Poder

Aluno abre fogo em escola e deixa mortos e feridos em Goiânia, diz PM

Do G1

Um tiroteio ocorreu no início da tarde desta sexta-feira (20) no Colégio Goyases, escola particular de ensino infantil e fundamental, em Goiânia. De acordo com o Corpo de Bombeiros e com a Polícia Militar, dois estudantes morreram e outros quatro ficaram feridos na unidade, localizada no Conjunto Riviera, bairro de classe média.

O tiroteio ocorreu por volta do meio-dia. O suspeito pelos disparos é um adolescente, estudante do 8º ano do colégio, que está apreendido. Ele é filho de militares, segundo confirmou ao G1 o coronel da Polícia Militar Anésio Barbosa da Cruz. “Informações preliminares dão conta que ele estaria sofrendo bullying, se revoltou contra isso, pegou a arma em casa e efetuou os disparos”, disse.

Um estudante de 15 anos, que estava na sala no momento do tiroteio, também contou que o adolescente era vítima de chacotas.

“Ele sofria bullying, o pessoal chamava ele de fedorento pois não usa desodorante. No intervalo da aula, ele sacou a arma da mochila e começou a atirar. Ele não escolheu alvo. Aí todo mundo saiu correndo”, relatou.

Os baleados foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros. Segundo o órgão, um dos feridos foi atendido pelo Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer) da Polícia Militar e levado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Outros quatro, segundo a corporação, foram levados a unidades de saúde por terceiros.

O Instituto Médico Legal (IML) informou que, até as 13h, os corpos dos dois estudantes não tinham sido identificados e seguiam na escola.

O suspeito pelos tiros foi levado à sede da Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai) e, em seguida, encaminhado para o IML para os exames de corpo de delito. Posteriormente, deve retornar à delegacia.

O Corpo de Bombeiros relatou ainda que uma mulher ligou no 193, se identificando como professora, e disse que uma pessoa invadiu a escola e fez diversos disparos.

Pânico

O Colégio Goyases tem turmas do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, com crianças e adolescentes de idades entre 6 e 15 anos.

A coordenadora da unidade escolar afirmou que toda a equipe está “consternada” e que a administração da escola não irá se manifestar por enquanto.

Outra estudante, que estava dentro do colégio no momento do tiroteio disse, emocionada, o que aconteceu. “Ele saiu dando tiro em todo mundo da sala. Eu segurei na mão da minha amiga e fui até a polícia. Não sabia o que fazer”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Empresários que causaram prejuízo de R$ 23 milhões no MA são presos em Goiás

Concurso-da-Policia-Civil-1

A Polícia Civil do Maranhão por meio da Superintendência Estadual de Combate a Corrupção (SECCOR) em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e o Ministério Público do Maranhão, deflagrou na manhã desta quinta-feira (25), a operação “Paraíso Fiscal”, na cidade de Goiânia (GO). Para dar cumprimento à mandados de buscas e apreensões no estado e, em Aparecida de Goiânia. Até o momento foram presos Nelton Carrijo Junior e a contadora, Thaisa Moura.

Durante a ação constituíram também mandados de prisão em desfavor de empresários e contadores que haviam traçado um esquema criminoso para lesar os cofres públicos do Maranhão, com sonegação fiscal. Isso acontecia mediante a utilização de empresas fantasmas do estado do Pará, Piauí e Bahia, que simulavam a venda de soja para empresas também fantasiosas com endereços no Maranhão.

Dessa forma eles conseguiam gerar créditos tributários inexistentes e, por sua vez de forma indevida era equilibrado em vendas da produção de milho, com transações comerciais que ultrapassavam mais de R$ 200 milhões e, com prejuízo de mais de R$ 23 milhões para o estado do Maranhão, em impostos que deixaram de ser recolhidos.

Somente nessa manhã centenas de documentos já foram apreendidos nas residências onde os mandados estão sendo cumpridos, além das empresas e escritórios de contabilidade no estado de Goiás.

A ação segue em andamento para a conclusão das ordens, com apoio da Polícia Civil de Goiás através da delegacia da Ordem Tributária.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.