadas

ricardo-murad-e1447970503679-940x540

Documentos obtidos pelo Blog do Neto Ferreira revelam que provas foram queimadas para que o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad não fosse incriminado.

As confirmações da queima de documentos foram feitas pela Polícia Federal, que cumpriu mandado de busca e apreensão na residência do ex-gestor durante a deflagração da operação Sermão aos Peixes.

Segundo a PF, Ricardo Murad soube da ação meses antes e, por isso, conseguiu se antecipar e eliminar as provas que poderiam incriminá-lo.

Nas fotos abaixo é possível perceber que na fogueira, já no fim, havia alguns documentos que não foram queimados totalmente, e por isso, a Polícia Federal constatou que se tratavam de anotações referentes ao esquema montado na Secretaria de Saúde.

No mesmo dia, Murad foi levado para depor na sede da Polícia Federal do Maranhão.

Entenda o caso

Em novembro de 2015, a Polícia Federal do Maranhão deflagrou a operação Sermão aos Peixes, que tinha como objetivo de desarticular uma organização criminosa montada no âmbito da Secretaria Estadual de Saúde e que tinha como líder o ex-secretário Ricardo Murad.

A investigação teve início em 2010, quando o então secretário de saúde do estado do Maranhão se utilizou do modelo de “terceirização” da gestão da rede de saúde pública estadual, ao passar a atividade para entes privados – Organização Social (OS) e Organização de Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), e, assim, fugir dos controles da lei de licitação. Contudo, essa flexibilização significou uma burla às regras da lei de licitação e facilitou o desvio de verba pública federal, com fim específico de enriquecimento ilícito dos envolvidos.

Durante o período de investigação, os fluxos de recursos destinados pela União, por meio do Ministério da Saúde, ao Fundo Estadual de Saúde do Maranhão, resultaram em um montante de R$ 2 bilhões.

Sermão6

Sermão2

Sermão3

Sermão1


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Joelson Pereira: o “laranja” do sobrinho de Ricardo Murad

Operação73

Documentos obtidos pelo Blog do Neto Ferreira revelam como o “laranja” de Rômulo Trovão, Joelson Pereira, agia dentro do esquema criminoso, que desviou milhões dos cofres da Saúde do Maranhão durante a gestão do ex-secretário da SES, Ricardo Murad.

Joelson, que é dono da Vip Car, era uma das peças fundamentais para que o sobrinho de Murad, o empresário Rômulo Trovão, conseguisse ocultar os desvios de verbas federais feitos no âmbito da SES. Todas essas informações estão no inquérito policial aberto pela Polícia Federal para apurar a apropriação ilícita de milhões do Sistema de Saúde.

Conforme a PF, o “laranja” era o responsável por comprar carros de luxo e uma lancha em seu nome, que eram avaliados em média em R$ 200 mil, sacar e realizar depósitos em contas poupanças em nome de Rômulo e pagar contas de cartão de créditos, que também estava em nome do empresário.

O dono da Vip Car efetuou, ainda, saques no valor de R$ 704.574,00 mil da conta corrente do Instituto Cidadania e Natureza (ICN) sem ter qualquer tipo de vínculo societário ou empregatício. As retiradas foram feitas durante os anos de 2011 e 2012.

Após meses de investigação, a Polícia Federal constatou que Joelson não tinha condições financeiras para adquirir carros de luxo, lancha e realizar pagamentos de cartão de créditos com valores vultuosos, portanto ele se tratava de um “laranja”.

Saiba mais

Sobrinho de Ricardo Murad montou esquema paralelo para desviar e lavar verbas da Saúde

Escola Crescimento de Danielle Buna lavou quase R$ 2 milhões de verbas desviadas da Saúde

Entenda o caso

Em novembro de 2015, a Polícia Federal do Maranhão deflagrou a operação Sermão aos Peixes, que tinha como objetivo de desarticular uma organização criminosa montada no âmbito da Secretaria Estadual de Saúde e que tinha como líder o ex-secretário Ricardo Murad.

A investigação teve início em 2010, quando o então secretário de saúde do estado do Maranhão se utilizou do modelo de “terceirização” da gestão da rede de saúde pública estadual, ao passar a atividade para entes privados – Organização Social (OS) e Organização de Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), e, assim, fugir dos controles da lei de licitação. Contudo, essa flexibilização significou uma burla às regras da lei de licitação e facilitou o desvio de verba pública federal, com fim específico de enriquecimento ilícito dos envolvidos.

Durante o período de investigação, os fluxos de recursos destinados pela União, por meio do Ministério da Saúde, ao Fundo Estadual de Saúde do Maranhão, resultaram em um montante de R$ 2 bilhões.

Operação27

Residência do “laranja” Joelson Pereira.

Operação41

Comprovante de compra de um carro feita por Joelson.

Operação42

Operação51

Operação56

Operação60

Comprovante da compra de carro.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Sobrinho de Ricardo Murad montou esquema paralelo para desviar e lavar verbas da Saúde

image-19

O esquema montado pelo ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, no âmbito da Secretaria de Saúde do Maranhão teve desdobramentos. Em um “mundo paralelo”, o sobrinho do ex-gestor, Rômulo Trovão, também conseguiu montar a sua teia criminosa para obter vantagens ilícitas na Saúde.

Documentos obtidos pelo Blog do Neto Ferreira revelam que Trovão atuou de maneira oculta na SES entre os anos de 2010 e 2014, uma vez que, à época, era proibido de contratar com o Poder Público.

Segundo a Polícia Federal, o sobrinho de Murad usou “laranjas” e empresas para desviar e lavar dinheiro público.

De acordo com os autos, Rômulo Trovão é, de fato, o dono das empresas Tempo Engenharia e Arquitetura e da Kamaha Engenharia, mas o seu nome não aparece como sócio em nenhuma das empresas. Ambas prestaram serviços para SES durante a gestão de Murad e foram doadoras de campanha em Coroatá nas eleições de 2010, 2012 e 2014.

Conforme a PF, a Tempo recebeu R$ 10,6 milhões da Associação do Bem Viver e do Instituto de Cidadania e Natureza entre os anos de 2010 e 2013.

O empresário é, ainda, proprietário da A.G. Serviços de Fitness Saúde Ltda (Academia Personal Group), onde ele dissimulou a origem do dinheiro por meio de investimentos. A PF descobriu, também, que Trovão dissimulou valores na empresa Buna e Barcelar (Escola Crescimento Calhau) na quantia de R$ 1.835.028,74 milhão, que é de propriedade de sua esposa Daniela Nogueira Buna (saiba mais).

Além de todas essas irregularidades, o empresário usou como “laranja” em suas negociatas o dono da Vip Car, Joelson Pereira, que adquiriu carros e fez depósitos constantes para Rômulo Trovão. Veja o esquema montado pela dupla:

Os documento apontam que, por meio das empresas, o sobrinho de Ricardo Murad superfaturou valores dos contratos de manutenção predial em várias unidades hospitalares durante os anos de 2010 a 2014, dissimulou a prestação de serviços a Bem Viver e ao ICN, apropriou-se de dinheiro público federal; efetuou saque de R$ 100 mil da conta bancária da Serviços Diagnóstico Médico por Imagem São Luís, mesmo sem possuir vínculo societária ou empregatício na referida empresa.

Ricardo Murad e Rômulo Trovão estão no bojo do inquérito policial que apura desvios de milhões da Secretaria de Saúde durante o governo Roseana Sarney. Em novembro de 2015, ambos foram alvos da operação Sermão aos Peixes, que foi deflagrada pela Polícia Federal.

Operação23

Operação51


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Cunhada de Fernando Sarney e irmã de Murad é nomeada no Tribunal de Contas

A irmã do ex-secretário da Saúde, Ricardo Murad, Rosa Lúcia Murad Lago, foi nomeada como assistente de gabinete da Corregedoria do Tribunal de Contas do Maranhão (TCE).

A nomeação entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2017, já na gestão do conselheiro José Ribamar Caldas Furtado. Os dados da nomeação estão no portal do Tribunal de Contas.

Nos bastidores comenta-se que o cargo dado a irmã de Ricardo Murad foi uma forma generosa de beneficiar, ou melhor, agradar a Fernando Sarney, que é casado com Teresa Sarney, irmã de Murad e da nomeada.

Não compareceu

A equipe de reportagem se deslocou até o setor no qual Rosa Lúcia Murad Lago deveria dá expediente, mas constatou que ela não compareceu ao local de trabalho.

murad


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Em depoimento à PF, Murad diz que sobrinho era dono de empresa que operou na Saúde

Em depoimento à Polícia Federal, o ex-secretário da Saúde do Maranhão, Ricardo Murad, confirmou que o seu sobrinho Rômulo Augusto Trovão Moreira Lima era sócio da Tempo Engenharia e Arquitetura Ltda juntamente com Alankardec Albuquerque Queiroga.

1656313_607784279277425_1383598804_n

A confissão de Murad foi dada quando a Polícia Federal o conduziu coercitivamente para depor na sede do órgão durante a deflagração da operação Sermão aos Peixes.

O Blog do Neto Ferreira obteve o documento com exclusividade e divulgará trechos do depoimento a seguir:

Ao ser questionado se o seu sobrinho Rômulo Trovão era, de fato, quem administrava e fazia o controle dos custos e pagamentos dos serviços prestados pela Tempo Engenharia, o ex-gestor, inicialmente, respondeu que pelo o que sabe o proprietário da empresa era o Alan (Alankardec Albuquerque). Que tem conhecimento de que Alan e Rômulo Trovão manteriam uma parceria, mas não sabe detalhes a respeito.

Em seguida, os agentes federais perguntaram se essa tal parceria se figurava em uma sociedade na Tempo Engenharia. Ricardo Murad se contradisse e afirma: “deve ter”.

E mais uma vez, o ex-secretário é interrogado se era Rômulo que administrava as obras da empresa referida acima, uma vez que há áudios comprovando a atuação de Trovão na execução das obras da Tempo. Murad responde: “Como já dito duas vezes,, e que na verdade, pelo o que sabe, Rômulo mantinha uma parceria com Alan, que inclusive foi citado a ligação telefônica”.

Segundo a PF, Rômulo Trovão nega a participação na empresa, pois deseja permanecer como sócio oculto para que consiga obter contratos no governo e na Prefeitura, uma vez que é proibido de contratar com o Poder Público.

Leia mais

PF diz que dona da escola Crescimento movimentava conta em nome de “laranja”

Escola Crescimento de Danielle Buna lavou quase R$ 2 milhões de verbas desviadas da Saúde

Esposa do sobrinho de Ricardo Murad teria utilizado dinheiro desviado da Saúde

Tempo Engenharia

A Tempo Engenharia e Arquitetura Ltda é uma das empresas investigadas pela Polícia Federal por integrar um esquema criminoso que desviou quase R$ 2 bilhões da Saúde do Maranhão.

Segundo a PF, a referida empresa tem como sócio Alankardec Albuquerque Queiroga, mas quem comanda todos os serviços e controla os custos é o sobrinho de Ricardo Murad, Rômulo Trovão.

De acordo com os autos do processo, a Tempo atuava em diversas unidades hospitalares realizando serviços de engenharia. Durante o período de 01 de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2012, a empresa de Rômulo Trovão recebeu do Instituto de Cidadania e Natureza a soma de R$ 4.227266,62 milhões e da Associação do Bem-Viver R$ 954.549,25 mil.

Além disso, foi doadora de campanha para aliados de Ricardo Murad em diversas eleições.

sermao34


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Ricardo Murad também nomeava diretores de hospitais

ricardo_murad-1556

Depois de ser apontado como o responsável direto pela contratação de empresas, sem licitação, para a prestação de serviços ao Estado durante o período que comandou a Secretaria de Estado da Saúde (SES), Ricardo Murad foi novamente citado por diversos investigados da Operação Sermão aos Peixes — que investiga desvios milionários na saúde pública do Maranhão durante o último governo Roseana Sarney.

Desta vez, Ricardo Murad foi apontado como o responsável por indicar os diretores e funcionários das unidades hospitalares. Ou seja: além de indicar quais empresas iriam prestar serviço aos hospitais, o ex-secretário Ricardo Murad também escolhia os diretores e funcionários dos hospitais. Dessa forma, ele conseguia comando total da operação.

Segundo a Polícia Federal, ao menos três investigados na Operação Sermão aos Peixes citaram o ex-secretário Ricardo Murad como o responsável pela contratação dos diretores e funcionários das unidades hospitalares. Entre eles estão Péricles Silva Filho e Benedito Silva Carvalho, os dois proprietários do Instituto de Cidadania e Natureza (ICN), que já foram presos durante a operação.

Em seu depoimento à PF, Péricles Silva Filho afirmou que “a secretaria [comandada por Ricardo Murad] indicava os diretores, até hoje, e que havia pessoas do ICN nos hospitais e UPAs apenas para auxiliar administrativamente”. Benetido Silva Caravalho, por sua vez, disse que apesar da SES ter terceirizado a gestão da administração das unidades hospitalares par o ICN, a administração era feita de fato por gestores nomeados pelo governo.

Outro investigado, Péricles Guará Silva, disse que a gestão dos hospitais era realizada pelo ICN, mas que a SES era responsável pela nomeação dos diretores hospitalares. Veja, abaixo, no documento obtido pelo Blog do Neto Ferreira.

operacao16


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.