Poder

Protesto contra reforma da Previdência e rombo no IPSEMB paralisa BR-222, em Buriticupu

capa geral

Ao som de gritos de “CADÊ O DINHEIRO QUE ESTAVA AQUI” e “NÃO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA” Servidores públicos, alunos do IFMA e trabalhadores em geral foram às ruas e pacificamente interditaram por algum tempo a BR 222 em Buriticupu na região Oeste do Estado do Maranhão, nessa quarta-feira (15).

Os Trabalhadores liderados pelo SINTEB (Sindicato dos trabalhadores em Educação do Município de Buriticupu), se manifestaram entre outras entidades representativas de classes trabalhadoras de forma bem expressiva, seu repúdio e preocupação com os rumos previdenciários que o Brasil deve tomar caso a Proposta de Emenda Constitucional, PEC 287 seja aprovada pelo Congresso Nacional.

Os Servidores públicos de Buriticupu têm as suas preocupações e desconfianças ainda maiores por motivos peculiares. É que no ano de 2005 o Município criou o IPSEMB, (Instituto de Previdência Própria dos Servidores do Município de Buriticupu), que em tese serviria para assegurar a todos os servidores concursados, sejam pela Câmara Municipal, seja pela Prefeitura as suas aposentadorias e outros benefícios.

A preocupação dos assegurados do IPSEMB se dar porque o Prefeito José Gomes (PRB) se reelegeu sob a suspeita de ter usado o dinheiro do IPSEMB para comprar os votos que garantiu sua permanecia no poder, também não estaria repassando os valores descontados dos funcionários, mesmo tendo parcelado débitos do PATRONAL em 2013.

Em 2015 o IPSEMB passou por uma auditoria feita pelo Ministério da Previdência Social, onde ficou constatado que o rombo estava bem maior do que se imaginava, motivos que levou a POLICIA FEDERAL instaurar inquérito para investigar possíveis desvios, e conforme fontes do Blog JO FERNANDES, já foram intimados a depor os ex- gestores e também os atuais, José Gomes, prefeito municipal e o Sr. Francisco Dias, atual presidente do IPSEMB.

Logo após a confirmação das intimações pela Policia Federal, o Prefeito “mais honesto do mundo” seu Zé Gomes, apresentou à Câmara de vereadores, um Projeto de Lei “meia boca”, onde pede autorização do poder legislativo para parcelar mais uma vez os valores que vêm descontando dos funcionários e não teria repassado para ao IPSEMB e nem para ao INSS, com a aprovação do projeto, o ilustre prefeito pretende jogar a responsabilidade sob as costas dos Vereadores.

Na manifestação de hoje, os servidores, pararam em frente ao sucateado IPSEMB e em ato simbólico literalmente lavaram com água e sabão a “sujeira” que vem sendo acumulada ao longo das gestões, na porta do Palácio Maracajá, sede do executivo municipal enceram os protestos, onde discursaram o Presidente do SINTEB Eliésio, Presidente da Câmara Jairo da Cikel (PRB) e os vereadores Estaniel (PR) Vanusa (PR).

“Gostaria de agradecer nossos companheiros professores, alunos e servidores públicos em geral, por se fazerem presente neste ato público contra a PEC dos golpistas, e dizer que essa briga não é só dos professores, e nem também só dos servidores públicos, mas de toda sociedade brasileira, porque está em risco hoje, o maior sistema de seguridade social do nosso país e ainda, enfatizar nossa preocupação com o nosso Instituto Municipal, o IPSEMB que sofre sérios riscos”. Disse Prof. Eliésio presidente do SINTEB.

Blog do Jo Fernandes


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Fiscais Sanitários protestam contra corte de benefício

IMG-20170308-WA0041

Fiscais Sanitários efetivos de São Luís estão, nesse momento, protestando contra a retirada de benefícios da categoria.

Segundo os manifestantes, concedida aos funcionários a gratificação de atividade fiscal (Gaf) pela Prefeitura de São Luís, no entanto esse benefício tem sido descontado de outro direito da classe, o de produtividade SUS.

“Há muito tempo os fiscais sanitários efetivos têm sofrido perseguições e ameaças de perda do Sus caso não fizessem a vontade das gestoras da vigilância sanitária municipal, mesmo que essas ordens fossem ilegais.”, afirmaram os manifestantes.

De acordo com os fiscais, contratados do órgão vem recebendo cerca de R$ 1.400 do benefício do SUS, enquanto os efetivos apenas R$ 300. “A Associação dos fiscais ( Afisa)já solicitou a Semus a publicidade da folha Sus, bem como os critérios para sua concessão e os valores pagos aos servidores da vigilância sanitária. Quase um ano depois nunca obteve resposta. Aliás, a única resposta que tiveram até agora foi a perseguição de seus diretores e associados.”, disseram.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Negligência da faculdade Maurício de Nassau pode deixar 870 alunos sem Fies

870 alunos da faculdade Maurício de Nassau, em São Luís, ainda não conseguiram renovar o contrato do Fies. O prazo estipulado pelo MEC para realizar o aditamento encerra no próximo dia 31. Com a proximidade do fim do prazo, e a possibilidade da não concessão do financiamento para  próximo semestre, os alunos estão desesperados.

Conforme relatos dos estudantes, enviados ao Blog Neto Ferreira, o problema consiste na não identificação do novo CNPJ da empresa no sistema do Fies. “Ocorre que a faculdade Mauricio de Nassau mudou de endereço e de nome também (antiga Unisil) já há 2 anos. O MEC não liberou o aditamento dos alunos por conta de um erro que persistiu no sistema do Fies,  que ainda consta como faculdade Unisil”, pontuou um aluno.

Os estudantes estão pressionando a unidade de ensino, mas ainda não obtiveram a resposta concreta para a solução do problema. Em conversas do grupo do Whatsapp da diretora e líderes Nassau é notória a preocupação e o medo dos alunos, que dependem do financiamento para continuar estudando. “Acredito que são muitas interrogações e receios por parte dos alunos, pois muitos dependem deste programa para conseguir a tão sonhada carreira”, expõe um dos alunos do grupo.

A diretora Luzia, que aparece nas conversas, tenta a todo custo suavizar a situação e dizer que vai ficar tudo bem. “Não vamos permitir que vocês sejam prejudicados. O jurídico do grupo já está acionado e cuidando da situação”, frisou. Em outro ponto ela diz ainda: “Estou em contanto direto com a mantenedora. Jamais vamos querer perdê-los porque também saímos perdendo”.

Mesmo com as palavras otimistas da diretora, os alunos estão temerosos com a situação. Na tentativa de resguardar seus direitos, muitos já pleitearam um mandado de segurança. Além deste mecanismo judicial, os estudantes estão se organizando para realizar um protesto em frente à faculdade Maurício de Nassau para reivindicar contra esse empecilho travado nesse semestre na renovação do Fies. Da porta da unidade de ensino, os alunos disseram que só vão sair após a direção passar um posicionamento real e certo para eles.

Os alunos não sabem como vai ficar a situação deles a partir do próximo semestre, caso não consigam o aditamento.

img-20161027-wa0007

img-20161027-wa0008

img-20161027-wa0009-600x1024

img-20161027-wa0010


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Pescadores de Araguanã bloqueiam BR-316 por falta de pagamento do seguro-defeso

IMG-20160603-WA0033

Um ato público, realizado por pescadores da região de Araguanã, bloqueou a BR-316, na manhã desta sexta-feira (03).

Segundo os manifestantes, a reivindicação é sobre o pagamento do seguro-defeso, benefício previdenciário concedido durante o período de proibição da pesca, que ainda não foi pago pelo Governo Federal.

A rodovia foi interditada nos dois sentidos com galhos, pneus e pedras e já há um grande congestionamento de veículos no local. A Polícia Rodoviária Federal foi acionada para intermediar a situação.

IMG-20160603-WA0036


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cidade

População faz protesto contra reajuste das tarifas de ônibus de São Luís

­1459186123-122282094

Manifestantes se reúnem na tarde desta segunda­-feira (28), no Centro de São Luís, para protestar contra o reajuste das tarifas de ônibus da capital. O aumento de 11,8% entrou em vigor deste sexta-­feira (25).

A concentração do protesto começou por volta das 15h, na região da Praça Deodoro. De acordo com os organizadores, os manifestantes sairão em passeata pela Rua Rio Branco, Avenida Beira­-Mar, Terminal da Praia Grande, Prefeitura de São Luís e Ponte José Sarney. Grande parte dos manifestantes é de estudantes, que empunhavam cartazes como: “Chega de exploração. 2,90 é um crime”, “2,90 não”, “Só os mortos não reclamam. 2,90 não. #RevogaEdivaldo #PassLivreJá”, “Nenhum centavo a mais. 2,90 eu não pago. #ContraOAumentoSLZ”, entre outros.

Por volta das 17h30, os manifestante bloquearam os dois sentidos da Ponte José Sarney. Um engarrafamento se formou no local. Um dos articuladores do movimento é a seccional Maranhão da Assembleia Nacional dos Estudantes Livres (ANEL), entidade que existe desde 2009, além da União da Juventude Socialista (UJS).

Reajuste
Com o aumento, os valores das passagens de nível I que custavam R$ 1,90 passaram para R$ 2,20. Já as passagens do nível II fixadas em R$ 2,20, agora valem R$ 2,50. As passagens de nível IV, que custavam R$ 2,60, passaram para R$ 2,90. As tarifas das linhas metropolitanas do Governo do Estado mudaram de R$ 2,80 para R$ 3,10.

A decisão do reajuste das passagens foi tomada durante reunião realizada no dia 23, na sede da SMTT, entre representantes da Prefeitura e do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET). O último reajuste das passagens de ônibus de São Luís havia ocorrido no dia 27 de março de 2015. Na ocasião, os preços passaram de R$ 1,60 para R$ 1,90; R$ 1,90 para R$ 2,20 e R$ 2,40 para R$ 2,80. O aumento, porém, desagradou a população e durante três dias houve protestos na capital. No dia 3 de abril, a Prefeitura anunciou uma redução de R$ 0,20 no valor da tarifa mais cara, que havia sido reajustada para R$ 2,80 e passou a custar R$ 2,60.

O reajuste anterior ao do ano passado foi concedido em junho de 2014, quando o preço das passagens de ônibus sofreu acréscimo de R$ 0,30. O reajuste no valor das tarifas em 2014 foi o desfecho da greve dos rodoviários, que já se estendia por 16 dias.

Estado Online


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Magistrados farão ato público em Urbano Santos

Juízes de várias comarcas maranhenses se deslocarão na próxima segunda-feira (30) para a cidade de Urbano Santos, a 270 Km de São Luís, para participar de um ato público em repúdio ao assassinato da garota Maisa Moreno, de 6 anos, ocorrido no último domingo e contra a barbárie que resultou na depredação de vários prédios públicos, dentre os quais o fórum. A mobilização está sendo organizada pela Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA), em parceria com o juiz titular da comarca, Samir Mohana.

O ato público acontecerá às 14h30, no auditório do Centro Administrativo da Prefeitura de Urbano Santos. Além de diretores da AMMA e magistrados de diversas comarcas, o evento contará com a presença do secretário de Segurança Pública do Estado, Jefferson Portela, de familiares da garota assassinado e pessoas da comunidade.

Na manhã de ontem (27), o presidente da AMMA, juiz Gervásio Santos, recebeu a visita do juiz Samir Mohana para definir a organização do ato público. Além de protestar contra o assassinato e levar apoio aos familiares da menina, os magistrados maranhenses farão manifestação de repúdio contra a forma criminosa que a imagem da garota foi exposta nas redes sociais, por meio de vídeos gravados em seus últimos minutos de vida e prestarão solidariedade ao juiz Samir Mohana, que esteve sob ameaça durante a depredação do fórum.

“O Judiciário maranhense não pode cruzar os braços para esta barbárie generalizada que tomou conta da sociedade. Precisamos erguer nossa voz e exigir um basta. Chega de Maísas mortas, chega de desrespeito e violência, inclusive contra as instituições”, declarou o juiz Gervásio Santos.

O presidente da AMMA também esteve no Tribunal de Justiça nesta sexta, para comunicar a realização do ato público e pedir celeridade na reforma do fórum de Urbano Santos, e recebeu todo o apoio do futuro presidente do TJMA, desembargador Cleones Cunha. O desembargador Jamil Gedeon, coordenador da Infância e Adolescência, garantiu que será instalada no fórum uma Sala de Depoimento sem Dano (espaço em que são ouvidas crianças vítimas de abuso sexual), que receberá o nome de Maisa Moreno.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Geral / Poder / Saúde

Trabalhadores do Hospital Dutra e Materno Infantil entram em greve

Manisfestante realizando protesto em frente ao Hospital Dutra.

Manisfestante realizando protesto em frente ao Hospital Dutra.

Funcionários contratados pela empresa Global, que prestam serviços gerais ao Hospital Universitário Presidente Dutra e ao Materno Infantil, realizaram, na manhã desta terça-feira (10), um protesto em frente ao Hospital Dutra.

São cerca de 200 trabalhadores, que declaram greve por tempo indeterminado até que a empresa contratante regularize algumas pendências trabalhistas.
Os manifestantes se queixam que as remunerações estão sendo pagas com atraso. Este mês ainda não foi recebido o vencimento referente à outubro que deveria ter sido pago no último dia 5. Trabalhadores também reclamam que há mais de 8 meses não recebem o valor de R$ 75 correspondente a uma cesta básica a que todos tem direito.

Segundo o presidente do sindicato de Asseio e Conservação (SEAC), Onésio Máximo, outras reivindicações existem e a empresa deverá cumprir caso contrário os dois hospitais ficarão sem os serviços terceirizados de limpeza.

Ainda de acordo com o presidente do SEAC, a empresa Global já está em São Luís há três anos, e, desde então vem tratando os seus funcionários em condições análogas à escravidão. “Quando os trabalhadores entram de férias não recebem o pagamento referente ao benefício, não pagam o ticket alimentação, mas sim fornecem aos funcionários quentinhas de péssima qualidade, e os salários sempre saem em atraso. Temos que pressionar a Global para que ela possa pagar as remunerações” declarou.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cidade

População vai à rua protestar contra a prefeita de Araioses

Uma multidão foi às ruas de Araioses no último dia 28 de outubro (Dia do Servidor Público) protestar contra a Prefeita Valéria do Manim e o seu pai Manim Leal. Inconformados como os recursos públicos do Município vêm sendo administrados desde o início de 2013, servidores públicos municipais, entidades sindicais, associações, igrejas, assim como a população em geral fizeram uma mega passeata para reivindicar moralidade na Administração.

“O povo está se descobrindo livre das correntes dos opressores. Nós, os cidadãos deste município, somos os patrões, e eles, que fazem parte da classe política da nossa cidade, os funcionários”. Clamavam os sindicalistas.
A palavra foi facultada e vários oradores se revezaram ora cobrando o cumprimento das promessas de campanha e respeito aos cidadãos araiosenses, ora fazendo duras criticas a administração da família Leal em Araioses.

É incontestável o CAOS em que se transformou Araioses após o momento em que a Prefeita Valéria e o seu pai Manim Leal ficaram à frente do comando do Município. Para muitos araiosenses, essa é a pior Administração de todos os tempos.

Ao que tudo indica, o império oligárquico da família Leal está se desmoronando, chegando ao fim em Santa Quitéria e Araioses. O índice de rejeição de Manim Leal e do seu grupo político nos dois municípios está elevadíssimo.

Os cidadãos de Araioses estão fazendo as suas obrigações ao se dirigirem às ruas para protestar, agora apenas restam esperar que o Poder Judiciário e o Ministério Público também façam as suas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Reféns recebem suporte da Polícia Federal em Itaipava do Grajaú

Índios fazem reféns Itaipava do Grajaú (Foto: Reprodução / TV Mirante)

Índios fazem reféns Itaipava do Grajaú
(Foto: Reprodução / TV Mirante)

Nelson Hernandes (médico cubano do programa “Mais Médicos”), Luciano Melo de Morais (dentista) e o motorista Jocicleu de Sousa, são mantidos reféns dos índios da tribo Krepym katejy Timbira, desde a última terça-feira (08), e ontem (10), receberam suporte da Polícia Federal, com roupas e mantimentos.

Os índios reivindicam melhores condições na saúde da tribo e pedem dois postos de saúde, poço artesiano, duas técnicas em enfermagem e uma ambulância para atender mais de 250 indígenas. Eles prometem manter os funcionários do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei), reféns até que o coordenador-geral do distrito sanitário, Alexandre Cantuária, compareça ao local para atender os pedidos. Alexandre está na cidade, mas aguarda a chegada de um assessor enviado pelo Ministério da Saúde.

A Polícia Civil por meio do delegado Elson, da cidade de Barra do Corda, compareceu ao local na tarde desta quarta-feira, 9, para negociar com os manifestantes, mas não teve êxito.

O governo do estado disse por meio de nota que a Secretaria de Segurança Pública está dando apoio à Polícia Federal para a resolução do caso.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Em protesto, índios mantém pessoas reféns em Grajaú

Policia esteve no local, mas não conseguiu um acordo

Policia esteve no local, mas não conseguiu um acordo

Índios da tribo Krepym katejy Timbira, em Grajaú, mantém como reféns desde a última terça-feira (08), um médico cubano identificado como Nelson e mais dois funcionários do Governo do Estado, sendo um odontólogo e um motorista.

Eles reivindicam por melhores condições na saúde da tribo e pedem dois postos de saúde, poço artesiano, duas técnicas em enfermagem e uma ambulância para atender mais de 250 indígenas.

Os reféns esperam um posicionamento da Funasa e dos órgãos competentes para que algo possa ser feito o mais rápido possível.

A Polícia Civil por meio do delegado Elson, da cidade de Barra do Corda, compareceu ao local na tarde desta quarta-feira, 9, para negociar com os manifestantes, mas não teve êxito.

Outras pessoas seriam feitas reféns, mas conseguiram fugir a tempo.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.