Maranhão

Qual motivo a Seccional OAB/MA nega-se a emitir nota sobre morte do blogueiro Décio Sá?

Muito estranho até o momento a atitude ou postura tomada pelo presidente da Seccional OAB/MA, Mário Macieira, em se calar e principalmente não emitir nota de pesar sobre a execução ocorrida com o jornalista e blogueiro Décio Sá, em plena Avenida Litorânea em São Luís.

O presidente da OAB/MA, Mário Macieira e a vice-presidente, Valéria Lauande

O presidente da OAB/MA, Mário Macieira e a vice-presidente, Valéria Lauande

Macieira, em casos menos escabrosos, sempre se mostra presente. Então, será por qual motivo o levou a trancafiar a assessoria de comunicação da OAB em emitir nota neste crime bárbaro e hediondo? É fácil!

A sua relação com o jornalista sempre foi conturbada pelas matérias publicadas no blog (reveja), além disto, houve varias denúncias de desvio de conduta na gestão do nobre presidente da OAB (reveja).

Seria este o único motivo de Mário Macieira impedir uma simples e lamentosa nota de pesar ao jornalista. Acredito que não!

Como é do conhecimento de toda classe politica e principalmente jurídica, a forma como vêm agindo a vice-presidente da OAB-MA, Valéria Lauande, a frente do cargo que até então ocupa.

Lauande que se acha acima da lei, em duas sessões do Conselho Seccional, após a morte do jornalista, teria vetado a participação da OAB em fazer o seu papel de defender a justiça social como entidade máxima de representação dos advogados e responsável pela ordem jurídica do Estado democrático de direito.

Ao que parece, o presidente Mário Macieira, e sua vice Valéria Lauande, utilizam os cargos que hoje mantém, para fins pessoais jogando a Seccional da OBA/MA, na vala comum das entidades sem credibilidade.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Terceira reunião entre João Alberto e grevistas poderá por fim em greve

Por volta das14: 40 desta sexta-feira, 02, começou a terceira reunião na sede da Seccional Maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MA) para por definir a fim da greve dos PMs e Bombeiros do Maranhão.

A reunião é presidida por Mario Macieira, presidente da OAB-MA , e participação do representante do Governo, o secretário de Projetos Especiais João Alberto (PMDB), do Exército e os lideres do movimento grevista.

Na chegada de João Alberto, o repórter da Rádio Capital, indagou sobre um possível aumento, o secretário afirmou que o Governo só pode oferecer apenas 10,46% de reajuste salarial.

Daqui a pouco mais detalhes…

 


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.