Crime / Judiciário

Família Sarney não será mais investigada pela Polícia Federal

Folha de S. Paulo

Por Andreza Matais e Filipe Coutinho,

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) anulou todas as provas obtidas pela operação da Polícia Federal que investigou os negócios do empresário Fernando Sarney e outros familiares do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Fernando Sarney e José Sarney

Fernando Sarney e José Sarney

A decisão da 6ª Turma do STJ foi unânime e devolve as investigações à estaca zero. Escutas telefônicas, extratos bancários e documentos fiscais obtidos pela PF não poderão ser usados para processar ninguém, de acordo com a decisão.

Os ministros do STJ entenderam que os grampos que originaram as quebras de sigilo foram ilegais.

O STJ também anulou neste ano provas obtidas pela PF ao investigar os negócios da construtora Camargo Corrêa e do banqueiro Daniel Dantas, do grupo Opportunity.

Batizada inicialmente de Boi Barrica, nome de um grupo de folclore maranhense ligado à família Sarney, e depois rebatizada como Faktor, a operação da PF foi deflagrada em 2007 devido à movimentação atípica de R$ 2 milhões na conta de Fernando Sarney e da mulher dele, Teresa. O empresário é filho do presidente do Senado.

Durante a investigação, a PF encontrou indícios de tráfico de influência em órgãos do governo federal, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro. Fernando Sarney sempre negou todas as acusações feitas pela PF.

Entre 2009 e 2010, a Folha publicou trechos de diálogos gravados pela PF na operação. As conversas mostravam que Fernando Sarney tinha influência sobre a agenda do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.

Assinante do jornal leia mais em STJ anula investigação da PF contra a família Sarney


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Família Sarney 'nunca me impôs nada', diz Gastão Vieira

O novo ministro do Turismo, Gastão Vieira (PMDB-MA), afirmou nesta quinta-feira (15) que a escolha de seu nome para o cargo não tem relação com a ligação que mantém com a família do presidente do Senado, José Sarney.

Ministro do Turismo Gastão Vieira

Ministro do Turismo Gastão Vieira

“Absolutamente, não. Eu sou ligado à família Sarney há muito tempo, e o Sarney nunca me impôs que eu fizesse nada ou deixasse de fazer”, afirmou Vieira ao chegar ao fórum nacional que o PMDB promove nesta quinta em Brasília.

Vieira foi escolhido pela presidente Dilma Rousseff para a função após Pedro Novais pedir demissão em razão de denúncia de uso de verbas públicas para fins privados e deve tomar posse nesta sexta-feira (16), de acordo com a Presidência da República.

Mais cedo, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), disse que José Sarney e a filha, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), estão satisfeitos com a escolha de Gastão Vieira (PMDB-MA), mas negou que a indicação tenha partido deles.

(Com informações do G1)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Sarney articulou a nomeação de Gastão Vieira para o Turismo

A presidente Dilma Rousseff (PT) acabou confirmando o nome do deputado Gastão Vieira (PMDB) como a solução até mesmo para prestigiar o Presidente do Senado, José Sarney (PMDB) já que o ex-ministro do Turismo também é maranhense.

Eles se entendem

Eles se entendem

Houve uma grande disputa na bancada do PMDB nas ultimas horas, quando o deputado Henrique Eduardo Lyra Alves (PMDB) recebeu uma ligação urgente do vice-presidente da Republica, onde foram convocados tanto ele como o deputado federal Gastão Vieira para uma conversa com Michel Temer.

Logo após a reunião, por voltas das 22h30minh de ontem (14), foi batido o martelo e decidido o nome do deputado federal Gastão Vieira para comandar o Ministério do Turismo.

Gastão Vieira já conversou até com a presidente Dilma Rousseff, e foi confirmado, até mesmo, pelo fato do parlamentar ser afiliado político do presidente do Senado José Sarney. Há pouco antes de confirmarem o nome de Gastão, ele teria entrado em contato com Sarney durante a tarde, e Sarney pediu que ele aguarda-se que o vice-presidente da Republica Michel Temer (PMDB) estaria trabalhando a sua nomeação do cargo.

Foi justamente dessa forma, que o nome de Gastão Vieira foi construído. Veja abaixo a reportagem completa:

 


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Maranhense tentou matar Sarney ao sequestrar voo 375 da Vasp

Um maranhense armado tomou um voo da Vasp com o objetivo de atingir o Palácio do Planalto, em Brasília. Desempregado, Raimundo Nonato Alves da Conceição, de 28 anos, culpava o governo por sua situação e queria atingir o centro do poder político do país.

José Sarney

José Sarney

O piloto nunca vai esquecer o dia 29 de setembro de 1988, quando o Boeing 737-300 da Vasp que comandava foi sequestrado.

Durante o voo, ele viveu momentos de terror quando o maranhense, armado de um revólver calibre 32, matou seu copiloto, Salvador Evangelista. “Ele levou um tiro na cabeça quando pegou o rádio para responder a um chamado da torre de controle de Brasília”, lembra Murilo. (Veja baixo no vídeo da reportagem do Jornal Nacional sobre o caso na época).

O voo 375 da Vasp fazia o trajeto Porto Velho-Rio de Janeiro, com escala, dentre outros lugares, em Belo Horizonte, onde o maranhense entrou armado. Estavam a bordo 135 passageiros e oito tripulantes.

Comandante Murilo deixa hospital após ter sido baleado na perna no desfecho do sequestro (Foto: José Paulo/AE)

Comandante Murilo deixa hospital após ter sido baleado na perna no desfecho do sequestro (Foto: José Paulo/AE)

“A ação começou quando já estávamos sobrevoando os céus do Rio de Janeiro. Ele gritava: ‘eu quero matar o Sarney. Quero jogar o avião no Planalto!”, diz o piloto.

Cerco Policial – Raimundo Nonato havia perdido o emprego em uma construtora devido à crise econômica que o país enfrentava e acreditava que a culpa era do presidente, na época José Sarney (PMDB), que governou o país entre 1985 e 1990.

Na ação, o sequestrador exigiu que o avião se dirigisse do Rio a Brasília. Como o combustível da aeronave estava acabando devido à mudança de rota, o comandante conseguiu convencer o sequestrador a pousar o Boeing em Goiânia.

“Ao pousar em Goiânia, o avião foi cercado pela Polícia Federal, onde o sequestrador decidiu seguir para Brasília em uma aeronave de menor porte, levando o comandante como refém”.

“Ele tentou subir em um Bandeirante que estava estacionado próximo ao Boeing para fugir. Foi nessa hora que eu corri. O sequestrador foi baleado no quadril pelos agentes da PF e morreu no hospital de infecção, dias depois”.

(Com informações do G1)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Em vídeo, Sarney e suas primeiras mentiras quando eleito governador do Maranhão

Presidente do Senado Federal, José Sarney

Presidente do Senado Federal, José Sarney

José Sarney foi eleito deputado federal em 1958 e 1962, depois se elegeu a governador do Maranhão, em 1966, foi senador em 1970 e 1978, Presidente da República (1985-1990) e por último foi eleito senador pelo Amapá em 1990,1998 e 2006 a 2014. Atualmente José Sarney é Presidente do Senado Federal.

Na época, Sarney rejeitou o documentário “Maranhão 66” de Gláuber Rocha.  José Sarney mandou no Maranhão por 40 anos. Suas promessas de posse não foram cumpridas. Assista abaixo ao vídeo que mostra as primeiras mentiras de Sarney:


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

'Eu também emprestaria aeronave para Sarney', diz Cid Gomes

Sarney e Cid Gomes

Sarney e Cid Gomes

O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), afirmou que já cedeu aeronaves do Estado para autoridades – a serviço ou a passeio – e não considera antiético ou abusivo o episódio envolvendo o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

‘Eu estou falando especificamente do Estado do Ceará, que tem contratos com aeronaves fretadas, e faria esse deslocamento. Eu já fiz isso. Tá certo? Eu já fiz isso. Pessoas me procuraram, autoridades e tal, e já foi feito deslocamento. Sinceramente, eu já fiz, enquanto governador’, disse Cid Gomes.

Questionado se emprestaria um helicóptero da Polícia Militar, como fez Roseana ao pai, Cid Gomes disse que evitaria, pois neste caso a aeronave é destinada a urgências e ‘poderia alegar-se’ que ‘estava sendo usada com outra finalidade’.

Em outros casos, de aeronaves fretadas pelo Estado, o governador do Ceará disse que não veria problema, mesmo que fosse a passeio, como oferecido a Sarney. ‘Que seja… que seja… Eu estou sendo franco e absolutamente sincero’, confirmou Cid, ao afirmar que, ‘dificilmente’, o papel de promotor ou de acusador se casa com sua personalidade.

(Com informações do G1)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Aliado de Sarney: ‘Queriam que ele fosse de jumento?’

Blog do Josias de Sousa

Vice-líder do governo Roseana Sarney na Assembléia Legislativa do Maranhão, o deputado estadual Magno Bacelar (PV) escalou a tribuna nesta terça (23).

Magno Bacelar

Magno Bacelar

O objetivo de Bacelar era o de defender o indefensável: a utilização de helicóptero do Estado em passeios dominicais de José Sarney, pai da governadora.

Ecoando Lula –Sarney “não pode ser tratado como uma pessoa comum”—, o deputado disse que o tetrapresidente do Senado “não é uma pessoa qualquer.”

“Queria que o presidente [do Senado] fosse andar em jumento?”, indagou Bacelar. “Queria o quê? Enfrentar um engarrafamento?”

Não, não. Absolutamente. “Esse helicóptero, é claro, tem que servir os doentes. Mas tem que servir as autoridades, esta é a realidade.”

Na opinião do deputado, a “mídia nacional está marcando Sarney.” Acha que “grandes jornais sulistas”, como a Folha, “discriminam o Maranhão.”

Desnecessário contestar Bacelar. Melhor indagar: com defensores como esse, Sarney precisa de inimigos?


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Assista ao vídeo que Sarney usa helicóptero do Maranhão em viagem particular

Da Folha

Por Felipe Seligman e João Carlos Magalhães

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), usou um helicóptero da Polícia Militar do Maranhão para passear em sua ilha particular duas vezes neste ano. A aeronave foi adquirida no ano passado para combater o crime e socorrer emergências médicas. Foi paga com recursos do governo estadual e do Ministério da Justiça e custou R$ 16,5 milhões.

Numa das viagens até a ilha de Curupu, onde tem uma casa, o senador foi acompanhado do empresário Henry Duailibe Filho, dono de oito revendedoras Ford e da  construtora  Ducol Engenharia Ltda que tem contratos milionários no Maranhão, que é governado por sua filha Roseana Sarney (PMDB).

Assista ao vídeo abaixo exclusivo da folha.com:

 


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Dinâmica: faça você mesmo Sarney presidiário

O site de humor “os melhores do mundo” trás em sua página uma dinâmica que esta fazendo o maior sucesso e sendo bastante comentada nas redes sociais.

A dinâmica é uma espécie de quebra-cabeça, em que o participante terá que montar o Presidente do Senado, José Sarney (PMDB), vestido de presidiário.

Foi elaborado o slogan da brincadeira que diz “Se o STF não faz, faça você mesmo Sarney presidiário”. Clique na imagem para participar da dinâmica:


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.