Poder

Bomba! Polícia Federal descobre ligação do primo de Edivaldo Júnior com esquema em prefeituras

A Policia Federal e o Ministério Pública Federal iniciaram investigações para apurar o desvio de recurso públicos de prefeituras por meio de esquema criminoso da venda de notas frias.

Durante a sigilosa apuração, segundo fonte da PF, foi descoberto o envolvimento ilícito da empresa de Rafael Holanda, primo do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

A investigação constatou que era operado através da empresa RR Empreendimentos, que tem sede na cidade da Raposa, empresa vizinha de uma outra investigada também pela mesma prática: a construtora Construir que teve em 2013 contratos no valor de R$ 1,4 milhão em Anajatuba, para reforma de escola e obras em estradas vicinais.

Segundo consta no inquérito da PF, a RR Empreendimentos carrega as inicias de Rafael Holanda e uma outra pessoa. A empresa de coleta de lixo foi acusada em depoimento na PF de ser usada nebulosamente pelo empresário Fabiano Bezerra com venda de notas frias para Anajatuba e outras prefeituras (reveja).

Agentes federais descobriram que a empresa faturou um contrato em março deste ano no valor de R$ 1,5 milhão para prestação de serviço de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos.

Rafael é filho de Silas Holanda, dentista que é irmão de Edivaldo Holanda, deputado estadual eleito. Ele é muito amigo de Fabiano Bezerra e parceiro de negócios lícitos (envolvendo gados) e ilícitos, como esse caso revelado pelo Blog do Neto Ferreira.

O Blog do Neto Ferreira divulgará ainda hoje uma das notas fiscais frias que já fazem parte do inquérito policial na qual será utilizado no pedido de prisões de uma suposta organização criminosa (ORCRIM).

Em contato com o titular do Blog do Neto Ferreira, Rafael negou sua participação em irregularidades e afirmou que entrou e ganhou a licitação corretamente perante a lei.

Fabiano Bezerra, por suas vez, confirmou que já teve negócios com Rafael Holanda, mas foi relacionado a compra de um cavalo em conjunto. Segundo Fabiano, as empresas investigadas pela PF não pertecem a ele.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.