Poder

Professores chegam ao 13° dia de ocupação na sede da Prefeitura de São Luis

Professores acorrentados

Professores acorrentados

Edivaldo Júnior parece realmente não se importar com o verdadeiro quadro de precariedade que São Luis se encontra, além da infraestrutura, a educação das crianças de escolas municipais foram esquecidas pelo mesmo. O respeito pelos educadores também não existe durante a sua gestão.

Nesta terça-feira (27), os professores chegam ao 13º dia de ocupação na Prefeitura de São Luís, no Palácio La Ravardière. Segundo o sindicato, os professores continuarão a ocupação até as reivindicações serem atendidas. A última conversa de negociação entre a Prefeitura e os grevistas aconteceu no dia 20 e nada foi solucionado.

Segundo a categoria, que pedia um reajuste salarial de 20%, baixaram o acordo para 11,32%, mas mesmo assim o município não apresentou uma contraproposta. A presidente do SindEducação, Elisabeth Ribeiro, se reuniu na manhã desta última segunda-feira (25) com representante do Ministério Público e disse ter cobrado respostas rápidas da prefeitura e afirmou que a categoria irá aguardar uma solução positiva até quarta-feira.

O secretário municipal de Educação de São Luís, Geraldo Castro Sobrinho, alegou que a prefeitura já concordou em atender a algumas reivindicações dos professores, no entanto, sobre o reajuste salarial, diz que o assunto está sendo debatido. A greve completa nesta terça-feira 94 dias, já que foi iniciada no dia 22 de maio, e que a adesão é de 80%.

O Tribunal de Justiça do Maranhão declarou a paralisação ilegal por ter sido deflagrada durante a negociação e não observar o requisito de manutenção mínima de trabalhadores.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cidade

Professores declaram greve de fome ao 6° dia de ocupação na prefeitura

Na terça-feira de hoje (19), professores da rede municipal de São Luís chegam ao 6° dia de ocupação na prefeitura. Acorrentados, declararam nesta manhã greve de fome com o objetivo de pressionar a prefeitura a retomar diálogo.

Sem nenhum tipo de resposta positiva do prefeito Edivaldo Junior ou do secretário de educação do município, Geraldo Castro Sobrinho, a categoria afirma que continuará em greve permanente.

O motivo do ato pacífico declarado nesta manhã (19) foi a ausência do secretário de educação em uma reunião marcada na segunda-feira às 11:00 horas que enviou dois representantes que avisaram sobre uma elaboração de contraproposta aos professores.

Cerca de 500 professores se reunirão na segunda-feira(18) em uma assembleia na prefeitura e decidiram continuar a greve até que suas exigências sejam atendidas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.