Cidade

Morre o pai do reitor da UFMA

O auditor Natalino Salgado, faleceu na manhã desta segunda-feira (27), aos 94 anos, no Hospital Universitário (HU). Salgado teve problemas cardíacos.

Salgado foi ex-presidente da Câmara de Vereador da cidade de Cururupu Ele é pai do empresário Afonso Salgado, do ex-prefeito de Pindaré Mirim, Henrique Salgado e do reitor da UFMA, Natalino Salgado.

O corpo está sendo velado na Central Pax União, à rua Oswaldo Cruz. O enterro acontecerá às 16h no Cemitério do Gavião.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

De poesia e de arte também se vive

Por Natalino Salgado Filho

Natalino Salgado.

Natalino Salgado.

A Universidade, desde seus primórdios, no distante século XII, quando a Europa vivenciou um renascimento cultural e comercial, político e social – o que coincidiu com a consolidação dos primeiros burgos, que mais tarde se tornaram cidades – sempre foi um território da liberdade, expressão, construção e conservação do saber.

Naquele momento, com o choque da cultura oriental (especialmente representada pelos árabes, os quais tinham na Universidade do Cairo sua principal referência) e da ocidental (herdeira do patrimônio tecnológico, político e organizacional greco-romano), inicia-se uma vertiginosa produção de centros de conhecimento por todo o Velho Continente. A primeira universidade nasceu na cidade de Bolonha, Itália, em 1088. No ano do descobrimento do Brasil, já havia setenta universidades na Europa.

Esses centros conservaram tesouros e riquezas que legaram a nós, tantos séculos depois, um espírito inquieto, aberto e promotor de ideias que revolucionaram nosso mundo e continuam, ainda hoje, sendo centros aglutinadores de mentes que atuam na fronteira das mudanças.

A Universidade brasileira é muito jovem. Apenas com a vinda da família real, em 1808, o Brasil teve seus primeiros cursos organizados no que, posteriormente, se tornaria uma universidade na antiga capital, o Rio de Janeiro. O início do século XX registra a organização da maioria das universidades por todos os Estados brasileiros. Assim, a UFMA – que tem apenas 46 anos – sente-se herdeira de uma longa história do conhecimento, da cultura, do saber e do encanto com as artes. Ainda mais porque nossa cidade representa um caleidoscópio de fontes culturais que dão um perfil múltiplo e único às nossas manifestações.

E é justamente sobre esse aspecto – além das realizações e de todos os feitos que foram protagonizados por nossa Universidade no Maranhão e no Brasil – que cabe destacar o que pode ser chamado de pequeno renascimento na valorização das artes no ambiente da Cidade Universitária.

Os cursos de Artes Visuais, Teatro e Música, ao lado de Letras, compõem o pano de fundo de uma realidade mais antiga, de um anseio e impulso que sempre esteve presente na UFMA, especialmente por meio do Departamento de Assuntos Culturais (DAC), que, ao longo do tempo, marcou sua atuação com projetos grandiosos como, por exemplo, o Festival Maranhense de Corais (Femaco), o Guarnicê de Cinema – agora em sua 35ª edição – e, além disso, com exposições de arte, concursos de poesia e literatura, sempre no intuito de estimular a criatividade, despertar a sensibilidade e possibilitar ricos momentos de interação cultural para engrandecer corações e ouvidos atentos. A esse respeito, Ruy Barbosa preconiza que “não é possível estar dentro da civilização e fora da arte”.

A Universidade Federal do Maranhão, além de estar voltada para a pesquisa, o ensino e a extensão – razão de ser de um ambiente universitário -, sempre buscou um equilíbrio entre a valorização pessoal e profissional de todos que fazem parte da universidade e uma moderna (e necessária) reformulação urbanística e predial aliada a espaços exclusivos para a manifestação das artes, como a Concha Acústica. Painéis de artistas maranhenses emolduram agora as paredes de parte do conjunto arquitetônico da UFMA. Ambientam o concreto, humanizam-no, revelam mensagens novas e releituras de obras clássicas. Tudo isso se faz valorizando o artista da terra.

Em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e com os Ministérios da Educação e do Turismo, alguns de nossos prédios históricos estão sendo recuperados, entre eles: o Palácio Cristo Rei; o Fórum Universitário, que abriga o Mestrado em Direito; e, em fase final de recuperação, a Fábrica Santa Amélia, referencial para os estudantes de Turismo e Hotelaria. Também há projetos em andamento para o Palacete Gentil Braga, sede do DAC, e para o Palácio das Lágrimas. No final de fevereiro, a UFMA foi palco do I Festival de Arte Contemporânea, que reuniu uma multifacetada manifestação artística através das mais diversas linguagens. A programação foi além do espaço universitário, pois também aconteceu em galerias, centro de artes e ambientes públicos.

Rubem Alves diz que toda alma é uma música que se toca. E foi a partir do intento de eternizar em acordes os sentimentos, aspirações e desejos vividos nas almas e pensamentos daqueles que viveram (ou vivem) no ambiente universitário é que foram publicados editais. Um deles destinou-se à criação do hino da instituição – o qual foi tocado pela primeira vez durante a realização da SBPC em São Luís, no ano passado, entoado pelo Coral da Universidade, cuja autoria é de Gabriel Asafe Veloso Costa, aluno do curso de Música/UFMA. O outro objetiva a escolha de uma canção de despedida do estudante egresso, a qual possa traduzir o vigor e o colorido da rica experiência universitária(Edital nº 14/2013 Pró-Reitoria de Extensão/PROEX/UFMA). Espera-se que essa canção vencedora marque a vida e história de todos aqueles que passarem pelas salas de aula com as esperanças vivas de seus verdes anos. Pois, como bem lembra Jorge Luis Borges, a música sabe o que sentimos.

Conservar eventos tradicionais, motivar e criar novas experiências artísticas – esta é uma missão da Universidade. Afinal, conforme nos diz Fernando Pessoa: “viver não é preciso”. E nada mais revela com acurácia esta realidade humana do que a (imprecisa) arte. A Universidade Federal do Maranhão vivencia esse despertar. Recordo aqui uma imagem-mensagem de um Cristo em posição ascensional, não o crucificado, que guardo com carinho no gabinete da reitoria. Ele é um símbolo do novo, do nascente, da esperança sempre presente, representativo – e por que não dizer – da nova vida dessa Instituição.

Doutor em Nefrologia, reitor da UFMA, membro do IHGM, da ACM, AMC e da AML


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Atenção, Natalino Salgado! Ufma é recomendada a divulgar vagas ociosas dos cursos de graduação

O Ministério Público Federal (MPF/MA) recomendou à Universidade Federal do Maranhão (Ufma) que realize o cálculo do número de vagas ociosas nos cursos de graduação da Universidade e disponibilize os dados em sua página eletrônica.

A recomendação foi feita pela procuradora regional dos direitos do cidadão no Maranhão, Ana Karízia Távora Teixeira, que constatou, conforme inquérito civil público que tramita na Procuradoria da República no Maranhão (PR/MA), que a Ufma não vem realizando com regularidade o cálculo da quantidade de vagas ociosas em seus cursos de graduação e a divulgação dos dados apurados.

Para Ana Karízia, “tal atitude compromete a transparência dos processos de seleção e chamada dos candidatos às vagas ociosas”. Na recomendação, a procuradora quer que o levantamento das vagas ociosas seja feito semestralmente, e os dados sejam divulgados no endereço eletrônico da Instituição, dentro de 10 dias úteis.

A recomendação foi encaminhada à Ufma no dia 07 de fevereiro, e a instituição terá 15 dias para manifestar se irá tomar as providências. O não atendimento implicará na adoção de medidas legais pertinentes.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Alfabetização, primeiro passo para o desenvolvimento

Por Natalino Salgado Filho

No famoso romance O Leitor, do escritor alemão Bernhard Schlink – que foi adaptado às telas com a atriz Kate Winslet, ganhadora do Oscar em 2009 por esse trabalho –, um drama se instala a partir do analfabetismo da personagem Hanna, que, envergonhada dessa condição, sofre consequências terríveis.

Assim como ela, milhares de maranhenses enfrentam o drama diário de se sentirem excluídos de um mundo de possibilidades que a leitura proporciona, seja no aspecto pessoal, seja no profissional. Os números de 2011, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram o quanto o nosso Estado precisa avançar mais nessa luta, pois revelam que ainda existem aqui cerca de um milhão de analfabetos. De acordo com esses dados, entre as cidades com o maior número de analfabetos no Estado estão Belágua (36,64%), Marajá do Sena (36,58%), São João do Sóter (36,04%) e Aldeias Altas (35,1%).

São números alarmantes, principalmente quando se sabe que, aliado ao analfabetismo, invariavelmente está presente a pobreza. Não por acaso, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado/MA, deputado Arnaldo Melo, citou em seu discurso, na sessão solene de abertura dos trabalhos legislativos, no último dia 4 de fevereiro, que “(…) não podemos mais suportar que a região leste, que não é diferente das outras, mas se agrava um pouco mais na regional de Caxias, que abrange São João do Sóter, Caxias, Aldeias Altas, Afonso Cunha, Coelho Neto, naquela região, enfim, que tenhamos mais de 71% do nosso povo rural na extrema linha de pobreza recebendo menos de R$ 70,00 por mês”.

Diante desse quadro, a UFMA – fiel à sua missão de ser uma instituição inclusiva e preocupada com as grandes questões que dizem respeito ao crescimento de nosso Estado – irá lançar, no próximo dia 18, o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), com a participação também de representantes dos governos Estadual e Municipal. A iniciativa do Pacto partiu do Ministério da Educação, que estabeleceu como meta que o Maranhão alfabetize todas as crianças até os oito anos de idade que estejam no terceiro ano do ensino fundamental.

Os detalhes do lançamento do evento foram acertados durante a semana que passou, numa grande reunião realizada na reitoria da UFMA, na qual o secretário de educação estadual, Pedro Fernandes, declarou à ocasião que o Maranhão ainda tem 19,1% de analfabetos e que sua meta é reduzir esse índice para 9,1% até 2015.

Quanto ao Pacto, cabe destacar o papel dos professores da UFMA que atuarão na formação dos professores orientadores. São estes que terão a responsabilidade, numa segunda fase, para capacitar os formadores que vão desenvolver as atividades de ensino nos moldes atualizados do processo de ensino-aprendizagem.

No Maranhão, o PNAIC envolve 6 (seis) polos: Imperatriz (34 municípios), São Luís (43 municípios), Pinheiro (42 municípios), Caxias (17 municípios), Presidente Dutra (32 municípios) e Bacabal (33 municípios). Os números são gigantescos: estarão envolvidos 938 professores orientadores e 32 professores formadores para alfabetizar 22 mil e 571 alunos de 201 municípios maranhenses.

Afora esse grande pacto, a UFMA trabalha ainda com a formação dos professores do ensino básico e com os programas PARFOR, Educação no Campo, PRONERA e PROEB. Em seis câmpus – São Bernardo, Bacabal, Pinheiro, Codó, Grajaú e Imperatriz –, nas mais diversas licenciaturas, com duração de dois e quatro anos, já alcançamos quase mil alunos em capacitações que envolvem as ciências da natureza, ciências humanas e linguagens, códigos e suas tecnologias.

Temos a preocupação ainda de inserir os nossos Professores Doutores nas realidades de cada uma dessas regiões, valorizando o modo de viver e a cultura de sua gente. Desenvolvemos, em parceria com o IPHAN, uma formação que abrange duas turmas de professores em Alcântara, que já vai para o terceiro ano, da 5ª à 8ª série do Ensino Fundamental, cujo foco é a identidade cultural, que beneficia a região com melhoria da autoestima de seus moradores, gerando ainda oportunidade de emprego e renda.

Trata-se de um projeto ímpar no Brasil, pois estimulamos as crianças a conhecerem mais de sua realidade e a valorizá-la com cartilhas educativas, preparadas por uma equipe multidisciplinar de professores das áreas da Sociologia, Arte, História e Geografia.

Os dados aqui já expostos e avaliados na reunião para o Pacto que será lançado precisam ser vistos à luz do momento pelo qual passa o país e mais precisamente o Maranhão. Mais do que nunca, a educação foi tão necessária como insumo primordial ao desenvolvimento. Vivemos, ao mesmo tempo, a era industrial plena e a pós – industrial. Em ambas as situações, pede-se um tipo particular de trabalhador, aquele que mais adquiriu experiência em sua formação acadêmica. O prejuízo social e econômico, que a situação do analfabetismo maranhense causa, terá repercussões por gerações, se não for enfrentado agora.

Fala-se em apagão de mão de obra no país, e este é um dos mais perversos “Custo Brasil” que se pode relacionar, mais graves que os estruturais e fiscais, dos quais se fala tanto. O Maranhão vive um período de descobertas de gás e petróleo, xisto e ouro, explorações que tendem a, em poucos anos, se estabelecerem numa cadeia industrial extensa, catalisadora de investimentos em grande proporção, ampliação da infraestrutura das cidades, promotora do desenvolvimento de serviços com grande geração de empregos.

Acredito que o Pacto é um bom começo, pois uma sociedade em que inexistam analfabetos é o sonho de todos aqueles que amam e valorizam a educação, e deve ser o alvo do máximo de instituições no Estado, por vários anos, independente das mudanças políticas e democráticas naturais e necessárias em suas administrações.

Natalino Salgado é doutor em Nefrologia, reitor da UFMA, membro do IHGM, ACM, AMC


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Absurdo! Professor que denunciou fraude na UFMA é exonerado

Ayala Gurgel, ex-professor da UFMA.

Ayala Gurgel, ex-professor da UFMA.

O reitor da UFMA, Natalino Salgado, deve explicar quais motivos levaram o professor Wildoberto Batista Gurgel que denunciou a fraude de notas em cursos da Universidade Federal do Maranhão, a ser exonerado.

Na época, o Blog do Neto Ferreira foi quem deu amplo destaque a denúncia que gerou repercussão em blogs, portais e tvs locais.

Ocorre que, dos 41 conselheiros do Conselho Universitário da UFMA, 28 optaram pela exoneração da instituição do professor Ayala Gurgel. Um verdadeiro absurdo!

A atitude dos conselheiros é classificada como afronta as diretrizes da constituição. Gurgel foi simplesmente exonerado por denunciar irregularidades que vêm ocorrendo dentro da UFMA.

Ao que parece, há um corporativismo na UFMA que faz o reitor Natalino Salgado fechar os olhos diante supostas ilicitudes.

Abre o olho Natalino Salgado.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Excelência no Continente

Por Natalino Salgado Filho

O campus da Universidade Federal do Maranhão em Imperatriz acaba de alcançar um grande êxito do ensino público: um de seus cursos, o de Engenharia de Alimentos, conquistou do MEC a nota 4, de um máximo de 5, em avaliação realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. Esta nota é resultado de um conjunto de fatores, tais como infraestrutura da instituição, qualidade do corpo docente – formado por mestres e doutores – e o resultado do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE).

Natalino Salgado.

Natalino Salgado.

Só a título de esclarecimento, o Índice Geral de Cursos é a ponderação destes valores que, por fim, geram a nota que classifica o curso em faixas de qualidade, tanto os de graduação como também os de pós-graduação. Notas entre 1 e 2 refletem um nível insatisfatório de formação. A nota 3 revela a qualidade regular e, a partir da nota 4, o curso entra na faixa de excelência.

O curso de Engenharia de Alimentos – mesmo considerando que tenha apenas formado duas turmas, tendo iniciado suas atividades em 2006 – tornou-se, com esta avaliação realizada em dezembro passado, o melhor em sua categoria de todo o Norte e Nordeste do país. No ranking nacional, é o sétimo melhor curso do Brasil.

Trata-se de um feito digno de comemoração para todos nós que fazemos a UFMA e em especial, para os professores, alunos e técnicos ligados à área. Também é motivo de orgulho e comemoração para Imperatriz, segunda maior cidade do estado e uma das mais populosas do Brasil, onde habita um povo hospitaleiro, honesto e trabalhador. Depois de atravessar os ciclos econômicos do arroz, da madeira, da castanha e da borracha e até do ouro, Imperatriz consolidou uma forte tendência empresarial, com um mercado imobiliário em franca expansão e abertura de novos e promissores negócios. Em breve, terá em pleno funcionamento uma unidade da fábrica da Susano, gigante mundial do setor de papel e celulose, que anuncia ter a capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas/ano de celulose para exportação e de geração de aproximadamente 15 mil empregos.

Inconteste, pois, que o curso de Engenharia de Alimentos coaduna-se com a própria vocação não apenas de Imperatriz, mas da região sul do Maranhão, grande produtora de alimentos, além de destacar-se na agricultura e pecuária. A formação desse tipo de mão de obra especializada contribuirá para o salto do processo produtivo do setor primário para níveis maiores, agregadores de valor e geração de empregos.

Acredito que o profissional de Engenharia de Alimentos – principalmente com esse nível de excelência que o curso da UFMA agora alcança – está apto a trabalhar não apenas com o processo de produção dos alimentos, passando pela conservação, acondicionamento (embalagem) e transporte, criação de novos produtos (a partir dos perfis de mercado), mas na solução de problemas que hoje representam um grande desafio no mundo todo. Um dos maiores, sem dúvida, é o desperdício de alimentos.

Tal questão é tão grave que um relatório publicado no início deste mês, pelo Instituto de Engenheiros Mecânicos da Inglaterra afirma que 50% – cerca de 2 bilhões de toneladas – de todo o alimento produzido no mundo não chega ao estômago das pessoas. O relatório chama esta situação de “a tragédia do desperdício”.

As razões alegadas são diversas: baixo índice de tecnologia na produção; infraestrutura inadequada no transporte; falta de boas instalações de armazenamento e ainda, particularmente nos países ricos, a cultura comercial dos varejistas que estabelecem padrões estéticos rigorosos para a apresentação dos produtos – eles chegam a condenar produções inteiras -; e a política de vendas que induz o consumidor a comprar mais do que necessita. A mesma pesquisa afirma que as pessoas descartam cerca de 50% do que compram nos países desenvolvidos. O mais preocupante de tudo isso, afirma o relatório, é que nos países emergentes como o Brasil é onde se concentram as maiores parcelas de desperdício do alimento produzido.

Se tão somente esta questão fosse resolvida, a disponibilidade de alimentos poderia dobrar para as pessoas no mundo. A ONU estima que até o final do século XXI haverá 3 bilhões de pessoas a mais no planeta, o que pressionará enormemente a demanda por comida, energia, terra e água. Estes três insumos fundamentais na produção de alimentos, como se sabe, são finitos e apenas com seu uso sábio, o que significa dizer, com tecnologia já disponível, pode-se alimentar a população inteira da terra. Estima-se que só o Brasil perca cerca de 30% de toda a produção agrícola apenas no transporte. Nosso país, que ocupa lugar destacado no cenário mundial, especialmente como grande produtor de alimentos tem, por outro lado, graves problemas de desperdício. Mais do que desafios do mercado, são estímulos para que os engenheiros e as engenheiras de alimentos possam trabalhar de forma denodada na pesquisa e no oferecimento de respostas capazes de proporcionar um futuro melhor e mais confortável para todos.

Quanto ao nobre reconhecimento que o curso de Engenharia de Alimentos agora alcança, é importante ressaltar que nenhuma vitória é fruto de um esforço solitário: deve-se ainda esta conquista ao trabalho sério e determinado de qualificação por parte da UFMA na formação discente; no incentivo àqueles que sonham em realizar uma formação universitária com nível de excelência e que contam cada vez mais com um leque diversificado de opções profissionais na variada e rica grade de cursos que nossa universidade oferece; e ainda ao conjunto de esforços que começa na própria política de interiorização da UFMA, focada em expandir o acesso ao ensino público gratuito e de qualidade aos mais diversos rincões de nosso gigantesco estado.

O ideal perseguido é propiciar aos diversos campi instalados, alguns dos quais agora estão sendo ampliados, essa mesma experiência exitosa, na certeza de que atenderão não só à demanda de crescimento do Estado, mas serão a própria base onde este desenvolvimento se apoiará. Incentivar o ensino, a pesquisa, a extensão, sem perder de vista sua vocação para a inclusão é o que justifica a existência da universidade.

A todas e a todos que protagonizaram a conquista dessa nova realidade do curso de Engenharia de Alimentos, meus mais sinceros parabéns.

Doutor em Nefrologia, reitor da UFMA e membro do IHGM, ACM, AMC e da AML


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Ricardo Murad deixará Hospital Universitário em colapso

Segundo o blog do Jorge Vieira, os serviços como transplantes de rins e de córneas, hemodiálise, cirurgias de catarata e glaucoma poderão ser reduzidos e até interrompidos nos próximos dias com a devolução ao Governo do Estado de 121 servidores (dos quais 44 médicos) que estão à disposição do Hospital Universitário Presidente Dutra – administrado pela Universidade Federal do Maranhão (Ufma). É que o secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad enviou ofício do diretor-geral do HU, médico Vinicius Nina, para que no prazo de 60 dias (a contar de 25 de julho) todos os servidores estaduais sejam devolvidos.

Ricardo Murad secretário de Saúde do Estado

Ricardo Murad secretário de Saúde do Estado

Pacientes e demais usuários do Hospital Presidente Dutra já manifestam preocupação, pois deixarão de ser atendidos em diversos serviços.

Dirigentes e funcionários da unidade hospitalar consideram curto o prazo para a devolução dos servidores ao governo do Estado. Os funcionários em questão são profissionais treinados e especializados pela Ufma, muitos prestam serviços ao HU há mais de 10 anos e a medida vai atingir, sobretudo, as camadas mais pobres da população, majoritariamente usuárias desses serviços.

O Hospital Dutra presta serviços de alta complexidade, a maioria referência no Estado, e atende camadas de baixa renda do interior e da capital. Há anos, Os Hospitais Universitários de todo o país enfrentam problema de pessoal, por falta da realização de concurso público para atender a demanda. A saída tem sido a contratos com fundações, recurso questionado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). No Maranhão, as dificuldades eram reduzidas com a disponibilidade de pessoal administrativo e profissionais de saúde do quadro de servidores do Governo do Estado para o Hospital Universitário.

Com a intempestiva medida do secretário Ricardo Murad, o usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) enfrentará muito mais dificuldades, pois poderá deixar de ter acesso a serviços como:

Cirurgia Cardíaca – procedimentos cirúrgicos no coração e /ou grandes vasos cardíacos.

Cirurgia Vascular e Endovascular – procedimentos voltados aos sistemas arterial, venoso e linfático.

Hemodinâmica (cateterismo, stent, eletrofisiologia, e outros procedimentos percutâneos)

Nefrologia (Hemodiálise, Prevenção de Doenças Renais),

Transplante Renal – início em março de 2000, com 343

Transplante de Córnea – início em 2000 , foram feitos 570

Neurocirurgia – tratamento de doenças do sistema nervoso central e periférico ( como tumores, doenças vasculares, degenerativas, traumas crânio-encefálicos e raqui-medulares.

Ortopedia e Traumatologia – (coluna vertebral, pernas, ombro, pé, braços e antebraços etc)

Urologia – procedimentos para tratamento de cálculos renais por meio da litotripsia, prevenção e tratamento de doenças de uretra, próstata e outras relacionadas.

Endocrinologia – ambulatório

UTI’s –Adulto geral

UTI Cardiológica – adulto e criança

UTI Neonatal – Método Canguru (crianças prematuras – pré termo, crianças que nascem antes de 25 semanas) referência

UTI Pediátrica – única no estado

Cirurgia Pediátrica – vários procedimentos

Programa de Atendimento ao Paciente Asmático – PAPA

Programa de Atendimento à Dor Crônica – Dor

Núcleo do Fígado – Atendimento ao paciente com problemas hepáticos

Dermatologia / com destaque ao Programa da Hanseníase

Laboratório de Análises Clínicas (exames auxiliares ao diagnóstico

Ambulatórios para várias especialidades – cardiologia, angiologia, nefrologia, endocrinologia, clínica geral, obstetrícia, ginecologia, pediatria, neurologia, ortopedia, cirurgia geral e outras especialidades.

Ambulatório Oftalmologia- cirurgias de catarata e glaucoma

Banco de Leite Humano – coleta e armazenamento de leite humano, além do atendimento às gestantes na prevenção de doenças da mama;

Banco de Tumores e DNA – armazenamento de tumores para pesquisas científicas;

Banco de Olhos- armazenar e processar as córneas para transplantes

Atendimento a gestante de alto risco – com a ênfase às grávidas hipertensas

Programa de Atendimento ao Paciente Diabético

Programas de Residências: Médica (pediatria, neonatologia, cardiologia, anestesiologia, cirurgia cardio-vascular, urologia, cirurgia geral, clínica médica, endocrinologia, gastroenterologia, infectologia pediátrica, medicina intensiva pediátrica, nefrologia, obstetrícia e ginecologia,ortopedia e traumatologia.

Residência de Enfermagem clínico-cirúrgica.

Residência Multiprofissional – contempla as áreas de: Odontologia, Serviço Social, Nutrição, Enfermagem, Educação Física, Fisioterapia, Farmácia, Psicologia Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional:

Ligas Acadêmicas: São 21. A Liga Acadêmica é uma organização multidisciplinar e que atua no desenvolvimento de trabalhos científicos, didáticos, assistenciais, culturais e sociais, fortalecendo a formação acadêmica.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.