Poder

Justiça inocenta médica e técnica de enfermagem do caso Marcelo Dino

A 2ª Vara Criminal de Brasília absolveu, na última terça-feira (17), a médica e a auxiliar de enfermagem acusadas de erro médico na morte de Marcelo Dino, de 13 anos. O adolescente, filho do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), morreu em 2012, depois de dar entrada no Hospital Santa Lúcia, no Distrito Federal, devido a uma crise de asma.

As profissionais de saúde foram indiciadas por “prática de homicídio culposo” – quando não há intenção de matar. De acordo com a sentença, a absolvição se deu “por insuficiência de provas, com fundamento no art. 386, VII, do Código de Processo Penal”. Cabe recurso da sentença.

A ação foi ajuizada, em 2012, por Flávio Dino e a mulher dele, Deane Fonseca. Segundo eles, o filho foi vítima de erro médico atribuído às rés. A família alegou que a médica abandonou o posto da UTI pediátrica do hospital e, por isso, houve demora no atendimento do menino.

Para a juíza responsável pelo caso, o abandono do posto não ficou comprovado. A magistrada concluiu ainda que a médica adotou os procedimentos corretos e medicamentos adequados ao caso, “não tendo restado comprovado nexo causal entre as condutas praticadas pela médica e o resultado morte da vítima Marcelo”.

Já sobre a queixa-crime contra a auxiliar de enfermagem, a juíza disse não ser possível “um juízo de certeza quanto a relação de causalidade entre o atraso de duas horas na ministração do medicamento e a ocorrência de uma crise asmática”. Segundo o processo, a profissional “teria, de forma negligente, ministrado o medicamento broncodilatador Combivet com duas horas de atraso, dando causa ao início de nova crise respiratória na vítima”.

Os pais de Marcelo Dino também acusaram a enfermeira da prática do delito de falsidade ideológica por ter lançado no prontuário médico um medicamento ministrado à vitima em horário diferente do que realmente aconteceu. A juíza, no entanto, entendeu que não houve dolo de falsificar o documento, pois não houve omissão da informação, e o atraso seria em razão de a vitima estar dormindo.

do G1MA


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Na Justiça, Flávio consegue liminar que limita carga horária de médicos

Flávio Dino presidente da Embratur.

Flávio Dino presidente da Embratur.

Flavio Dino, presidente da Embratur, conseguiu na Justiça Federal uma liminar obrigando a Anvisa a estabelecer um limite de carga horária para os médicos. O juiz Francisco Cunha determinou que a agência edite uma resolução fixando um limite para as jornadas de trabalho permitidas à categoria. A lei atual só vale para médicos com vínculo empregatício e servidores públicos, mas não abrange prestadores de serviço.

A briga de Dino começou no ano passado: seu filho, Marcelo, de treze anos, morreu no Hospital Santa Lúcia, em Brasília, onde foi internado em razão de uma crise de asma. À polícia, a médica que o assistiu afirmou que, no dia da morte de Marcelo, estava no batente havia 23 horas. Para se ter ideia, na Inglaterra um cirurgião não pode trabalhar mais de 48 horas semanais. ( Por Lauro Jardim ).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Não aceite "parada cardíaca" como causa da morte de seu filho Flávio Dino, diz leitor

O leitor Eduardo Rodrigues da Silva que trabalha com asmáticos há 11 anos, encaminhou ao blog uma nota de solidariedade a família do ex-deputado federal e atual presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Flávio Dino, e pedindo que os familiares não aceitem o fato da morte do jovem Marcelo Dino Fonseca de Castro e Costa, de apenas 13 anos, como consequência de uma “parada cardíaca”. Abaixo a nota encaminhada pelo leitor:

É triste e lamentável comentar a morte de um menino bonito, simpático, cheio de sonhos com uma vida pela frente!

Marcelo Dino

Marcelo Dino

Porém eu venho aqui solicitar ao senhor Flavio Dino e família, que por favor, em nome de milhares de famílias, amigos, e asmáticos do Brasil, que por favor exija uma investigação imparcial, e não aceite “parada cardíaca” como causa da perda de seu filho!

Eu trabalho com asmáticos há 11 anos, estudo muito o assunto e um fato terrível é que nunca ouvi falar de morte por asma de maneira espontânea, mas sempre, sempre após o uso de “bombinhas”, sempre após o ministraço de medicamentos que causam sim danos diversos, as vezes pioram as crises, causam incômodos e males diversos que todos que usam reclamam, porém os médicos e laboratórios negam aquilo que as pessoas sentem a após o uso de tais medicamentos!

Pessoas com problemas nos rins, estômago, fígado, coração, inchaços por todo o corpo, e simplesmente parando o tratamento que nem mesmo controla a asma, que por sua vez não é doença, mas sim sintomas, e por isso não conseguem controlar, e parando com o medicamento os outros problemas, e até mesmo crises cessam!
Há 11 anos eu vejo isso, me irrita o fato de ver que as respostas para uma notícia triste dessa enganam a maioria da população mundial!

Eu nunca soube de um só caso aonde a pessoa veio a óbito sem que houvesse utilizado broncodilatadores antes!

Eu estudo, me envolvo nesse assunto todo santo dia, e será que só eu percebi que tem acontecido isso?

Só em 2006, apenas no Estado de SP 9 mil pessoas contraíram infecção hospitalar, e dessas 1200 morreram, e eu vi em matéria da EPTV ( globo ) de Campinas a reclamação dos médicos, onde ser nota a insatisfação com as pesquisas e desenvolvimento de novos medicamentos, pois os que se ministram já são ultrapassados, mas agora inventaram a “superbactéria” para justificar a porcaria de medicamentos utilizados ainda hoje. Eu acho que essas pessoas foram assassinadas e nada foi feito!

Flávio Dino e família

Flávio Dino e família

Creio que essas mortes deveriam ser investigadas, investigados médicos e laboratórios, porém nos casos de asma, fico louco com o que vejo todos os dias, minha pressão arterial chegou a 21/15, tive colite há poucos dias, porque em meu blog denuncio tudo isso além de denunciar eu pode ajudar milhares de pessoas, e garanto que o menino Marcelo Dino não teria morrido se sua família tivesse conhecido o que tenho a oferecer!

Não sou um oportunista, mas já to vendo que de maneira alguma as investigações chegarão aos laboratórios!!!

Há 11 anos venho fazendo especialistas passarem vergonha, pois eu tenho um produto que em diversos países fez o que médicos não podem fazer!

Eu tenho provas, fatos, testemunhas, depoimentos de que posso ajudar, e basta verificar esses depoimentos e pensar se o garoto teria morrido se conhecesse o meu produto!!

Por fazer médicos passarem vergonha, estou sendo acusado pela ANVISA de: “falsificação, adulteração, propaganda enganosa, crime contra a saúde pública, levar o consumidor ao engano, etc. Porém sem apresentarem uma só pessoa que tenha reclamado de falta de resultados ou algum tipo de prejuízo, e quando fui prestar depoimento no processo vi que a vítima era a “incolumidade publica”.

Será que se eu tivesse pago propina, lobista eu seria criminoso???

Há muitos medicamentos aprovados sem eficiência alguma, porém em vez de me ajudar, médicos e técnicos da ANVISA, sem saber de nada sobre meu produto me acusam, e usam o Ministério Publico de SP para tentar acabar comigo!
Basta visitar meu blog e ver que eu poderia ter salvado a vida desse menino!! Eu sou pai de dois filhos, dois lindos meninos, eu tento imaginar a dor desse homem, dessa mãe, dessa família, e me machuca ainda mais saber que eu Eduardo Rodrigues da Silva, poderia ter dado continuidade à vida desse garoto!!!!
Eu não tenho recursos para colocar o produto no mercado de consumo, porém quando entro numa farmácia sofro ao ver tanta porcaria com autorização e sem eficiência nenhuma!

Após ler o Best Seller de Kevin Trudeau “Curas Naturais que Eles não querem que Você saiba”, fiquei estarrecido pois não é apenas eu que percebe essas coisas!!!

Não generalizando, mas médicos já não são como os dos séculos passados, que pesquisavam, desenvolviam, pensavam, criavam, pois os de hoje não passam de representantes comerciais e se seus patrões disserem: ” as reações adversas são psicológicas”, esses novos especialistas acreditam e nada fazem, se comportam como zumbis, e os que foram médicos de meus clientes, segundo meus clientes, os médicos não conseguem olhar nos olhos dos pacientes após algumas visitas sem sucesso nos resultados esperados!!

Peço ao senhor Flavio Dino que por favor, se necessário for, pague por uma análise mais profunda na investigação, pois é “curioso” o fato de que só na hora da aplicação do medicamento a pessoa venha a óbito!!

Eu não acredito que tenha sido demora no atendimento, e minha humilde opinião é que os medicamentos matam, porém culpam a asma! Mas confessar isso, traria escândalos, perdas catastróficas aos laboratórios, porém não se importam com as perdas de milhares de pessoas todos os dias!

É arriscado tocar nesse assunto, mas eu acho que é necessário, pois eu poderia ter ajudado e evitar isso, mas não tenho o dinheiro que essas industrias tem.

Meus sentimentos à família.

http://www.ersroyalmed.blogspot.com

Peço desculpas, mas insisto que não acredito na resposta de “parada cardíaca provocada pela crise de asma”, pois todo mundo fala, mas na internet não há nada relacionado aos possíveis danos que esses medicamentos podem causar!! Apenas em comunidades no Orkut eu vejo isso, mas logo aparece alguém falando que não sente nada, que os medicamentos são maravilhosos, etc! Entrem no meu blog e vejam o que o Sr. Ernani Cardoso diz em seu depoimento sobre os medicamentos conhecidos, vendidos em farmácias e ministrados em hospitais!!

As pessoas morrem na hora que se dá o medicamento e isso é muito “esquisito” !!!!


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.