Poder

A polícia precisa falar…

Blog do Marco D’Eça

Aluísio só fala nos bastidores; Cutrim já deu declarações.

Aluísio só fala nos bastidores; Cutrim já deu declarações.

O deputado Raimundo Cutrim (PSD) já falou. Se defendeu, admitiu as ligações com Júnior Bolinha, mas negou envolvimento no assassinato de Décio Sá.

A governadora Roseana Sarney (PMDB) também já falou. Garantiu que a polícia irá investigar até o último ponto e afirmou não acreditar no envolvimento de Cutrim, seu ex-secretário de Segurança.

Mas a polícia precisa falar.

O secretário Aluísio Mendes e sua equipe de delegados precisam explicar por que, diante do depoimento de Jhonatan Souza, não tomaram qualquer medida em relação ao parlamentar governista.

Algumas perguntas precisam ser feitas:

1 – Se Jhonatan afirmou tratar-se do próprio deputado Raimundo Cutrim, por que o Cutrim citado no pedido de prisão não foi qualificado?

2 – Se a polícia não acredita no envolvimento do deputado Cutrim no caso, por que fica vazando informações nos bastidores – como os telefonemas de Gláucio e Bolinha, por exemplo?

3 – Se o Cutrim citado por Jhonatan não é o deputado Raimundo Cutrim, o que a polícia tem a dizer sobre isso?

4 – Por que a polícia não tomou nenhuma providência contra o deputado – seja para ouvi-l0 como testemunha ou para questionar outros envolvidos sobre sua participação no crime?

5 – Mais importante: por que Fábio Capita, que teve apenas citações superficiais, está preso, e Raimundo Cutrim, apontado como “mandante principal”, segundo o depoimento, não foi nem qualificado?

Aluísio Mendes e sua equipe precisam esclarecer estes pontos, ainda que mantenham a investigação sob “sigilo”.

Caso contrário, parecerá que a acusação contra Cutrim fora montada pelo próprio Sistema de Segurança.

Numa disputa desenfreada por poder policial…


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

‘Quem não deve, não teme’, diz Cutrim sobre caso Décio Sá

Do G1 MA

Deputado Raimundo Cutrim

Deputado Raimundo Cutrim

O deputado estadual Raimundo Cutrim (PSD), se defendeu das suspeitas levantadas sobre ele, como mandante da execução do jornalista Décio Sá, após a divulgação na íntegra do depoimento do executor Jhonatan Silva, publicado na internet, nesta quinta-feira (21).

“Eu ainda não li esse documento, tomei conhecimento de um trecho pela minha assessoria, e fiquei espantado. Quem conhece o meu trabalho sabe que por onde eu andei eu sempre procurei pautar o meu trabalho dentro da lei, o que eu quero é que a polícia apure isso. Eu tenho minhas diferenças com o secretário, isso é público e notório, mas conheço todos os policiais e sei que são competentes. O indiciado disse e cabe à polícia esclarecer. Não se pode jogar na parede: ‘foi fulano de tal’. Não se pode dizer ‘fulano matou’, sem provas. Eu disponibilizo meu sigilo telefônico e bancário, sou a pessoa mais interessada em esclarecer os fatos, sou um homem que tem a vida limpa e a verdade aparecerá no final”, afirmou o parlamentar.

Contudo, em entrevista à Rádio Mirante AM, Cutrim admitiu conhecer José Raimundo Sales Charles Jr., o Júnior Bolinha, um dos principais envolvidos na morte do jornalista Décio Sá. “Conheci ele ano passado, eu tava precisando de arrumar os açudes do meu sítio, eu aluguei máquinas dele, não tinha nenhuma ligação com ele, depois dessa coisa do sítio eu ligava pra ele, sempre muito profissional, sempre falando de barro, areia, mas se limitava a isso (…) Foi uma amizade que apenas tratou de assuntos bem profissionais, somente isso”, garantiu.

Raimundo Cutrim foi enfático ao se defender das acusações de que seria um dos mandantes da morte do jornalista. “Primeiro eu tinha um bom relacionamento com ele. Eu nem sou de ler blog. Eu não tenho tempo pra estar navegando na internet, chego em casa meia noite. De que eu vou me defender? Quem não deve não teme, o Cutrim não deve nada a ninguém, quero que as pessoas me respeitem. Jamais. É só a polícia investigar. Tenho uma ligação muito forte com o Maranhão”, argumentou.

Sobre as investigações e mais um vazamento de informações na internet, o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Aluísio Mendes, disse ao G1, que a polícia mantém o sigilo no caso do jornalista Décio Sá. “É óbvio que advogados dos suspeitos tiveram acesso ao material. Por isso, não temos porque investigar, já que as informações publicadas na internet não partiram da polícia. Nós continuamos, nessa etapa da investigação, com o sigilo, fundamental para o êxito do trabalho já iniciado por nós”, afirmou.

Em nota, a Corregedoria do Tribunal de Justiça do Maranhão (CGJ-MA), por meio de sua assessoria, disse que “não se pronunciará sobre a publicação do depoimento do suspeito de executar o jornalista Décio Sá e que o depoimento é um documento que faz parte do inquérito policial, de responsabilidade da Secretaria de Estado de Segurança Pública”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Castelo convida Raimundo Cutrim para assumir Secretaria na Prefeitura de São Luís

Desembargador Raimundo Cutrim

Desembargador Raimundo Cutrim

Há fortes rumores de que o desembargador aposentado Raimundo Cutrim foi convidado para compor a equipe do secretariado da gestão de João Castelo.

Cutrim foi convidado para assumir a Secretaria Metropolitana ou de Articulação Política.

Durante a reunião que teve a participação do prefeito de São Luís e da deputada estadual Gardênia Castelo, houve o convete formal para o ex-desembargador compor a equipe dos secretários.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Cutrim vai acionar Hemetério Weba na Justiça por supostas calúnias

Revoltado, Cutrim travará embate na justiça com Weba

Revoltado, Cutrim travará embate na justiça com Weba

O deputado estadual Raimundo Cutrim (PSD) disse, durante pronunciamento ontem, 14, na Assembleia Legislativa, que ingressará na Justiça contra o deputado estadual Hemetério Weba (PV), por supostas calúnias.

Cutrim, que na época da CPI do Crime Organizado, era secretário de Segurança Pública, foi acusado por Weba na última quinta-feira, 10, de que sua gestão era na base da taca, da chibata e do alicate. Revoltado, o parlamentar afirmou que acionará o colega de parlamento com uma ação de denunciação caluniosa.

“Estou achando que o deputado queria dizer que em minha gestão eu mandava tirar a unha e dava com a chibata, por isso estou entrando com uma ação de denunciação caluniosa para que a gente possa discutir na justiça, é um direito que tenho. Estou entrando com uma ação na justiça de denunciação caluniosa, que é crime”, disse Cutrim.

Por final, Cutrim afirmando que Weba invadiu um colégio na cidade de Nova Olinda, que funcionava a sede provisória da Justiça Eleitoral gerando uma confusão onde quase ocasionou uma tragédia.

“Agora o deputado fala naquela época da chibata e eu me lembrava na época da campanha agora de deputado, o deputado invadiu um colégio, o colégio chamado Unidade Escolar Santa Terezinha Alves Rocha, onde funcionava a sede provisória da Justiça Eleitoral, na cidade de Nova Olinda, invadiu ali com várias pessoas para resgatar uma pessoa que tinha sido detida por questão de crimes eleitorais. No momento da invasão apenas 7 policiais civis estavam no local. Recuaram a fim de evitar um confronto direito com a população, o que poderia ter causado uma tragédia”, enfatizou o parlamentar.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Emocionado, Hemetério Weba fala sobre envolvimento em CPI do Crime Organizado

Deputado Hemetério Weba

Deputado Hemetério Weba

O deputado Hemetério Weba (PV) voltou a ocupar a tribuna, para esclarecer o episódio da CPI do Crime Organizado, na qual o parlamentar foi convocado, e disse que o pronunciamento “foi para falar sobre o assunto do qual me imputaram em 1999 como quadrilheiro, como um dos maiores traficantes do Estado do Maranhão e tudo isso que eu passei na minha vida tem que ser esclarecido agora, porque o povo do Maranhão que não me conhece, às vezes, tem uma péssima imagem do deputado Hemetério, da pessoa do Hemetério, do homem que ocupou três mandatos de prefeito nesse Estado do Maranhão e dois de deputado estadual”.

O deputado afirmou que ficou calado um bom tempo porque naquela época não tinha voz e nem vez para utilizar a tribuna da Casa, para que aqui pudesse botar a limpo aquilo que aconteceu em 99. “Quando envolveram o meu nome naquele episódio, só fui envolvido porque denunciei bandidos daquela região onde eu morava. Em momento nenhum, no pronunciamento passado, fiz em nome desonra, disse apenas que nesta Casa está hoje ex-secretário de Segurança Pública e atual deputado estadual pelo Maranhão, e que ninguém mais do que ele poderia mostrar seus relatórios do que foi investigado da pessoa de Hemetério Weba”, explicou.

Hemetério Weba rebateu o colega Raimundo Cutrim (PSD), que em pronunciamento anterior negou que o tenha investigado, quando foi secretário de Segurança do Estado. O parlamentar do PV reafirmou que foi investigado pela Secretaria de Segurança e deu outros esclarecimentos a respeito do episódio, inclusive dos delegados ligados a Cutrim.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Cutrim desmente que tenha investigado Hemetério Weba

Raimundo Cutrim nega investigação contra Weba

Raimundo Cutrim nega investigação contra Weba

Quem pensou que os ânimos fossem esquentar na Assembleia após o pronunciamento do deputado Raimundo Cutrim (PSD) se enganou. Na verdade Cutrim  utilizou a tribuna, na manhã desta terça-feira (8), para explicar que, no período em que ocupou o cargo de secretário de Segurança Pública do Estado, não fez nenhuma investigação contra o deputado Hemetério Weba (PV).

Cutrim disse que a investigação realizada contra Weba, no ano de 1999, por ocasião da CPI do Crime Organizado, não foi feita pela Polícia Civil do Maranhão, e sim pela Polícia Federal.

Lembrando do período em que ocupou o cargo de secretário de Segurança, Cutrim afirmou que, na época, apenas ficou sabendo de depoimentos prestados à polícia por um ex-funcionário da Cemar, Messias Brito Vital, que acusara Hemetério Weba de quadrilheiro. Cutrim afirmou que, além de funcionário da Cemar, Messias Vital era amigo e colega de serviço do hoje deputado Hélio Soares (PP).

“Muitas das vezes também o Hélio Soares me cobrou sobre esse fato, e o que eu tenho conhecimento desse fato é que Vital sofreu um atentado em Nova Olinda, levando três tiros, mas veio a sobreviver. Entretanto, em outubro de 2003, ele foi executado no município de Nova Olinda”.

Após este homicídio, segundo Cutrim, foram presas duas pessoas que em seguida foram indiciadas: José Osmarinho Albuquerque e Sebastião José da Silva.

“Essas pessoas — eu tenho conhecimento, porque foi na minha gestão como secretário de Segurança — foram presas e indiciadas. Mas eu não sei realmente o que a Justiça definiu, o certo é que eu não tenho conhecimento também se houve mandantes, ou se ficou definido no inquérito policial, mas se houve mandante ou não, eu não tenho conhecimento”, esclareceu Cutrim.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Após denúncia de extorsão, assessores da Presidência do TJ-MA devem ser exonerados

Os advogados Marco Túlio e Francisco Reginaldo

Os advogados Marco Túlio e Francisco Reginaldo

O Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), através de sua assessoria, informou ao G1 que os assessores do Poder que foram presos na tarde desta quinta-feira, suspeitos de concussão e subtração de documentos, devem ser exonerados. As medidas devem acontecer já nesta sexta-feira (20).

Em Brasília, o presidente do TJ-MA, desembargador Antônio Guerreiro Júnior, lamentou o ocorrido e disse que nesta sexta-feira estará reunido com seus assessores, quando assinará a exoneração de Marco Túlio. O presidente da Ascem atualmente é lotado como sub-chefe de gabinete do próprio Guerreiro Júnior.

Ainda por meio de sua assessoria, o presidente informou que a exoneração de Francisco Reginaldo cabe ao desembargador Raimundo Cutrim, já que o assessor está lotado seu gabinete. (Com informações do G1)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Raimundo Cutrim: sistema de segurança está sem 'comando'

Deputado Raimundo Cutrim

Deputado Raimundo Cutrim

Em pronunciamento na Assembleia Legislativa, o deputado Raimundo Cutrim (DEM) lembrou que o Maranhão viveu a mesma situação que hoje vive a Bahia em relação à greve dos policiais militares. Ele disse que a paralisação da PM ocorrida no Maranhão só aconteceu porque os auxiliares da governadora Roseana Sarney não levaram a seu conhecimento a possibilidade da greve. “Ela foi pega de surpresa”, garantiu

Cutrim vê uma situação de total instabilidade no Brasil em termos de segurança pública, tendo em vista que não temos um Ministério da Segurança no país. Para o deputado, a Secretaria Nacional de Segurança não manda em coisa nenhuma e apenas se apossa dos recursos sem que haja um ministério para brigar por eles.

“Precisamos do ministério para que possa haver o tripé Educação, Saúde, Segurança. Precisamos que os congressistas aprovem a PEC 300, que está engavetada ao longo de muitos anos, a fim de que se estabeleça um teto salarial mínimo para as PMs nos Estados”, defendeu.

Cutrim informou que com a greve da PM está morrendo uma pessoa a cada 15 minutos na Bahia. Trouxe também dados sobre São Luís. Segundo ele, no mês de dezembro ocorreram mais de 60 homicídios na capital e 60 no mês de janeiro. O parlamentar disse que no Maranhão se perdeu completamente o controle do Sistema de Segurança Pública que está sem comando e a tendência é a situação piorar.

O deputado entende que secretários de segurança importados nunca deram certo no Maranhão e afirma que quando conseguem realmente conhecer o Estado, com as peculiaridades de cada município, já passaram os quatro anos de gestão. “Chegam aqui de paraquedas e se forem soltos na Praça João Lisboa não vão encontrar o caminho da Secretaria de Segurança”.

Agência Assembleia


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Cutrim cobra da Assembleia que solicite informações à PF do PI

Raimundo Cutrim

Raimundo Cutrim

Verbalmente, Raimundo Cutrim pediu que a Mesa Diretora da Casa solicite informações à polícia piauiense sobre as ilações apresentadas no blog.

Assim como havia feito na sessão ordinária da última segunda-feira (19), Luciano Leitoa utilizou parte de seu pronunciamento para atacar o blogueiro Luis Cardoso pelas informações publicadas alegadas pelo parlamentar como uma espécie de estratégia já visando as eleições municipais do próximo ano.

Abaixo o declaração do deputado Luciano Leitoa

“Deixo bem claro que continuo querendo saber e espero que o jornalista não esteja a serviço de ninguém, espero também que não esteja atendendo nenhum interesse referente à cidade de Timon no tocante à questão das eleições de 2012. Por isso eu venho aqui nesta tribuna para fazer essas colocações, a fim de que se tenha esse esclarecimento por parte do próprio jornalista que, como eu coloquei, tenta me envolver com a questão de ser um aliado, o que eu nunca fui”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Deputado Roberto Costa é apoiado após denunciar sumiço de R$ 73 milhões

Costa pede explicações da Prefeitura de São Luís

Costa pede explicações da Prefeitura de São Luís

Na sessão, vários deputados manifestaram apoio ao deputado Roberto Costa (PMDB), que denunciou na semana passada o sumiço de R$ 73 milhões das contas da Prefeitura de São Luís, provenientes de um convênio entre governo do Maranhão e o município — dinheiro esse que, por decisão judicial, deveria ser devolvido ao governo estadual.

O deputado Marcelo Tavares (PSB), conhecido por ser ferrenho opositor à atual gestão do governo Roseana, abraçou a causa e deu razão a Roberto Costa, afirmando que o colega está correto em cobrar esclarecimentos do prefeito João Castelo (PSDB).

Raimundo Cutrim (DEM) também deu razão ao colega Roberto Costa e, inclusive, cobrou providências por parte da Assembleia Legislativa para saber do destino dos R$ 73 milhões. O parlamentar sugeriu que fosse criada uma comissão para investigar o caso e justificou que o assunto deve ser debatido na casa, já que não se trata somente de um assunto da esfera municipal.

Roberto Costa lamentou o posicionamento do prefeito João Castelo. “Ninguém consegue dar uma explicação para dizer aonde foi parar os R$ 73 milhões.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.