Poder

Governo não corresponde e procuradores devem entrar em greve novamente

A Associação dos Procuradores do Estado do Maranhão (ASPEM) divulgou um Edital de Convocação, nesta segunda-feira (24), para Assembleia Extraordinária, que acontecerá no dia 3 de agosto.

Durante a reunião, a categoria decidirá se entrará em greve ou não.

Segundo a ASPEM, o governo Flávio Dino propôs um acordo e o primeiro movimento paredista foi finalizado. A partir de então, começou a fase de negociação com o governo, que enviou uma proposta e os procuradores encaminharam uma contra-proposta, na qual não obtiveram respostas.

Em razão disso, na última quinta-feira (20),  em reunião ocorrida na judicial, os servidores presentes decidiram por medidas de enfrentamento e deliberaram por marcação de assembleia geral com a finalidade de decretar greve.

Os procuradores do Estado entraram em greve no dia 17 de maio. Após sinalização do governo, no dia 29, a categoria decidiu suspender o movimento por 30 dias.

IMG-20170724-WA0094


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Procuradores do Estado suspendem greve no Maranhão

IMG-20170529-WA0090

Os procuradores do Estado decidiram suspender a greve por 30 dias. Eles iniciaram o movimento paredista no dia 17 de maio, após uma assembleia deliberar o ato.

Segundo a Associação dos Procuradores do Estado do Maranhão (ASPEM), o governo do Maranhão sinalizou uma negociação com a categoria.

O ato grevista se deu visando a valorização da classe. E uma das principais reivindicações da clase é a paridade salarial às demais carreiras jurídicas.

IMG-20170529-WA0089

IMG-20170529-WA0085

IMG-20170529-WA0086

IMG-20170529-WA0087

IMG-20170529-WA0088


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Deputados se exaltam durante votação de projeto que proíbe procuradores de advogar

Durante a votação para modificar os anexos I e VI da Lei Complementar n° 020, de 30 de junho de 1994, que trata sobre a atuação dos procuradores do Estado, os ânimos entre os deputados estaduais ficaram exaltados, no final da manhã desta quarta-feira (06), na sessão extraordinária realizada na Assembleia Legislativa do Maranhão.

O clima ficou bastante tenso no plenário Nagib Haickel, após o primeiro-secretário da Mesa Diretora, Edilázio Júnior (PV), entrar com uma emenda para evitar com que a alteração fosse votada ainda hoje. Na ocasião, o parlamentar questionou a votação do projeto em caráter de urgência, proposta pelo deputado governista Zé Inácio (PT).

Porém, o presidente da Casa em exercício, Othelino Neto (PCdoB), mandou, com urgência, publicar no Diário Oficial da Assembleia a emenda proposta por Edilázio, para que a matéria fosse votada ainda nesta quarta-feira.

A deputada Andréa Murad (PMDB) com a intenção de também barrar a votação, pediu vista de 24h – regimental e constitucional -, pois faz parte da Comissão de Constituição de Justiça da AL-MA e tem autonomia para isso. Ou seja, a parlamentar tentou evitar o pleito e quer que a Assembleia faça uma audiência pública para discutir as alterações.

Mesmo com o pedido de vista de Andréa, o presidente da Comissão, deputado Luciano Leitoa, recusou e deu continuidade a votação da qual aprovou a alteração da lei que, segundos os procuradores, afeta diretamente a categorioa.

A solicitação de alteração dos anexos referidos acima partiu do Governo do Estado, que enviou, na última quinta-feira (31), à Assembleia Legislativa, a mensagem 22/2016 pedindo que procuradores do Maranhão fiquem proibidos de advogar em causas particulares, conforme foi divulgado no Blog (Reveja).

Essa modificação vai de encontro com a constituição federal e com o estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Esse tema é matéria federal, inclusive, está sendo discutido no Congresso Federal.

Desse modo, a alteração da Lei abriu uma crise institucional entre o governador Flávio Dino e os procuradores.

IMG-20160406-WA0035


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.