Maranhão

Bancários encerram greve no Maranhão

Os bancários do Maranhão decidiram após 21 dias de paralisação, encerrar a greve. Segundo informa o Sindicato dos Bancários.

O acordo abrange aproximadamente 85% das agências. A decisão foi tomada ontem (26), em assembleia realizada em de São Luís.

“Nós decidimos rejeitar as propostas que foram apresentadas pelos bancos, por se tratar de propostas insatisfatórias e que não avançam em uma série de itens. No entanto, diante do quadro nacional de assembleias, que ocorreu em todo o país nesta segunda-feira (26), onde a maioria decidiu pelo retorno ao trabalho, a categoria aqui no Maranhão decidiu fazer o mesmo nos bancos privados, Caixa e Banco do Brasil”, afirmou o presidente do sindicato no Maranhão Eloy Natan, em
entrevista.

A proposta aceita foi de correção de 14 % no vale-alimentação, 10 % de reajuste salarial, participação nos lucros da empresa, ente ouros benefícios.

Também ficou acertado que os Bancarios devem compensar as ausências com mais uma hora de trabalho até o dia 15 de dezembro.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Bancários iniciam greve nesta terça-feira

Os bancários de todo o Brasil entrarão em greve por tempo indeterminado a partir desta terçafeira (6). Segundo a assessoria de comunicação do Sindicato dos Bancários do Maranhão (Seeb-MA), está confirmada a adesão do Estado ao movimento grevista, e, no fim da tarde desta segunda-feira (5), haverá uma assembleia geral com a categoria apenas para definir os rumos da paralisação. No entanto, se a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) oferecer uma proposta satisfatória até o fim do dia, a greve será interrompida.

A greve dos bancários foi anunciada após as tentativas de negociação com a Fenaban terem sido frustradas. Os bancários querem reajuste salarial de 16% (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real), entre outros benefícios. A Fenaban chegou a ofereceu 5,5% de reajuste para salários e vales, incluindo abono de R$ 2,5 mil, não incorporado ao salário.

Mas a categoria rejeitou a proposta. Em nota, a Fenaban informou que a proposta dos bancos tem o objetivo de compensar perdas da inflação passada. “No momento delicado da economia, a proposta apresentada visa a compensar perdas decorrentes da inflação passada, sem contaminar os índices futuros, o que iria contra todos os esforços do governo para reequilibrar os fundamentos macroeconômicos, possibilitando a retomada do crescimento econômico”, diz o documento.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Bancários do Maranhão decidem hoje se a greve continua

greve-correios-ae-62Às 18h desta segunda-feira (14) os trabalhadores vão está reunidos na sede do Sindicato dos Bancário do Maranhão, para mais uma assembleia para discutir os rumos do movimento e se continua ou não no estado, segundo informações da assessoria de comunicação do orgão.

A greve que já dura 26 dias está prejudicando o comércio e quem pretende realizar transações bancários que não são feitas nos caixas eletrônicos.

Na sexat-feira (11) a Fenabran apresentou propostas para a categoria, mas o sindicato rejeitou.

A proposta da Fenaban

Em resumo, a Fenaban oferece reajuste de 8% para salários e benefícios e de 8,5% para o piso salarial. A regra da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) continua a mesma do ano passado, com reajuste ínfimo.

A nova proposta da Fenaban inclui ainda três novas cláusulas: proibição de os bancos enviarem SMS aos bancários cobrando resultados, abono-assiduidade de um dia por ano e adesão ao programa de vale-cultura do governo (para alguns bancários), no valor de R$ 50,00 por mês.

Na visão do SEEB-MA, tais cláusulas não representam avanços significativos para a categoria, ao contrário do que prega a Contraf-CUT.

Horas paradas

Sobre as horas paradas na greve, a Fenaban recuou e aceitou compensar, no máximo, uma hora extra diária, de segunda a sexta-feira, até 15 de dezembro. Vale ressaltar que as horas não compensadas serão abonadas.

A greve

Os bancários deflagraram a greve nacional no dia 19 de setembro, depois de rejeitarem a proposta anterior dos bancos, de 6,1% de reajuste sobre todas as verbas salariais. (Oimparcial)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Geral

Bancários se reúnem para acertar greve que começa amanhã

Bancos em greveSindicato dos Bancários do Maranhão realizará assembleia geral para atualizarem as informações sobre a Campanha Salarial, onde definirão junto à categoria os últimos detalhes do movimento paredista que começa em todo o país, nesta quinta-feira, (19/09), a reunião acontece nesta quarta-feira (18/09), ás 18h em sua sede, no Centro de São Luís.

Além do Maranhão, sindicatos de todo o país, como o do Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Bauru, Santos, São Paulo, dentre outros, já preparam o movimento paredista.

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB-MA) José Maria Nascimento a motivação para o início da greve se dar pela intransigência dos banqueiros e do Governo Federal (patrão dos bancos públicos), que ignoraram todas as reivindicações dos bancários e ofereceram apenas 6,1% de reajuste na última rodada de negociação ocorrida no dia 05 de setembro. A categoria possui acordo anual, que venceu no último dia 31 de agosto.

O Sindicato ainda considera o índice rebaixado e insatisfatório diante dos lucros dos bancos e dos baixos salários pagos à categoria.  (O imparcial)

REIVINDICAÇÕES
As principais reivindicações dos Bancários são:

>Reajuste decente de 22%;
>Avanços nas demais pautas, como: PLR de 25% do lucro líquido distribuídos de forma linear;
>Piso do Dieese (R$ 2.860,21)
>Reposição das perdas salariais;
>Isonomia;
>Contratação de mais bancários;
>Saúde;
>Respeito a jornada de trabalho e 6h;
>Segurança;
>Respeito à Lei das Filas


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Confirmado: bancários retornam ao trabalhar hoje

Agora é confirmado, o Sindicato dos Bancários do Maranhão confirmou que houve a decisão de encerrar a greve, logo após a assembleia realizada na noite de ontem segunda-feira (17). 

As informações passada pelo sindicato, que no acordo a categoria aceitou os 9% da proposta oferecida pela Federação Nacional dos Bancos, com isso decidiram suspender por definitivo a greve dos bancários que teve iniciada no dia 27 de Setembro. 

O cálculo das verbas salariais, incluindo o vale-alimentação e o tíquete-refeição. Já os valores serão retroativos os do inicio de setembro.

As agências irão atender aos clientes normalmente na manhã desta terça-feira (18). Porém, apenas o Banco da Amazônia e o Banco do Nordeste permaneceram em greve.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Blog

Bancários fazem acordo e greve é encerrada

A Federação Nacional de Bancos (Fenaban) e os representantes do Comando Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) chegaram na noite desta sexta-feira (14) a um acordo para encerrar a greve dos bancários, que teve início no dia 27 de setembro.

Segundo Carlos Cordeiro, presidente da Contraf e coordenador do Comando Nacional dos Bancários, a Fenaban apresentou proposta de 9% de reajuste sobre salários, retroativos a 1º de setembro, e 12% de reajuste no piso da categoria, que passa de R$ 1.250 para R$ 1.400 para a função de escriturário.

Também houve avanço na discussão sobre a Participação nos Lucros e Resultados (PLR). A partir de agora, cada trabalhador poderá receber até 2,2 salários mais R$ 2.800 por ano (contra 2,2 salários mais R$ 2.400).

“Para a gente é um resultado positivo porque o grande debate, o principal entrave, era em relação ao reajuste. Agora teremos 1,5% de aumento real”, disse Cordeiro. A proposta anterior da Fenaban era de aumento de 8%, o que resultaria num ganho real de 0,56%.

Em relação ao piso da categoria, o aumento real foi de 4,3%, segundo o presidente da Contraf. Será o oitavo ano consecutivo que os trabalhadores do setor terão aumento real.

“Este foi um processo de negociação bastante longo, mas que finalmente levou a um acordo entre as partes, construído na mesa de negociação”, disse, em nota, o diretor de Relações do Trabalho da Fenaban, Magnus Apostólico.

Os dias de paralisação não serão descontados e serão compensados até o dia 15 de dezembro, segundo a Contraf. Como em anos anteriores, eventual saldo após esse período será anistiado.

Do G1


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Bancários farão greve amanhã

Insatisfeitos com a proposta de reajuste salarial apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), bancários de todos o país pretendem iniciar uma greve na próxima terça-feira (27). A categoria quer reajuste de 12,8%, mas a última proposta da Fenaban, apresentada na sexta-feira (23), foi reajuste de 8%, com um ganho real de 0,56%. A proposta anterior, que também foi rejeitada pelos bancários, era de 7,8%.

Em reunião realizada hoje, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) rejeitou a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste salarial para a categoria. Esta é a quinta rodada de negociações e até agora o entendimento entre as partes não avançou.

O presidente da Contraf, Carlos Cordeiro, disse que, com a rejeição, a categoria deve iniciar uma greve na próxima terça-feira. Os sindicatos devem se reunir com os trabalhadores na segunda-feira para a deliberação.

“As alterações feitas pela Fenaban acabaram frustrando nossas expectativas”, disse o presidente da Contraf”, Carlos Cordeiro. Segundo ele, os pisos pagos pelos bancos no Brasil chegam a ser menores do que na Argentina. “Por que o Brasil tem que ter um piso inferior ao da América Latina se a maior parte do lucro dos bancos vem daqui?”, questionou.

(Com AE e Agência Brasil)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.