Crime

Ex-prefeito de Mirinzal é preso acusado de desvio de dinheiro

O 1° Departamento de Combate à Corrupção da Polícia Civil (1º Deccor) cumpriu nesta quinta-feira, 16, o mandado de prisão do ex-prefeito de Mirinzal, Ivaldo Almeida Ferreira, atualmente secretário Municipal de Obras. Ele veio prestar depoimento na sede da Procuradoria Geral de Justiça, para os promotores de justiça membros do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e para os policiais do 1º Deccor, e tomou conhecimento do mandado de prisão em aberto. Ivaldo Ferreira será encaminhado ao IML para exame de corpo de delito antes de ser direcionado ao Centro de Triagem de Pedrinhas.

No último dia 08 de novembro, o GAECO realizou busca e apreensão na casa do ex prefeito. O objetivo foi localizar e apreender documentos, cheques, anotações, cadernos, computadores, pen drives, HDs e outros objetos que possam servir de prova de desvio de verbas públicas e ajudar na elucidação dos fatos. Todo o material ainda está sob análise.

Na decisão, também foi determinada a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Ivaldo Almeida Ferreira, o que permitirá identificar possíveis desvios de verbas públicas, além de outros crimes.

O pedido foi formulado pelo promotor de justiça Frederico Bianchini Joviano dos Santos, titular da Comarca de Mirinzal, em atuação conjunta com o Gaeco e o 1º Deccor. Durante a apuração da morte do jornalista Décio Sá, foram apreendidas várias autorizações de saque (cheques avulsos) da conta-corrente da Prefeitura Municipal de Mirinzal assinados pelo então prefeito Ivaldo Ferreira (gestão de 2009 a 2012) durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão realizada nas residências e escritórios dos agiotas Gláucio Alencar Pontes Carvalho e seu pai José de Alencar Miranda Carvalho.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Polícia e Gaeco fazem buscas na casa de ex-prefeito de Mirinzal

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e o 1° Departamento de Combate à Corrupção da Polícia Civil (1º Deccor) cumpriram, na manhã desta quarta-feira, 8, um mandado de busca e apreensão na casa do ex-prefeito de Mirinzal, Ivaldo Almeida Ferreira, que atualmente ocupa a função de secretário Municipal de Obras. O objetivo foi localizar e apreender documentos, cheques, anotações, cadernos, computadores, pen drives, HDs e outros objetos que possam servir de prova de desvio de verbas públicas e ajudar na elucidação dos fatos.

Na decisão, também foi determinada a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Ivaldo Almeida Ferreira, o que permitirá identificar possíveis desvios de verbas públicas, além de outros crimes.

O pedido foi formulado pelo promotor de justiça Frederico Bianchini Joviano dos Santos, titular da Comarca de Mirinzal, em atuação conjunta com o Gaeco e o 1º Deccor. Durante a apuração da morte do jornalista Décio Sá, foram apreendidas várias autorizações de saque (cheques avulsos) da conta-corrente da Prefeitura Municipal de Mirinzal assinados pelo então prefeito Ivaldo Ferreira (gestão de 2009 a 2012) durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão realizada nas residências e escritórios dos agiotas Gláucio Alencar Pontes Carvalho e seu pai José de Alencar Miranda Carvalho.

CORRUPÇÃO

As investigações do assassinato de Décio Sá levou à identificação de um grande esquema de corrupção, fraudes em licitações e lavagem de dinheiro, dentre outros crimes, envolvendo 42 Prefeituras maranhenses e os agiotas Gláucio Alencar e José de Alencar, além de Josival Cavalcanti da Silva, vulgo Pacovan, e Eduardo José Barros Costa, conhecido como Eduardo DP ou Eduardo Imperador.

Após o desmembramento das investigações por municípios, já foram instaurados 20 inquéritos policiais, dos quais sete foram concluídos, já estando em andamento as devidas ações penais relativas a municípios como Bacabal, Dom Pedro, Marajá do Sena e Paulo Ramos. Já os inquéritos policiais correspondentes às Prefeituras de Lago Verde e Serrano do Maranhão foram encaminhados à Polícia Federal em razão da natureza dos recursos desviados.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Prefeito de Mirinzal é preso por crime eleitoral

1475412630-118770015-1

O atual prefeito de Mirinzal, Amaury Almeida (PDT), foi preso pela Polícia Militar do Maranhão (PMMA) na manhã deste domingo (2) por crime eleitoral e tentativa de homicídio. Em pesquisas de intenção de voto, Amaury aparece como líder da preferência dos eleitores do município.

A prisão do candidato à reeleição foi confirmada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP­MA). O candidato é acusado de agredir militantes da oposição.

Uma troca de tiros teria ocorrido, atingindo um homem de nome ainda não revelado. De acordo com delegado do município, o prefeito disse em depoimento que agiu em legítima defesa, mas que não atirou contra o homem. As testemunhas, porém, são categóricas ao afirmar que Amaury atirou contra os militantes.

De O Estado


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Prefeito de Mirinzal agride eleitor com tapa do rosto

2016-09-23-photo-00000170

O desespero começa a tomar conta do prefeito de Mirinzal – Amaury Santos Almeida(PDT), candidato à reeleição pela Coligação “Pra fazer muito mais”. Na início da tarde desta sexta-feira(23), em um completo momento de insanidade, o prefeito acabou agredindo, com um tapa no rosto, o comerciante Ednaldo Lemos Abreu.

O incidente, conforme vídeo abaixo – ocorreu em frente à casa da vítima, na localidade Tungo, na área urbana do município. De acordo com a vítima, pasmem senhores, a agressão ocorreu no exato momento em que o prefeito foi cobrar o ressarcimento de R$1.000,00 reais dado em troca de apoio político.

No relato feito na delegacia, o comerciante afirmou que o valor acordado fora de R$3.000,00(três mil), mas como menos de 50% foi pago, este decidiu declarar apoio ao concorrente, o que causou a ira do prefeito Amaury.

“Como ele não cumpriu o acordado, decidir declarar apoio ao 40, e quando o prefeito soube resolveu me procurar para que devolvesse o que já havia sido pago. Durante a conversa, os ânimos ficaram exaltados e depois de me chamar de vagabundo, ameaçar de mandar destruir minha casa e o meu bar, localizados na praia de Pericaua, ele ainda me agrediu com um tapa no rosto”, relatou a vítima na ocorrência policial registrada na delegacia do município.

thumbnail_2016-09-23-photo-00000173

Eleitor agredido


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.