Poder

Deputados e Prefeituras podem ter integrado esquema de Pacovan

C_AS8oOXUAEJHvL

O agiota e empresário Josival Cavalcante da Silva, o Pacovan, pode ter recebido dinheiro de emenda parlamentares e de Prefeituras, segundo informou o titular da Superintendência Estadual de Investigações Criminais, Tiago Bardal.

“Algumas prefeituras e até emendas parlamentares eram utilizadas para adquiri petróleo e derivados, só que na verdade entrava o dinheiro público pagando pelo serviço, só que o serviço nunca era prestado. O dinheiro que entrava era de agiotagem, pagamento de campanha, enfim, dinheiro de corrupção”, explicou o delegado Tiago Bardal.

Em razão da suspeita de participação de parlamentares e Prefeituras no esquema, a Polícia Civil deverá deflagrar a 2ª fase da operação Jenga, que irá consistir em identificar com clareza quais deputados e prefeitos integravam a organização criminosa.

De acordo com as investigações, um prefeito fazia um contrato de compra e venda de combustível com um dos postos envolvidos no esquema, e colocava no contrato o custo anual. O prefeito passava a fazer transferências de dinheiro do município para as contas bancárias dos donos dos postos de combustível. Mas, o valor pago não era para fornecimento de combustível, e sim para quitação de empréstimos do esquema de agiotagem.

Entenda o caso

Na tarde desta quinta-feira (4), a Polícia Civil fez a apresentação, no auditório da Secretaria de Segurança Pública, das 18 pessoas presas na Operação “Jenga”, que foi realizada na manhã desta quinta. Segundo a polícia, os detidos são integrantes de uma organização criminosa chefiada pelo agiota e empresário Josival Cavalcante da Silva, conhecido como “Pacovan”.

Pela sétima vez, a polícia conseguiu prender Pacovan, que segundo as investigações é o chefe da quadrilha que possui cerca de 200 milhões de reais em bens e serviços que incluem três fazendas, 11 imóveis e quatro veículos, e 7 postos de combustíveis que funcionavam em São Luís, Zé Doca e Itapecuru Mirim.

Além de “Pacovan” a Polícia Civil Conseguiu prender por meio de cumprimento de mandado de prisão Samia Lima Awad, Thamerson Damasceno Fontenele, Simone Silva Lima, Edna Maria Pereira (mulher de Pacovan), Rafaely de Jesus Souza Carvalho, Creudilene Souza Carvalho, Adriano Almeida Sotero, Geraldo Valdonio Lima da Silva, Lourenço Bastos da Silva Neto, José Etelmar Carvalho Campelo, estes dois últimos apontados como contadores da organização.

Foram presos também Renato Lisboa Campos, João Batista Pereira, Kellya Fernanda de Sousa Dualib, Manassés Martins de Sousa, Jean Paulo Carvalho Oliveira e Francisco Xavier Serra Silva.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Esquema operado por Pacovan era feito com Prefeituras

thumbnail_Foto Nilson Figueiredo. (1)

O esquema montado de lavagem de dinheiro em postos de gasolina comandado por Josival Cavalcante da Silva, o Pacovan, envolvida Prefeituras. 18 integrantes da quadrilha foram apresentados na sede da Secretaria de Segurança Pública, em São Luís. Todos foram presos durante a operação da Polícia Civil denominada “Jenga”.

Segundo a polícia, Pacovan montou uma rede de postos de combustíveis, em que ele aparece em algumas empresas como sócio-proprietário, juntamente com a esposa, familiares e outros ‘laranjas’, que eram utilizados para não vincular a movimentação financeira dessas empresas com a pessoa dele.

A intenção era disfarçar a origem ilícita do dinheiro movimentado nas contas bancárias dessas empresas, dinheiro esse fruto da prática da agiotagem e também do desvio de verbas públicas de Prefeituras do Maranhão. O objetivo era evitar que os órgãos de fiscalização, tanto financeiros como policiais, pudessem detectar essa movimentação financeira ilícita.

C_AS8oOXUAEJHvL

Como funcionava

Um prefeito firma um contrato de compra e venda de combustível com um desses postos, coloca no contrato o seu custo anual na faixa de 3 milhões de reais, por exemplo, e então, em cima desse contrato, que, na verdade é fraudulento, pois na prática não existe o fornecimento do combustível, o gestor passa a realizar transferências de um determinado município, de um determinado órgão para as contas bancárias dos proprietários desses postos de combustíveis.

O Pacovan recebe esse valor, que aparece oriundo da venda de combustíveis – em tese, seria uma operação lícita, legal -, mas na verdade ele vai estar aí, numa parte, recebendo os valores da agiotagem. E aí existe a possibilidade de algum valor ser devolvido também para o gestor, que, com isso, burla os mecanismos de fiscalização para estar tirando dinheiro da prefeitura.

Essas movimentações financeiras atípicas de Pacovan e das empresas de fachada despertaram a atenção dos órgãos de fiscalização, principalmente do Coaf, que provocaram os órgãos policiais no sentido de que fosse investigada a origem desse dinheiro.

Além de postos de combustíveis, foi detectado que há empresas registradas para atuação na área da construção civil e outras que só existem de fachada mesmo, sem a compatibilidade de sua atividade com o quantitativo da sua movimentação financeira que era praticada nas respectivas contas bancárias.

Todas os indícios apontam no sentido de que Pacovan era o administrador e grande operador desse esquema que movimentou cerca de 100 milhões de reais.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Agiota Pacovan pede no TJ desistência de habeas corpus

Agiota Pacovan.

Agiota Pacovan.

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) homologou o pedido de Josival Cavalcante da Silva, conhecido como Pacovan, para desistir do prosseguimento do Habeas Corpus (HC) nº 58924/2015 e, consequentemente, o arquivamento do remédio constitucional para todos os fins de direito.

Na mesma sessão, também seria julgado o HC nº 03991/2016, com pedido de soltura de Pacovan, que foi denunciado pelo Ministério Público pela prática dos crimes de desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

O julgamento não foi realizado pelos desembargadores em decorrência de o processo ainda estar na Procuradoria Geral do Estado. O documento foi enviado ao órgão Ministerial pela Diretoria Judiciária do TJMA, no dia 1º de março.

Pacovan está preso desde o dia 23 de fevereiro, quando a 3ª Câmara Criminal decidiu, por maioria, revogar liminar concedida em regime de plantão que concedeu liberdade ao acusado. O relator do processo, desembargador José Bernardo Rodrigues, seguiu a manifestação do MP, que defendeu a revogação do habeas corpus por considerar que a liminar concedida não se enquadrava entre os casos previstos para apreciação em plantão judicial.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Procuradora-geral quer que Pacovan volte à prisão

Agiota conhecido por 'Pacovan'

Agiota conhecido por ‘Pacovan’

A procuradora-geral de justiça, Regina Lúcia de Almeida Rocha, ajuizou nesta sexta-feira,12, junto ao Tribunal de Justiça do Maranhão, um pedido de reconsideração da decisão que concedeu liminar para libertar o acusado Josival Cavalcante da Silva, conhecido como Pacovan.

Ele foi beneficiado por um habeas corpus concedido pelo desembargador José de Ribamar Fróz Sobrinho, durante o plantão do dia 31 de janeiro, que caiu num domingo.

Para o Ministério Público, o acusado deve ser mantido preso como forma de garantir a ordem pública e por se tratar de “indivíduo de altíssimo grau de periculosidade, a merecer as mais gravosas medidas previstas no ordenamento jurídico para conter as suas ações”.

No pedido de reconsideração, a procuradora-geral de justiça observa que o desembargador Fróz Sobrinho violou, com sua decisão, o princípio da colegialidade, usurpando a competência da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, da qual é integrante, que já havia iniciado o julgamento final do habeas corpus interposto pela defesa do acusado.

Outro fator apontado pelo MP para justificar a revisão do benefício foi a detenção do acusado um dia após a concessão do habeas corpus. No dia 1º de fevereiro, a polícia encontrou no veículo de Pacovan uma pistola Taurus, que seria de um dos seus dois acompanhantes. Thamerson Fontinele assumiu ser o dono da arma e foi preso por porte ilegal. “O que se espera de alguém que esteja em liberdade provisória e sujeito à fiscalização das condições para manutenção do benefício era que, de pronto, recusasse a permanência do armamento no veículo”, argumenta a procuradora-geral.

No dia 4 de fevereiro, Regina Rocha já havia interposto mandado de segurança também com o objetivo de tornar sem efeito o habeas corpus concedido ao acusado Josival Cavalcante da Silva. O processo tem como relatora a desembargadora Cleonice Freire, que está de férias. Como substituto atua o desembargador Ricardo Duailibe.

HISTÓRICO

Pacovan estava preso desde 18 de novembro em uma operação conjunta da Polícia Civil e do Ministério Público do Maranhão, por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), após a descoberta de diversos esquemas de desvio de verbas públicas, envolvendo agiotas, prefeitos e ex-prefeitos de municípios maranhenses.

Josival Cavalcante da Silva seria um dos líderes de uma organização criminosa que pratica a agiotagem no estado. A prisão dele e de outros integrantes da organização foi determinada pela justiça da Comarca de Bacabal. Na ocasião, também foi preso o ex-prefeito de Bacabal, Raimundo Nonato Lisboa.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Edivaldo Holanda deve abrir vaga para “investigado na agiotagem”

Deputado estadual Edivaldo Holanda.

Deputado estadual Edivaldo Holanda.

O deputado estadual Edivaldo Holanda (PTC) está prestes a tirar uma licença médica de cerca de quatro meses para tratar de sua saúde. Ocorre que a pessoa mais cotada para substituir Holandão no plenário é ninguém menos que Domingos Erinaldo Sousa Serra, o Toca Serra (PTC).

Domingos é irmão do prefeito de Rosário, Irlan Serra (PTC), e foi candidato a deputado estadual. Durante as operações de combate ao crime de agiotagem que culminou com a prisão do agiota Josival Cavalcanti, o Pacovan, a polícia encontrou no cofre do empresário dois cheques do Banco do Brasil assinados por Toca Serra. Um no valor de R$ 1.060,000,00 e outro de R$ 1.500,000,00.

Toca Serra, irmão do prefeito de Pedro do Rosário.

Toca Serra, irmão do prefeito de Pedro do Rosário.

Juntos, os valores ultrapassam dois milhões de reais. Durante as eleições passadas, Toca Serra comprou o céu e o inferno para tentar se eleger, mas acabou como primeiro suplente da coligação da qual Holandão se elegeu.

Agora, ele terá que se explicar na Polícia Civil sobre a origem e finalidade de dois cheques com valores tão absurdos estarem com Pacovan. Pela gravidade dos valores de cada cheque, existe forte indício de que o ex-candidato vá parar atrás das grades.

Diante deste fato, é imoral e inadmissível que a Assembleia Legislativa permita que um investigado por agiotagem ocupe um cargo, ainda que temporariamente, de altíssima relevância.

Se Domingos Erinaldo assumir a vaga de Holanda, certamente a moralidade da Casa do Povo será colocada em cheque, pois, permitir sua permanência é compactuar com o crime de agiotagem, é colocar o problema que mais tem assobrado o Maranhão dentro de um ambiente, que, teoricamente, deve haver honestidade.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Exclusivo! Veja a lista completa dos cheques apreendidos com Pacovan

O Blog do Neto Ferreira divulga agora, com exclusividade, a lista completa dos cheques, pastas com documentos de compra e venda de imoveis, cartões de crédito e de débito de políticos, prefeituras e empreiteiros encontrados pela Polícia Civil e pelo Grupo de Atuação Especial no Combate a Organizações Criminosas (Gaeco), no cofre do agiota Josival Cavalcanti da Silva, o Pacovan.

Entre os arrolados, destacam-se os nome do cunhado do deputado federal Zé Carlos da Caixa, UThan Avelino de Jesus Carvalho, do irmão do prefeito de Pedro Do Rosário, Domingos Erinaldo Sousa Serra, os vereadores de São Luís Roberto Rocha Júnior, Isaías Pereirinha e Prefeituras de Santa Inês e São Mateus.

Além deles, aparece também a empresa Agropol Agropecuária e Projetos, R2FC Engenharia e Arquitetura LT, Lindomar Alencar Pereira, Benilma de Jesus Martins e Alcino Automóveis Comis de Veículos.

CHEQUES

-Duas copias de cheques da Caixa Economica Federal em valores de R$ 160 mil e R$ 171 mil emitidos por Uthan Avelino de Jesus Carvalho

-Duas copias de cheques do Banco do Brasil dos valores de R$ 1.060,000,00 (hum milhão e sessenta mil reais) e outro de R$ 1.500,000,00 (hum milhão de quinhentos mil reais), emitidos por Domingos Erinaldo Sousa Serra;

-Vinte e Três Cópias de cheques do Banco do Brasil em valores diversos emitidos pela Prefeitura Municipal de Santa Inês ICMS;

-Um cheque do Banco do Brasil no valor de R$ 50.000,00(cinquenta mil reais) tendo como titular ZENILDE FRANCA RIBEIRO;

-Um cheque do Banco do Brasil,no valor de R$ 30.000,00(trinta mil reais)tendo como titular ZENILDE FRANCA RIBEIRO;

-Um cheque do banco do brasil,no valor de R$2.600,00(dois mil e seiscentos reais)tenho como titular SIDNEY ANDRE FRANCA RIBEIRO;

-Um cheque do banco do brasil, no valor de R$7.600,00(sete mil e seiscentos reais)tendo como titular SIDNEY ANDRE FRANCA RIBEIRO;

-Um chequedo banco do brasil, no valor de 5.00,00(cinco mil reais)tendo como titular SIDNEY ANDRE FRANCA RIBEIRO;

-Um cheque do banco real, no valor de 5.00,00(cinco mil reais)tendo como titular STEPHANE KAREN LIMA DOS SANTOS;

-Um cheque do banco do BRADESCO, no valor de 2.400,00(dois mil e quatrocebtos reais)tendo como titular PAULO ROBERTO PINTO LIMA;

-Um cheque do banco do brasil, no valor de R$95.000,00(noventa e cinco mil reaix)tendo como titular FACE ENGENHARIA
INCORPORAÇÕES E EMPREENDIMENTOS LTDA;

-Um cheque do banco do brasil, no valor de R$ 99.000,00(noventa e nove mil reais)tendo como titular LASTRO ENGENHARIA INCORPORAÇÕES LTDA;

-Um cheque do banco do brasil,no valor de 98.000,00(noventa e oitomil reais)tendo cmotitular LASTRO ENGENHARIA INCORPORACOES LTDA;

-Um cheque do banco do brasil,no valor de R$97.000,00(noventa e sete mil reais) tendo como titular LASTRO ENGENHARIA INCORPORACOES LTDA;

-Um cheque do banco do brasil, no valor de R$66.000,00(sessenta e seis mil reais)tendo como titular ROZIRES ARAUJO SILVA;

-Um cheque do banco do brasil, no valor de R$400.000,00(quatrocentos mil reais)tendo cmo titular BENILMA DE JESUS MARTINS MONTEIRO ME;

-Um cheque deo banco do brasil, no valor de R$60.000,00(sessenta mil reais)tendo como titular M S N DOS SANTTOS-ME;

-Dois cheque datados para o mês de março e abril do Banco do Brasil, cada um nos valores de R$106.607,00(cento e seis mil seiscentos e sessenta e sete reais) tendo como titular PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS MARANHÃO;

-Um cheque do banco do Brasil, no valor de R$120.000,00( cento e vinte mil reais) tendo como titular ROBERTO COELHO ROCHA JUNIOR;

-Um cheque do banco do Brasil, no valor de R$16.240,00(dezesseis mil e duzentos e quarenta reais)tendo como titular LUIZ ALVES DE LIRA;

-Um cheque da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, no valor de R$4.900,00 (quatro mil e novecentos reais) tendo como titular GPS CONSTRUCAO E LOCACAO LTDA ME;

-Um cheque Bradesco, no valor de R$11.200,00(onze mil e duzentos reais) tendo como titular EVERALDO ALVES SERRA;

-Um cheque do HSBC, no valor de R$50.000,00(cinquenta mil reais) tendo como titular N E TRANSPORTES E LOCACAO LTDA;

-Um cheque da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, no valor de R$250.000,00(duzentos e cinquenta mil reais) tendo como titular AGROPOL AGROPECUARIA E PROJETOS;

-Um cheque da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, NO VALOR DE R$50.000,00(cinquenta mil reais) tendo como titular AGROPOL AGROPECUARIA E PROJETOS;

-Um cheque da Prefeitura de Marajá do Sena, cidade administrada por Manoel Edvan Oliveira da Costa;

-Um cheque do banco SANTANDER, no valor de R$35.000,00(trinta e cinco mil reais) tendo como titular DANIEL DOS SANTOS MOTTA;

-Um cheque do banco SANTANDER,no valor de R$35.000,00(trinta e cinco mil reais) tendo como titular DANIEL DOS SANTOS MOTTA;

-Um cheque da CAIXA ECONOMICA FEDERAL, no valor de R$5.000,00(cinco mil reais) tendo como titular JOSE WELLINGTON DA SILVA LEITE;

-Um cheque do banco BRADESCO,no valor de R$2.600,00(dois mil e seiscentos reais)TAIS DANTAS DE SOUSA SILVA;

-Um cheque da CAIXA ECONOMICA FEDERAL, no valor de R$97.700,00(noventa e sete mil e setecentos reais) datado 10/04/15,tendo como titular PREMIER SERVICOS GERAIS LTDA;

-Um cheque da CAIXA ECONOMICA FEDERAL, no valor de R$97.700,00(noventa e sete mil e setecentos reais)datado 10/05/15,tendo como titular PREMIER SERVICOS GERAIS LTDA;

-Um cheque do BANCO DA AMAZONIA, no valor de R$21.000,00(vinte e um mil reais) tendo como titular ALCINO AUTOMOVEIS COMIS DE VEICUOS LTDA;

-Um cheque da CAIXA ECONOMICA FEDERAL, novalor de R$30.000,00(trinta mil reais)tendo como titular ALCINO AUTOMOVEIS COMIS DE VEICULOS LTDA;

-Um cheque da CAIXA ECONIMICA FEDERAL, no valor de R$61.000,00(sessenta e um mil reais)tendo comomtitular R2FC ENGENHARIA E ARQUITETURA LTDA;

-Um cheque da CAIXA ECONOMICA FEDERAL, no valor de R$99.993,14(noventa e nove mil novecentos e noventa e três reais e quatorze centavostendo comom titular R2F ENGENHARIA E ARQUITETURA LTDA;

-Um cheque do BANCO DO BRASIL,no valor de R$35.000,00(trinta e cinco mil reais)tendo como titular LINDOMAR ALENCAR PEREIRA;

-Comprovantes de vários depósitos datado 16.04.2015, tendo como conta favorecida COMERCIO DE C E P-JOYCE LTDA;

-Uma NOTA PROMISSORIA,no valor de R$30.000,00(trinta mil reais)emitida por RENATO COSTA MARREIRO;

-01(Uma) bolsa preta ; 01(uma) capa para documentos de veículos com inscrição “MARCOVEL VEICULOS”

-02(duas) chaves de veículo com chaveiro do BRADESCO;

-01(um) cartão de crédito VISA Itaú Uniclass;

APARELHOS ELETRÔNICOS

-Um aparelho de notebook,marca SAMSUBG,de cor branva;

-Uma fonte da marca SAMSING;

-Um aparelho de telefob e celular marca MULTILASER DUAL CORE;

DOCUMENTOS DIVERSOS

-Cópia de documentos do Ministério Publico Federal;

-Um instrumento particular de contrato, tendo como locadora NOSSO POSTO JOYCE II LTDA ME e Locatario M A LIBERIO & CIA LTDA;

-Uma escritura pública de compra e venda que nestas notas fazem Márcio Amado de nosso Posto Joyce II ltda ME;

-Uma procuração tendo como outorgante Benedito Ribeiro e sub estabelecido Wagner Policarpo Caldas Silva, e outros documentos referente a tal procuração;

-Documentos referentes a empresa Comercio De Derivado e Peproleo Joyce Ltda ME;

-Uma Agenda de Cor Presta;

-Uma Agenda de Cor Vermelha;

-Documentos Referentes A Bloqueio de Valor Junto ao Banco SANTANDER;

-Duas pastas de Cor Verde com Documentos diversos;

-Uma pasta Verde com escritura publica de compra e venda que faz Antônio Isaias Pereira Filho e sua esposa Maria de Faria Garcia Pereira, a Geraldo Valdonio Lima da Silva, do cartório do primeiro oficio extra judicial Luciane Castelo Branco Campos dos Santos de São José de Ribamar;

-Uma pasta verde contendo copias de documentos do cartório Alvim Brauna, e manuscrito “TERRENO BR-RUA BOMBA”;

-Uma pasta verde contendo documentos referentes a compra de um imóvel do valor de R$ 1.400 (hum milhão e quatrocentos mil reais);
-Uma pasta verde contendo copias de documento do cartório Alvim Brauna, e maniscruto “TERRENO – CASA BR”;

-Doze cópias de cheques do Banco do Brasil em valores diversos emitidos por J. Da S. Araújo Comercio;

-Uma planilha da empresa Comercio Derivado de Petróleo Joyce Ltd;

VEÍCULOS

-Um veículo Hilux cor Branca, placa OXU-3244, São Luís MA;

-Um veículo Toytota Corola, cor branca, sem placas (novo), chassi 9brbdwhe9g0260366, de ano 2015/2016;

-Um cartão Mercedes Service Card referente ao veicula de placa NWU-3720, da empresa M. Cavalcante da Silva Serviços ME;

IMPORTÂNCIA EM DINHEIRO

-R$ 1,249,00 (hum mil duzentos e quarenta e nove reais)

CARTÕES DE DÉBIDO E CRÉDITO

-Cartão de crédito ouro card empresarial Banco do Brasil, tendo como titular ADJF Morais e Aurileia J Morais;

-Cartão de crédito ouro card empresarial do banco do brasil tendo como titular ADJF Morais e Josival C da Silva;

-Cartão de crédito Ouro Card Black Banco do Brasil tendo como titular Aurileia JMorais;

-Cartão de Crédito ouro Card internacional tendo como titular Rafaely JS Carvalho;

-Cartão de crédito Empresarial Banco do Brasil tendo como titular Creudiane S. Carvalho;

-Cartão de crédito empresarial Banco do Brasil tendo como titular Gasolios ST Terezinha – Rafaely Js Carvalho;

-Cartão de Crédito Ouro Card Empresarial Banco do Brasil tendo como titular M Cavalcante – Construserve Ltda;

-Cartão de Crédito Empresarial Banco do Brasil tendo como titular Nosso Posto Joyce – Rafaely JS Carvalho;

-Cartão de Crédito Ouro Card Platinum Banco do Brasil Aurileia JF Morais;

-Cartão de Crédito Ouro Card Internacional Banco do Brasil, Aurileia JF Morais;

-Cartão de Crédito Ouro Card Banco do Brasil tendo como titular Aurileia JF Morais;

-Cartão de Crédito empresarial da Caixa Econômica Federal tendo como titular Maria C da Silva e M Cavalcante ME;

-Cartão de Crédito Empresaial Caixa Econômica Federal tendo colo titular Rafaely S. Carvalho;

-Cartão de Poupança Caixa Econômica Federal tendo como titular Creudiane Sousa Carvalho;

-Cartão de Crédito Turismo Internacional da Caixa Econômica Federal tendo como titular Creudiane Carvalho;

-Cartão de Conta corrente da Caixa Econômica Federal tendo como titular M Cavalcante da Silva SER;

-Cartão de Crédito Empresaial da Caixa Econômica Federal tendo como titular Maria C da Silva e M Cavalcante S ME;

-Cartão da Conta Corrente Internacional da Caixa Econômica Federal tendo como titular Creudiane Sousa Carvalho;

-Cartão de Crédito Empresarial Bradesco tendo como titular Josival Cavalcante e M Cavalcante da Silva;

-Cartão de Crédito empresarial Bradesco tendo como titular Maria Cavalcante da Silva e MM Cavalcante da Silva Com;

-Cartão de Crédito Empresarial Bradesco tendo como titular Ilzenir Sousa Carvalho e Comercio de Derivados;

-Cartão de Crédito Empresarial Bradesco BNDS tendo com titular Josival da Silva e M Cavalcante da Silva;

-Cartão de Crédito Amrican Expres tendo com o titular Ilzenir Carvalho e Comercios Derivados;

-Cartão de Crédito BNDES tendo como titular A de JF Morais e Aurileia Morais;

-Cartão de crédito e debito Banco Safra tendo como titular Rafaely de Jesus SO;

-Cartão de crédito do Banco Itau tendo como titular ADJF Morais e Comercio;

-Cartão de crédito Banco Itau tendo como titular Josival Cavlcante Silva Cartão de Credito e Debito Banco Santander – Van GoGh tendo com titular Josival C da Silva.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Veja a lista dos cartões de crédito e débito encontrados com agiota Pacovan

A Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), com apoio do Grupo de Atuação Especial no Combate a Organizações Criminosas (Gaeco), encontraram com o agiota Josival Cavalcanti da Silva, conhecido como Pacovan, 35 cartões de débito e crédito.

O Blog do Neto Ferreira teve acesso com exclusividade e divulga abaixo a lista:

-Cartão de crédito ouro card empresarial Banco do Brasil, tendo como titular ADJF Morais e Aurileia J Morais;

-Cartão de crédito ouro card empresarial do banco do brasil tendo como titular ADJF Morais e Josival C da Silva;

-Cartão de crédito Ouro Card Black Banco do Brasil tendo como titular Aurileia JMorais;

-Cartão de Crédito ouro Card internacional tendo como titular Rafaely JS Carvalho;

-Cartão de crédito Empresarial Banco do Brasil tendo como titular Creudiane S. Carvalho;

-Cartão de crédito empresarial Banco do Brasil tendo como titular Gasolios ST Terezinha – Rafaely Js Carvalho;

-Cartão de Crédito Ouro Card Empresarial Banco do Brasil tendo como titular M Cavalcante – Construserve Ltda;

-Cartão de Crédito Empresarial Banco do Brasil tendo como titular Nosso Posto Joyce – Rafaely JS Carvalho;

-Cartão de Crédito Ouro Card Platinum Banco do Brasil Aurileia JF Morais;

-Cartão de Crédito Ouro Card Internacional Banco do Brasil, Aurileia JF Morais;

-Cartão de Crédito Ouro Card Banco do Brasil tendo como titular Aurileia JF Morais;

-Cartão de Crédito empresarial da Caixa Econômica Federal tendo como titular Maria C da Silva e M Cavalcante ME;

-Cartão de Crédito Empresaial Caixa Econômica Federal tendo colo titular Rafaely S. Carvalho;

-Cartão de Poupança Caixa Econômica Federal tendo como titular Creudiane Sousa Carvalho;

-Cartão de Crédito Turismo Internacional da Caixa Econômica Federal tendo como titular Creudiane Carvalho;

-Cartão de Conta corrente da Caixa Econômica Federal tendo como titular M Cavalcante da Silva SER;

-Cartão de Crédito Empresaial da Caixa Econômica Federal tendo como titular Maria C da Silva e M Cavalcante S ME;

-Cartão da Conta Corrente Internacional da Caixa Econômica Federal tendo como titular Creudiane Sousa Carvalho;

-Cartão de Crédito Empresarial Bradesco tendo como titular Josival Cavalcante e M Cavalcante da Silva;

-Cartão de Crédito empresarial Bradesco tendo como titular Maria Cavalcante da Silva e MM Cavalcante da Silva Com;

-Cartão de Crédito Empresarial Bradesco tendo como titular Ilzenir Sousa Carvalho e Comercio de Derivados;

-Cartão de Crédito Empresarial Bradesco BNDS tendo com titular Josival da Silva e M Cavalcante da Silva;

-Cartão de Crédito Amrican Expres tendo com o titular Ilzenir Carvalho e Comercios Derivados;

-Cartão de Crédito BNDES tendo como titular A de JF Morais e Aurileia Morais;

-Cartão de crédito e debito Banco Safra tendo como titular Rafaely de Jesus SO;

-Cartão de crédito do Banco Itau tendo como titular ADJF Morais e Comercio;

-Cartão de crédito Banco Itau tendo como titular Josival Cavlcante Silva Cartão de Credito e Debito Banco Santander – Van GoGh tendo com titular Josival C da Silva.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Agiotas movimentaram mais de R$ 4 milhões em Bacabal

Foi apresentado, na tarde desta terça-feira (19), o relatório parcial da quarta operação deflagrada somente em 2015 pela Polícia Civil no combate ao crime de agiotagem envolvendo prefeituras do Maranhão. Nesta etapa, o alvo foi a Prefeitura de Bacabal. Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária e um de condução coercitiva.

Ex-prefeito de Bacabal sendo conduzido pelos policias.

Ex-prefeito de Bacabal sendo conduzido pelos policias.

Foram presos o ex-prefeito de Bacabal, Raimundo Nonato Lisboa; o ex-presidente da Câmara dos vereadores de Bacabal, Manoel Moura Macedo; o ex-presidente da Comissão de Licitação, Aldo Araújo de Brito; e o dono de uma distribuidora de medicamentos, Francisco de Jesus Silva Soares. Também, foi cumprido um mandado de condução coercitiva em desfavor da ex-secretária Municipal de Cultura de Bacabal, Maria do Carmo Xavier. Todos foram conduzidos à sede da Seic.

O resultado da operação foi apresentado em coletiva de imprensa, na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP). Participaram da coletiva, o delegado geral, Augusto Barros; o adjunto da Polícia Civil, Lawrence Melo; e o promotor de Justiça do Ministério Público, Valentim Pinheiro.

A operação é coordenada pela Comissão de Investigação de Agiotagem, da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), com apoio do Grupo de Atuação Especial no Combate a Organizações Criminosas (Gaeco), do Ministério Público. Iniciada na terça-feira (19), a operação foi denominada ‘El Berite’, nome hebraico, que significa ‘Deus de Concreto’, em alusão a uma das empresas usadas para desviar recursos públicos. A ação é mais uma etapa no combate ao crime de agiotagem envolvendo prefeituras do Maranhão. Esta é a terceira operação desencadeada no mês de maio e a quarta deste ano. O delegado geral informou que mais de R$ 4 milhões foram movimentados de forma irregular.

De acordo com o delegado geral da Polícia Civil, Augusto Barros, a operação El Berite é mais uma etapa no combate à agiotagem no Maranhão, envolvendo várias empresas, inclusive de construção civil. “As operações são parte da política de combate à corrupção do governo Flávio Dino. Nosso objetivo é responsabilizar gestores, ex-gestores públicos e particulares que formam quadrilhas especializadas em fraudar processos licitatórios e desviar recursos públicos”, pontuou. O delegado geral destacou que essa etapa ainda não foi concluída, e que diligências ainda estão sendo realizadas no interior. “O objetivo é localizar determinadas pessoas para ouvi-las e interroga-las” informou.

O promotor de Justiça Valentim Pinheiro, destacou a atuação conjunta da Polícia Civil com o Ministério Público. “Parceria de algum tempo e que estamos mantendo com resultados muito satisfatórios. Além da prisão dos envolvidos, foi realizado o sequestro e bloqueio dos bens dos presos”, evidenciou.

Combate contínuo à agiotagem

No dia 5 de maio foram deflagradas as operações ‘Morta-Viva’ e ‘Maharaja’, envolvendo as prefeituras dos municípios de Marajá do Sena, Bacuri e Zé Doca, que culminou com as prisões do prefeito de Bacuri, Richard Nixon Monteiro dos Santos; o prefeito e o ex-prefeito de Marajá do Sena, Edvan Costa e Perachi Roberto Moraes, respectivamente; o contador da Prefeitura de Marajá do Sena, José Epitácio Muniz Silva, o Cafeteira; e Josival Cavalcanti da Silva, o Pacovan, apontado como agiota nas investigações.

A 1ª operação deflagrada neste ano no combate ao desvio de recursos públicos ocorreu no dia 31 de março, denominada ‘Imperador’. A ação culminou com a prisão temporária da ex-prefeita de Dom Pedro, Arlene Barros; e do filho dela, Eduardo Barros, apontado nas investigações como o líder do grupo.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bomba! Cheque de assessor de Márcio Jerry foi encontrado no cofre do agiota Pacovan

Jerry, Flávio Dino, a ex-prefeita e o filho José Leite.

Jerry, Flávio Dino, a ex-prefeita e o filho José Leite.

A Polícia Civil e o Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), que investigam o crime de agiotagem no Maranhão, encontraram na casa do agiota Josival Cavalcanti da Silva, conhecido como Pacovan, um cheque de José Wellington da Silva Leite, hoje um dos principais assessores da Secretaria de Estado de Articulação Política, comandada pelo comunista Márcio Jerry.

O documento obtido com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira, até então na revelado, é do Banco da Caixa Econômica Federal. Os policias e o promotor de Justiça Marco Aurélio, da Gaego, vão investigar as razões do cheque do assessor está no cofre do agiota mais famoso do Maranhão.

Filho da ex-prefeita do município de Vargem Grande, Maria Aparecida da Silva Ribeiro, José Wellington da Silva Leite, foi nomeado na Articulação Política do Governo no dia 1º de janeiro (veja abaixo), no cargo de Superintendente, com a simbologia DANS-1. Maria Aparecida responde processo na Justiça por crime de responsabilidade, em um convênio firmado com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento das Cidades.

Em contato com o titular do Blog, o secretário Márcio Jerry disse que só pode se manifestar após conhecimento oficial do caso. Ele Ele disse que não pode agir a partir de uma informação extra oficial, por mais que confie na fonte.

Operações contra agiotagem

No último dia 4 de maio, as Operações “Maharaja” e “Morta-Viva” resultaram na prisão dos prefeitos de Bacuri, Richard Nixon dos Santos; de Marajá do Sena, Edvan Costa; o ex-prefeito de Zé Doca, Raimundo Nonato Sampaio, o Natim; e o ex-prefeito de Marajá do Sena, Perachi Farias; o contador da prefeitura de Marajá do Sena, José Epitácio Muniz, o Cafeteira e Josival Cavalcanti, o Pacovan, apontado nas investigações como agiota, também foi preso e teve cerca de R$ 7 milhões apreendidos.

As investigações sobre Josival Cavalcanti apontam que ele utilizava empresas em nomes de terceiros para se favorecer com negócios em diversas atividades nas prefeituras, como fornecimento de merenda escolar, de medicamentos e material escolar e também em obras. Nas buscas no escritório de Pacovan, na Ceasa, foram apreendidos cartões e declarações de imposto de renda das pessoas utilizadas para abertura de empresas. Um detalhe é que o endereço dessas pessoas informado à Receita Federal é o mesmo de Josival Cavalcanti.

O depoimento do contador José Epitácio Muniz reforça a atuação do esquema criminoso por meio de “empresas laranjas” em contratos com as prefeituras. Muniz confessou ter criado pelo menos quatro empresas para o esquema. Dependendo da área de atuação, existiam “pastas” prontas para serem utilizadas nos negócios, como merenda escolar na Educação, medicamentos na Saúde e Obras.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bomba! Cheques de construtoras encontrados com agiota Pacovan ultrapassam R$ 1 milhão

Osvaldino Pinho e Ana Raquel Pinho, sócios-diretores da Lastro Engenharia.

Osvaldino Pinho e Ana Raquel Pinho, sócios-diretores da Lastro Engenharia.

Um bolo de cheques de empresas do ramo da construção civil encontrados no cofre do agiota Josival Cavalcante da Silva, o Pacovan, somados ultrapassam R$ 1 milhão de reais. Pelo menos nove folhas de empreiteiras foram apreendidas nas Operações “Maharaja” e “Morta-Viva”.

Dos cheques levados na busca e apreensão aparece dois do Banco do Brasil que foram dados pela Engenharia Incorporações e Empreendimentos Ltda., sob os valores de R$ 814 mil (oitocentos e quatorze mil reais) e R$ 95 (noventa e cinco mil reais).

Outra Construtora que emitiu cheques do Banco do Brasil foi a Lastro Engenharia e Incorporações Ltda., de propriedade de Osvaldino Pinho e Ana Raquel Pinho. Pacovan tinha três cheques de R$ 99 (noventa e nove mil reais), R$ 98 (noventa e oito mil reais) e R$ 97 (noventa e sete mil reais).

A GPS Construções e Locação Ltda., teve cheque da Caixa Econômica Federal também encontrado no cofre no valor de R$ 4.900,00 (quatro mil e novicentos reais). A empresa N E Transporte e Locações Ltda., deu cheque do Banco HSBC no valor de R$ 50 (cinquenta mil reais).

Por ultimo, a R2FC Engenharia e Arquitetura Ltda., teve dois cheques capturados da Caixa Econômica Federal no valor de R$ 61 (sessenta e um mil reais), datados em 27 de abril deste ano e outro de R$ 99.993,14 (noventa e nove mil novecentos e noventa e três reais e quatroze centavos), datado em 18 de maio.

A Polícia Civil e o Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) apontam que Josival Cavalcante da Silva, o Pacovan, mantinha em sua residencia cheques de construtoras que totalizam R$ 1,3 milhão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.