Poder

Greve dos rodoviários é suspensa em São Luís

greve-onibus-sao-luis-e1454624299599

A greve de ônibus foi suspensa em São Luís, na tarde desta segunda-feira (12), e caberá à Justiça decidir o percentual de reajuste salarial dos Rodoviários

A Audiência foi conduzida por Márcia Andrea Farias da Silva, Desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho no Maranhão. Estiveram presentes, representantes do Sindicato dos Rodoviários, do sindicato patronal, além da Prefeitura de São Luís. A Agência de Mobilidade Urbana (MOB), também foi convocada, mas nenhum representante compareceu.

A mediação aconteceu, há poucas horas da anunciada greve dos trabalhadores do transporte público, ser deflagrada na cidade. O Sindicato dos Rodoviários exige, que os itens da nova Convenção Coletiva de Trabalho sejam, de uma vez por todas, definidos.

Os Rodoviários mantiveram o posicionamento de reajuste salarial de 13% e aumento no valor do ticket alimentação, dos atuais 490 reais, para 650 reais. Os empresários, novamente, foram para o encontro, não dispostos a negociar. O percentual oferecido, foi o mesmo já apresentado em outras reuniões, de apenas 2%. A Prefeitura de São Luís, pressionada pelos patrões, descartou qualquer possibilidade de aumento nas tarifas e afirmou que o reajuste salarial dos Rodoviários, é uma competência dos empresários.

Diante da permanência deste impasse, o Tribunal Regional do Trabalho solicitou a suspensão do movimento grevista. Já o Ministério Público do Trabalho deverá ajuizar ação de dissídio coletivo, com pedido de tutela antecipada, que decidirá as cláusulas econômicas da nova Convenção Coletiva de Trabalho referentes, a reajuste salarial, ticket alimentação e o plano de saúde. O Sindicato dos Rodoviários, tendo em vista essa garantia, concordou em suspender a greve.

“Foram diversos encontros e mediações conduzidas não só pelo TRT, mas também pela Superintendência do Trabalho e Emprego. Em todas as ocasiões os patrões se mostraram irredutíveis e intransigentes, na discussão de um acordo mais digno aos trabalhadores. A decisão tomada pela Justiça Trabalho, diante de todo este impasse, foi a mais acertada. Nas primeiras horas desta terça-feira (13), eu e os demais diretores da entidade, iremos para as portas das garagens informar à categoria, sobre os novos rumos do movimento. Vamos aguardar agora, o que a Justiça irá decidir. Por enquanto, queremos tranquilizar a população de São Luís, que os ônibus irão rodar normalmente nesta terça-feira (13)”, enfatiza Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Greve dos rodoviários será deflagrada na próxima terça-feira

onibus

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, seguindo uma orientação do Departamento Jurídico da entidade, comunica a toda a população de São Luís, que a greve dos trabalhadores que atuam no transporte público da capital, será deflagrada nas primeiras horas do dia 13 de Junho (terça-feira).

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, nesta atual gestão, tem sido prudente em todas as atitudes. A entidade não é de acordo em promover situações, que possam gerar transtornos a cidade. Nos últimos dias, o Presidente, Isaías Castelo Branco e demais diretores, estão empenhados em atender os chamamentos do sindicato patronal, buscando uma definição, no que se refere à celebração da Convenção Coletiva de Trabalho 2017-2018.

O Sindicato dos Rodoviários ressalta que tem dado todas as oportunidades aos empresários, para que através do diálogo, ocorra um entendimento entre as partes, antes de partir de fato, para uma greve. Mesmo diante desse impasse, que prejudica e muito a categoria, a entidade quer se resguardar, que adotou todas as medidas possíveis, antes de paralisar o sistema.

Até a segunda-feira (12), o Sindicato dos Rodoviários estará à disposição dos patrões, para negociar os itens da Convenção, que garante a permanência dos direitos dos trabalhadores. Por fim, a entidade esclarece, que se depois de quase dois meses de negociações, a greve for deflagrada, que a população entenda que essa atitude extrema, será adotada, unicamente, por intransigência dos p


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Rodoviários anunciam greve em São Luís

IMG-20170605-WA0107

Rodoviários e patrões não chegam a acordo e movimento grevista será retomado. A reunião foi mediada pela Superintendente Regional do Trabalho e Emprego no Maranhão, Lea Cristina. Estiveram presentes representantes do Sindicato dos Rodoviários, do sindicato patronal e da Secretária Municipal de Trânsito e Transportes.

Mais uma vez, os empresários insistiram na mesma proposta. A classe patronal manteve o posicionamento, de concessão de reajuste salarial de apenas 2% e nenhuma alteração no valor atual do ticket alimentação, que é de 490 reais.

Na ocasião, o Presidente do Sindicato dos Rodoviários, Isaias Castelo Branco, classificou essa proposta como vergonhosa e desrespeitosa, para uma categoria que exerce função indispensável e que quando cruza os braços, causa inúmeros transtornos à população de São Luís.

Diante do impasse, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão decidiu retomar o movimento de greve. Essa medida extrema, adotada pela entidade, é resultado unicamente, da intransigência dos patrões. Nesta terça-feira (06), o Sindicato notificará oficialmente, os principais órgãos e deflagrará a paralisação, após 72 horas, como determina a justiça.

“Demos todos os prazos possíveis aos empresários. O que parece, é que eles não estão com interesse algum em negociar. Nossa paciência esgotou. Não deflagramos a greve nesta segunda (05), devido a uma solicitação da Superintendência do Trabalho e Emprego, que marcou essa nova mediação e por respeito, suspendemos o movimento. Pelo visto o SET quer que os trabalhadores cruzem os braços e é isso mesmo que vai acabar acontecendo, por isso, quero deixar claro à população de São Luís, que se a paralisação dos ônibus for deflagrada, a culpa é dos patrões, que estão irredutíveis em atender o que é de direito dos trabalhadores”, esclarece Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Rodoviários podem entrar em greve em São Luís

1_onibus_bilhete-182673

Uma nova paralisação de rodoviários pode ocorrer nos próximos dias. Isso porque, nesta quinta-feira (12), os rodoviários da Região Metropolitana de São Luís farão uma reunião para decidir se vão iniciar ou não uma greve geral da categoria. A decisão será anunciada no fim da tarde desta quinta, após assembleias gerais com os trabalhadores.

De acordo com Isaías Castelo Branco, o presidente do Sindicato dos Rodoviários, a greve da categoria pode ocorrer por causa do não cumprimento de acordos feitos por parte dos empresários.

“O problema é a questão do descumprimento do acordo por parte da patronal com relação aos trabalhadores que ficaram fora dos seus postos de trabalho, pois eram contratados das empresas que perderam o processo licitatório. Foi firmado acordo com a SMTT (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes), Ministério Público e trabalhadores, garantido o remanejamento de parte desses rodoviários para outras empresas. Ficou acordado que seriam chamados, de imediato, 109 trabalhadores para as empresas que ganharam o certame, e o restante ficaria em um banco de vagas para serem chamados de acordo com a necessidade das empresas”, explicou o presidente da STTREMA em entrevista á rádio Mirante AM.

Castelo Branco também confirmou que no fim da tarde de hoje a categoria vai divulgar uma nota informando se haverá greve ou não. “Decidimos fazer uma assembleia de manhã e outra de tarde para ter a presença de todos os trabalhadores. Até o fim do dia teremos uma decisão”, explicou Isaías.

Caso ocorra, a paralisação deve começar na próxima quarta-feira (18), após ser feita a notificação dos órgãos competentes e cumprir o prazo de 72h determinado por lei.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Funcionários da Aged entram em greve no Maranhão

thumbnail_img-20161007-wa0020

Os funcionários da Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged-MA) decidiram entrar em greve nesta semana. Segundo os servidores o governo estadual tem desvalorizado a categoria.

Entre as reivindicações da categoria estão a realização do concurso público, que de acordo com os funcionários foi anunciado, mas nunca foi efetivamente realizado; reestruturação da Agência, como reforma de prédios e informatização do sistema; reajuste do auxílio alimentação, que conforme eles informaram, há mais de 10 anos está congelado no valor de R$ 330,00.

Além disso, os servidores pedem implantação de data base pra reposição de perdas inflacionárias.

Os profissionais disseram, ainda, que Flávio Dino nunca promoveu uma reunião com a classe desde que assunmiu o governo. ” Ele está minimizando a importância da Agência, mesmo tendo o Estado livre de febre aftosa, o que abriu as portas do Maranhão para o comércio internacional de carne bovina”, afirmaram.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bancários retomam negociação com a Fenaban

1472774207-4393014

Em seu quarto dia, a greve dos bancários atingiu mais de 40% das agências de todo o país, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec). A mobilização, que já teve a adesão de mais de 20 capitais, retoma hoje (9) as negociações entre a categoria e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

Entre as principais reivindicações da categoria estão reajuste salarial de 14,78%, sendo 5% de aumento real, com inflação de 9,31%; participação nos lucros e resultados de três salários mais R$ 8.297,61; piso salarial de R$ 3.940,24; vales-alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá no valor do salário-mínimo nacional (R$ 880); 14º salário; fim das metas abusivas e assédio moral; fim das demissões, ampliação das contratações, combate às terceirizações e à precarização das condições de trabalho; mais segurança nas agências bancárias e auxílio-educação.

A proposta da Fenaban, rejeitada pela categoria, é de reajuste de 6,5% (para uma inflação de 9,57%) e abono de R$ 3 mil, que não incide sobre os salários, nem sobre o FGTS, as férias ou o décimo terceiro.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bancários entram em greve por tempo indeterminado

bancarios_em_greve___foto_honorio_moreira_0849__5__139711-321754

Bancários de todo o país entram em greve hoje, dia 06, depois de rejeitar a proposta oferecida pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). As reivindicações incluem reajuste salarial, reposição inflacionária de 5%, antecipação e reajuste na participação dos lucros, aumento do piso salarial, aumento do vale‐alimentação, melhores condições de trabalho e plano de carreira.

Servidores do Maranhão

Os servidores bancários do Maranhão definiram por realizar manifestações de greve durante todo o dia de hoje em apoio à paralisação nacional da categoria em resposta ao não acordo entre Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) nos valores do reajuste salarial e do abono.

As manifestações acontecem desde o início da manhã com piquetes em frente às agências bancárias e concentração geral a partir de 11h na Praça Deodoro. Isso foi decidido em assembleia extraordinária realizada no início da noite de ontem na sede do Sindicato do Bancários do Maranhão, na Rua do Sol ‐ Centro.

A orientação dada pelos sindicatos e federações para escapar da greve é utilizar os canais alternativos de atendimento bancário. Entram na lista o serviço de Internet Banking e aplicativos para smartphones para transações financeiras (pagamentos e depósitos online), já para quem vai realizar saque deve optar pelos caixas eletrônicos que funcionam normalmente ou os correspondentes bancários como Casas Lotéricas (Caixa Econômica Federal), Coban (Banco do Brasil) etc.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Rodoviários ameaçam cruzar os braços na Grande São Luís

1453733293-746089288

Após episódio que terminou com um motorista baleado, na noite de segunda­-feira (25), o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão passou a cogitar uma paralisação da categoria em protesto contra a insegurança nos coletivos. Revoltado com a situação, o presidente da entidade, Isaias Castelo Branco, afirmou que os rodoviários já tomaram tomas as medidas possíveis para contornar o problema, como repassando informações sobre os assaltantes para que sejam identificados e presos o mais rápido possível.

Com os constantes casos, porém, Castelo Branco disse que “a paciência de toda a categoria que atua no transporte público de São Luís já se esgotou”. Por causa disso, a intenção é que a seja realizada uma assembleia para que se avalie o episódio. Há possibilidade de que a categoria paralise as atividades. “A insegurança está grande. Se as autoridades não adotarem uma postura enérgica diante da criminalidade, não nos restará outra alternativa que não seja cruzar os braços”, relatou.

Entenda o caso

Na noite de segunda­-feira, o motorista Jackenilson Rocha Cantanhede foi baleado durante uma tentativa de assalto no Itapera, na região do Maracanã, na zona rural de São Luís. O tiro atingiu a cabeça e foi de raspão, sem acometer nenhuma região vital. “Infelizmente, fomos surpreendidos com essa notícia de mais um trabalhador ferido, nesse caso, baleado no exercício da atividade”, contou o presidente da categoria. O crime foi cometido por três indivíduos, que fugiram logo após o fato.

O rodoviário foi socorrido e passa bem. Este ano, outro motorista foi baleado e outro esfaqueado durante assalto a ônibus.

Números

307 foi a quantidade de assaltos a coletivos registrados no primeiro semestre deste ano 662 foi a quantidade de assaltos a coletivos registrados no ano passado.

Do Estado do Maranhão


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Policiais civis entram em greve hoje em todo o Maranhão

1466017332-175656105

Policiais civis de todo o Maranhão iniciam hoje (16) uma greve geral para reivindicar por melhores condições salariais e de trabalho.

A decisão pela paralisação foi tomada no dia 10 deste mês durante uma assembleia geral da categoria realizada no auditório da Associação Comercial do Maranhão (ACM), no centro da cidade.

Os policiais civis pedem melhores condições de salário e de trabalho. O Governo do Estado ofereceu um reajuste salarial de 15%, que seria dado da seguinte forma: 6% agora em junho, outros 6% em março de 2017 e os 3% restantes em fevereiro de 2018. A categoria rejeitou a proposta salarial oferecida e decidiu iniciar o movimento paredista hoje.

Com a greve, escrivães, comissários, investigadores, entre outros, não deverão assumir seus postos de trabalho. O atendimento nas delegacias de polícia ficará prejudicado e as pessoas poderão encontrar dificuldades para registrar boletins de ocorrência. Apenas os casos de atentados contra à vida, crimes contra idosos e crianças, e casos que mereçam a aplicação da Lei Maria da Penha deverão ser registrados.

Os Peritos Oficiais do Maranhão, em assembleia realizada no dia 9 de junho, também decidiram deliberar por uma paralisação de 48 horas, que terá início hoje. A categoria também rejeitou a proposta oferecida pelo Governo do Estado de reajuste salarial de 15% divididos em três parcelas: de 6%, 6% e 3%, respectivamente, para os anos de 2016, 2017 e 2018.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Peritos Oficiais decretam paralisação

IMG-20160610-WA0065

Os peritos oficiais do estado do Maranhão, em assembleia realizada no dia 9 de junho, na sede do Instituto de Criminalística (ICRIM), decidiram rejeitar a proposta do Governo.

Após uma negociação exaustiva de um ano e seis meses, a categoria já havia cedido a todos os pedidos do governo, eles decidem apresentar uma tabela de reajuste de 15%, dividido em três parcelas, de 6%, 6% e 3% respectivamente para os anos de 2016, 2017 e 2018.

“Ressalte-se que, dentro da mesma Instituição, Polícia Civil, o tratamento dado pelo Governo às categorias que compõem a mesma foi extremamente diferenciado, de um lado figura aquela agraciada com 40.7% de reajuste em seu subsídio, implantados ao longo do ano de 2015 e em última parcela no mês de junho de 2016, no outro extremo, relegados ao descaso, estão as outras categorias, tão dignas quanto aquela, de receberem tratamento equivalente. As demais, nossa categoria inclusive, foram ‘merecedoras’ de ínfimos 5% no ano de 2015, nada além. Estabeleceu-se um verdadeiro abismo. Em uma balança de dois pesos e duas medidas, foram criadas as bases do desequilíbrio e da insatisfação”, afirmou a presidente da Apotec, Anne Kelly.

Dessa forma, a categoria não teve outra escolha, senão deliberar por uma paralisação de 48h, que terá inicio na próxima quinta-feira.

IMG-20160610-WA0063


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.