Poder

Yglésio Moyses acusa Holandão e Carioca de esquema na prefeitura

Do Atual7

O ex-diretor do Hospital Municipal Djalma Marques, o Socorrão I, Yglésio Moyses, em entrevista concedida na tarde desta segunda-feira (12), no hall da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, revelou que o principal motivo de sua exoneração foi uma articulação comandada pelo ex-deputado estadual Edivaldo Holanda (PSC), pai do prefeito de São Luis, Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

O médico Yglésio Moyses, em coletiva na tarde desta segunda-feira (12), no prédio da Assembleia Legislativa do Maranhão. Foto: Gilberto Lima

O médico Yglésio Moyses, em coletiva na tarde desta segunda-feira (12), no prédio da Assembleia Legislativa do Maranhão. Foto: Gilberto Lima

Yglésio Moyses confirmou que Holanda pai, apesar de não ter nenhum cargo oficial na Prefeitura de São Luís, comanda um forte esquema dentro da gestão do filho. O ex-deputado estaria usando o suplente de vereador Paulo Roberto Lima, mais conhecido como Carioca (PRTB), desde o início do ano, para tirar o médico da diretoria do hospital.

Segundo ele, Carioca passou a manhã desta segunda-feira no Socorrão I, fazendo ligações de uma sala do setor administrativo do hospital.

O imbróglio com o pai de Edivaldo Júnior teria começando quando o suplente de vereador, a mando de Holandão, teria tentado que o ex-diretor do hospital fechasse contratos com algumas empresas do setor hospitalar. Yglésio não chegou a receber Carioca, o que provocou a ira de Holanda pai.

Yglésio Moyses informou ainda que vários projetos para a melhoria do atendimento no Socorrão I, como uma parceria com a Santa Casa de Misericórdia do Maranhão, teriam sido barrados pelo ex-deputado, que não autorizou o prefeito a sequer dar respostas sobre as propostas.

Com o desgaste e a quebra de confiança, o médico teria resolvido então repassar informações de bastidores sobre a administração municipal para um jornalista/blogueiro, como a antecipação da queda da ex-titular da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) de São Luís, Mirian Aguiar, além de base para críticas à gestão de Edivaldo Júnior.

Ele voltou a afirmar que faltou coragem e consideração do prefeito, por deixar a cargo do secretário municipal de Governo, Rodrigo Marques, a missão de informá-lo sobre sua demissão.

Sobre as polêmicas nas redes sociais, o ex-diretor do Socorrão I pediu desculpas públicas à família e ao jornalista Luis Cardoso, pelos comentários envolvendo o filho menor do profissional da imprensa.

Yglésio disse ainda que pretende criar a Associação de Amigos do Socorrão, para ações semelhantes a do início do ano, quando promoveu uma campanha de doação de alimentos para o hospital, mais aplaudida e apoiada pelo população ludovicense que criticada por alguns setores da imprensa ligados ao vereador Fábio Câmara (PMDB).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.