Crime

Presos suspeitos de ‘executar’ sargento da PM em São Luís

Corpo do Sargento Gilmar na pedra do Socorrão II.

Corpo do Sargento Gilmar na pedra do Socorrão II.

O Serviço de Inteligência da Polícia Militar prendeu ainda na noite da última terça-feira (15), duas pessoas suspeitas de envolvimento no homicídio que vitimou o 3º sargento da PM, Gilmar Santana Cruz de Azevedo, 52 anos, lotado no 1º BPM.

O crime aconteceu quando o policial se deslocava para sua residência no coletivo que fazia linha Jardim Tropical/Terminal São Cristóvão. No momento do crime, o PM estava apaisana e carregando uma sacola com a farda e a arma. Nenhum objeto e nem arma do militar foram subtraídos.

De acordo com informações policiais, o militar estava no interior do ônibus no momento em que alvejado com dois tiros, disparados por um dos homens que estavam em uma motocicleta, de cor preta, e que aguardava o ônibus parar e cometer o homicídio. O sargento Gilmar Santana ainda foi socorrido, mas veio a óbito no Socorrão II.

Após o crime, as equipes do Serviço de Inteligência deram início às diligências para identificar e prender os suspeitos. Segundo informações policiais, cinco pessoas estariam envolvidas na morte do PM. A Polícia afirmou ainda que os suspeitos são integrantes do grupo do “sub-zero”, que vem cometendo ações criminosas naquela região.

Estão detidos, Jackson Dutra Ataíde, morador do bairro São José; Carlos Jorge Rabelo Frazão, conhecido como “Jorginho”, ambos de 21 anos; e Pedro Ricardo Sousa, 18 anos. De acordo com o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), durante a perseguição, Paulo Henrique Rabelo Frazão, conhecido como “pé-de-bola”, irmão de Jorginho, armado com um revólver calibre 38 de marca Taurus, atirou em direção à guarnição e acabou sendo atingido no confronto. Ele ainda foi levado para o Socorrão II, mas não resistiu.

Em poder do trio, a polícia ainda apreendeu 140 trouxinhas de crack. A arma e o entorpecente foram encaminhados para o Instituto de Criminalística do Maranhão (Icrim) para serem periciados.

As Polícias Civil e Militar estão em diligências para identificar outros dois suspeitos que fazem parte do bando e que empreenderam fuga no momento da ação policial.

Em relação à motivação do crime, nenhuma linha de investigação foi descartada. Segundo a Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), o inquérito está sob a responsabilidade do delegado Roberval Rodrigues, titular do 19º Distrito Policial no Jardim Tropical.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Sargento da PM é executado com tiros em ônibus

Sargento da PM, Gilmar Santana Cruz de Azevedo.

Sargento da PM, Gilmar Santana Cruz de Azevedo.

Foi executado ontem por volta de 22h00, com um tiro no olho, dentro de um ônibus que faz linha para o Jardim Tropical, o sargento da PM, Gilmar Santana Cruz de Azevedo.

De acordo com informações da Policia, o sargento estava voltando do trabalho, sem farda, com destino a sua casa no Jardim Tropical.

Após o expediente o sargento passou no Sacavém na casa da sua mãe como de costume, jantava, tirava a farda e seguia para casa.

Durante a trama, dois homens em uma moto encostaram o veiculo ao lado do coletivo e efetuaram a  “queima roupa” pela janela, dois tiros no rosto do PM.
O crime se caracteriza execução, os bandidos fugiram sem levar nada, nem mesmo a arma que estava em sua bolsa.

A polícia acredita que o policial tenha sido vítima de vingança de algum elemento que tenha prendido na área. O sargento Gilmar era lotado no 1º Batalhão da Polícia Militar e estava desde 1984 na corporação.

Até a manhã de hoje, familiares não tinham contado pra mãe do sargento, com medo que a senhora passasse mal, pois ela é hipertensa.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.