Maranhão

Termo de compromisso é assinado com líder indígena

Foto ilustração - Índio Guajajara com político na Assembleia Legislativa do MA

Foto ilustração – Índio Guajajara com político na Assembleia Legislativa do MA

Em reunião para discutir as dificuldades enfrentadas pelos Índios Guajajaras no estado, lideranças se encontraram ontem para buscar soluções para o problema, visto que os índios estão há 4 dias em protesto na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Ao término das discussões levantadas foi assinado um termo de compromisso entre o governo e os indígenas na OAB. O documento trata doa acordos nas seguintes questões: serão construídas 51 escolas, será realizada a formação de 120 professores em licenciatura, que deverá começar em setembro. Além da reativação do Conselho Indígena até o final de 2015.

O governo ainda se comprometeu em fazer um estudo para criação de cotas indígenas nos Iemas nas regiões e possibilidade com o IFMA, com a criação de uma turma específica só para eles. Um levantamento também será feito para a realização de projeto que construirá 1.000 casas populares nas cidades com o Programa Mais IDH. E ainda será mantido o cronograma de pagamento dos processos de transporte escolar, de acordo com a disponibilidade financeira do estado.

Alguns termos exigidos pelos índios ainda pleiteados e estão descritos no termo assinado com observações. Por fim, a OAB/MA se compromete a entregar um áudio com a fala do líder indígena Uirauchene Alves Soares, corresponde ao ponto que trata do transporte escolar.

Um encaminhamento com a lista dos processos será entregue aos líderes indígenas até o meio dia de hoje, para que desocupem a Assembleia.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Chega ao 4º dia o protesto dos Índios na Assembleia

Índios Guajajaras continuam acorrentados na Assembleia

Índios Guajajaras continuam acorrentados na Assembleia

Acorrentados desde a última terça-feira (7), na Assembleia Legislativa do Maranhão para pedir melhorias na área da educação às tribos da aldeia guajajaras, os índios amanheceram, pelo quarto dia consecutivo, no órgão aonde trabalhos correm normalmente.

A requisição dos índios é para construção de ginásio poliesportivo, cursos profissionalizantes, contratação de diretores, vigilantes e merendeiras, reconhecimento das escolas indígenas, cursos de formação continuada para professores indígenas e ativação do conselho indígena, seguindo a recomendação do Ministério Público, entre outras.

Até o momento o governo não se posicionou sobre as exigências, apenas emitiu uma nota dizendo que o movimento indígena é liderado por empresários que exploram o transporte escolar nas aldeias e lista medidas, que teriam sido tomadas pela gestão atual da Secretaria Estadual de Educação.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.