Crime

Bandidos invadem sítio de coronel da PM

Bandidos invadiram, na noite desta quarta-feira (11), o sítio de um coronel da Polícia Militar do Maranhão, localizado na cidade de São José de Ribamar. Na ocasião, roubaram duas aramas de fogo, sendo um revólver calibre 38 e um rifle.

Segundo informações preliminares, o caseiro que estava na residência foi rendido, amarrado e espancado pelos criminosos. Um cachorro que fazia a segurança da casa foi morto a tiro.

Após o crime, os indivíduos se embrenharam em um matagal. Até o momento, a polícia não tem pistas dos elementos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cidade

Invasores ocupam centro de treinamento do Sampaio no Turu

Cerca de 300 pessoas estão na área que pertence ao Sampaio

Cerca de 300 pessoas estão na área que pertence ao Sampaio

Parte da área de 20 hectares da sede do Sampaio Corrêa foi invadida a pouco mais de um mês na Vila Luizão. Hoje, os invasores já tomam conta dos campos onde o time de futebol treinava. A disputa pelo terreno terminou em morte, quando o jovem de 19 anos, Fagner Barros, foi atingido por um tiro na testa pela arma de policial.

O autor do disparo, cabo Marcelo Monteiro dos Santos foi preso e autuado em flagrante, mas foi solto após o juiz conceder relaxamento de prisão e determinar sua libertação na última terça-feira, dia 18.

O time abandonou os treinos no local e tem buscado formas alternativas para não perder a disposição dos jogadores. Ainda não há uma solução para o problema, mas o presidente do clube, Sérgio Frota declarou que busca uma solução junto ao secretário Articulação Política do Governo, Márcio Jerry.

Cerca de 300 pessoas permanecem no local e segundo Sérgio Frota, alguns armados já chegaram a ameaçar representantes do time.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Domingos Dutra abandona posseiros durante audiência em fórum

Domingos Dutra, ex-deputado

Domingos Dutra, ex-deputado

Ontem (20), durante uma audiência na 5ª Vara Civil do Fórum Desembargador José Sarney, com os invasores do Alto Bonito 2, zona rural de São Luís, o ex-deputado Domingos Dutra, que apoiava os posseiros, simplesmente desapareceu.

O motivo? Ninguém sabe explicar. Ao que tudo indica, a vitória sobre o dono das terras, conhecido como Menescau, era certa. Contudo, dizem que Dutra teria aceitado dinheiro para se afastar do caso ou ainda porque seria muito amigo do proprietário.

O certo é que o ex-parlamentar sempre pregou estar ao lado do povo, lutando a seu favor e simplesmente agiu de forma duvidosa. A comunidade em si está aflita, pois pode ser despejada a qualquer momento.

Outra denúncia é de que a presidente a frente da população que invadiu as terras, conhecida como Any, teria sido ameaçada de morte há duas semanas. Um motoqueiro, com uma arma de fogo, foi até sua residência, na própria terra ocupada e deu o seguinte recado: “é melhor você sair daqui se não ainda vai levar chumbo. Foi o que mandaram te dizer.”

Agora, eles esperam que pelo menos Dutra dê as caras e explique o que aconteceu.

Após renunciar o cargo de secretário de Representação Institucional no Distrito Federal, Domingos Dutra tem passado por maus bocados este ano enfrentado diversas crises tanto na vida política, quanto na pessoal.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Invasor interrompe apuração do carnaval de SP

Do G1, em São Paulo

Um grande tumulto interrompeu a apuração do carnaval de São Paulo nesta terça-feira (21). Houve quebra-quebra, carros alegóricos foram incendiados e pelo menos cinco pessoas acabaram detidas.

A confusão começou quando um representante da escola Império de Casa Verde invadiu o local onde eram lidas as notas, no sambódromo do Anhembi, e rasgou os envelopes durante a divulgação dos pontos do último quesito. Naquele momento, a Mocidade Alegre liderava, seguida por Rosas de Ouro, Vai-Vai, Mancha Verde e Unidos de Vila Maria.

A apuração teve de ser interrompida. Torcedores na arquibancada começaram a jogar objetos na área dos organizadores até que conseguiram derrubar as grades e invadir o espaço restrito.

Houve quebra-quebra. Os torcedores chegaram a atear fogo a carros alegóricos que estavam na área da dispersão, no Anhembi. Pelo menos duas alegorias da Pérola Negra foram completamente destruídas no incêndio.

Parte dos torcedores saiu do sambódromo e interditou a pista local da Marginal Tiête. Placas que separavam a Marginal do sambódromo foram depredadas e arrancadas pelo grupo.

Acompanhados pela Polícia Militar, um grupo da Gaviões da Fiel seguiu a pé pela Marginal Tietê para a quadra da escola, localizada a cerca de dois quilômetros do Anhembi. Até o início da confusão, a escola não vinha registrando notas boas na apuração.

Prisões
O representante da Império de Casa Verde que rasgou as cédulas com as notas foi detido pela Polícia Militarpouco depois do tumulto. Outro integrante da Gaviões da Fiel também foi preso. Além deles, outras três pessoas acabaram detidas pelo tumulto ou porte de entorpecentes.

Homem, identificado como representante da Império de Casa Verde, que foi preso por rasgar notas durante a apuração

Homem, identificado como representante da Império de Casa Verde, que foi preso por rasgar notas durante a apuração

Segundo o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, da Deatur, os detidos após confusão no Sambódromo serão autuados em flagrante no posto montado no Anhembi e, de lá, vão seguir para o Centro de Detenção Provisória de Pinheiros. Ele diz que os crimes cometidos são inafiançáveis.

No começo da noite, homens da Polícia Técnico Científica faziam perícia no local do sambódromo onde eram lidas as notas das escolas de samba.

Resultado
Por causa do tumulto, não foi divulgado qual será o resultado do carnaval paulista. No momento da confusão, a Mocidade Alegre liderava a apuração. Os jurados liam as notas do último quesito, “comissão de frente”, quando a apuração foi interrompida.

A ordem da apuração era: 1º Mocidade Alegre, 2º Rosas de Ouro, 3º Vai-Vai, 4º Mancha Verde e Unidos de Vila Maria .

O presidente da Liga das Escolas de Samba, Paulo Sérgio Ferreira, afirmou que não há possibilidade de anulação das notas. Eles vão fazer um levantamento das notas e, se não forem recuperadas as que faltavam, vencerá quem estava em primeiro lugar no momento em que a apuração foi interrompida.

Ferreira afirmou que “tem escola que não sabe perder”. “O jogo é jogado, a regra é clara. A escola vem na avenida, canta o samba errado e depois quer tirar o julgador de samba-enredo. Vamos ver se tem possibilidade de levantar as duas notas que faltam, se não tiver, vai se manter o resultado que se mantém até agora”, disse.

No início da noite, as notas da Comissão de Frente – quesito que era divulgado no momento da confusão – foram encontradas em um banheiro químico do Anhembi por um diretor da Liga das Escolas de Samba de São Paulo.

Mau comportamento
O regulamento da Liga das Escolas de Samba afirma que qualquer membro ou dirigente com comportamento inadequado, seja na concentração, na dispersão, no desfile ou na apuração do carnaval, terá sua escola eliminada do concurso e será expulsa da Liga. Na hora da contagem dos votos, os integrantes das escolas não podem pressionar, ameaçar ou agredir a integridade física ou moral de nenhuma pessoa da Liga.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.