Poder

Gaeco investiga repasses feitos para cunhada da primeira-dama de Duque Bacelar

A administração pública municipal de Duque Bacelar, comandada pelo prefeito Flávio Furtado, está na mira do Ministério Público Estadual. A Prefeitura do referido município, empresas e a cunhada da primeira-dama, Iarlly Rebelo Torres, estão envolvidas em diversas operações financeiras atípicas, segundo documentos obtidos pelo Blog do Neto Ferreira.

No decorrer das investigações, o Ministério Público, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Coelho Neto, constatou que Iarlly recebeu a quantia de R$ 1.412.387,00 (hum milhão, quatrocentos e doze mil, trezentos e oitenta e sete reais), proveniente de diversos cheques emitidos pela Prefeitura de Duque Bacelar, entre novembro de 2010 e novembro de 2011.

Diante das constatações, o Ministério Público requereu, com urgência, a ação do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) e do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF). Pediu também a quebra de sigilo bancário da envolvida.

Iarlly, que é casada com um irmão da primeira-dama de Duque Bacelar,  é lotada no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) do município.

1

2


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Organização criminosa desviou R$ 15 milhões em Anajatuba, diz PF

Delegado da Polícia Federal Ronildo Lages (Foto: Reprodução / TV Mirante)

Delegado da Polícia Federal Ronildo Lages
(Foto: Reprodução / TV Mirante)

O delegado da Polícia Federal Ronildo Lages e o promotor Marco Aurélio Castro confirmaram, em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (20), que os desvios de verbas da organização criminosa desarticulada pela Operação Attalea, que prendeu o prefeito Helder Aragão (PMDB) e outros sete envolvidos, chegam a R$ 15 milhões somente em Anajatuba, Maranhão.

Do montante, R$ 8 milhões são referentes a verbas federais e, R$ 7 milhões, a verbas estaduais. A PF aponta as empresas A4 Entretenimento; Construtota Construir; M.R. Comércio e Serviços; e Vieira e Bezerra LTDA, dos empresários Fabiano de Carvalho Bezerra e Antônio José Fernando Júnior Bastista Vieira, como parte do núcleo empresarial do esquema. O núcleo político é formado pelo prefeito, secretários e servidores municipais.

Estão confirmadas as prisões do prefeito Helder Aragão; do vereador e secretário municipal de Administração, Edmilson dos Santos Dutra; da integrante da Comissão Permanente de Licitação (CPL), Matilde Sodré Coqueiro; do empresário Antônio José Fernando Júnior Batista Vieira; do empresário Fabiano de Carvalho Bezerra; e da ex-esposa dele Natascha Alves Lesch. (Do G1MA)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Polícia deve abrir inquérito para investigar agiotagem em Anajatuba

Afastado por corrupção, Hélder Aragão será investigado por elo com agiotagem.

Afastado por corrupção, Hélder Aragão será investigado por elo com agiotagem.

O superintendente Estadual de Investigações Criminais (Seic), delegado André Gossain, informou que há indícios de agiotagem na Prefeitura de Anajatuba. O relato do delegado foi baseado em provas obtidas durante busca e apensão realizada na casa de empresários, secretários e do prefeito afastado Hélder Aragão (PMDB).

Superintendente Estadual de Investigações Criminais (Seic), delegado André Gossain.

Superintendente Estadual de Investigações Criminais (Seic), delegado André Gossain.

De acordo com os documentos apreendidos, foram encontrados cheques na casa de um assessor da prefeitura. “A eventual indício de agiotagem. Tanto que cheques foram apreendido, então provavelmente estamos aguardando a perícia bem como o Ministério Público que talvez a questão da agiotagem seja tratado separado da questão de corrupção“, diz o superintendente da Seic.

A Polícia Civil trabalha na hipótese de abrir novo inquérito para investigar especificamente a agiotagem, da qual teria tentáculos de figuras bem relacionados no estado. O ex-presidente da Assembleia Legislativa, Antônio Carlos Braide, pai do deputado estadual Eduardo Braide, foi apontado em depoimento prestado na Polícia Federal como um dos agiota.

A operação realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público, com apoio dos policias da Seic começou na sexta-feria (09). Durante as buscas seis computadores e várias pastas com processos de licitação e documentos contábeis. Toda documentação passa por perícia.

Os policias cumpriram mandados de busca e apensão no apartamento de Hélder Aragão, que fica em um condomínio de Luxo na Península. Ao todo, a operação cumpriu 11 mandados de busca e apensão em São Luís e Anajatuba.

Entenda o caso

O Tribunal de Justiça do Maranhão decidiu acatar o pedido do Ministério Público, que pede o afastamento e bloqueio de bens do prefeito da cidade de Anajatuba, Hélder Lopes Aragão (PMDB) pelo motivo de improbidade administrativa.

A decisão, que determina o afastamento do chefe do Executivo, foi assinada na manhã desta sexta-feira (09), pelo desembargador Tyrone José Silva, da 3ª Câmara Criminal, que assumiu a relatório do caso após toda 1ª Câmara Criminal, composta pelos magistrados Raimundo Nonato Magalhães Melo, Antonio Fernando Bayma Araujo e João Santana, optar pela suspensão.

Os promotores investigaram contratos do Município de Anajatuba com as empresas A4 Entretenimento, M.R. Comércio e Serviços, Vieira e Bezerra LTDA, Construtora Construir, dentre outras que puderam ser identificadas no curso da investigação.

Ao realizar diligências, o Ministério Público constatou que as empresas existiam somente no papel. Algumas estavam fechadas ou indicavam endereços residenciais de pessoas que não conheciam o proprietário da empresa. Outras empresas vencedoras das licitações funcionavam sem qualquer estrutura.

Para aprofundar as investigações, o Ministério Público pediu e o Tribunal de Justiça deferiu medidas cautelares que possibilitaram o oferecimento da ação penal, com provas concretas dos fatos.

Segundo a denúncia, o “núcleo empresarial” do esquema operava por meio de empresas de fachada, com sócios-laranjas que participavam de licitações previamente acertadas com a administração municipal. O dinheiro era dividido entre os chefes da organização e os agentes públicos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Justiça deve afastar prefeito de Anajatuba por desviar milhões

Helder Aragão, prefeito de Anajatuba

Helder Aragão, prefeito de Anajatuba

A justiça deve acatar o pedido da promotor Carlos Augusto Soares, que entrou com 3 Ação Civil Pública pedindo o afastamento do cargo do prefeito do município de Anajatuba, Helder Lopes Aragão, por ato de improbidade administrativa, enriquecimento ilícito e afastamento liminar.

Foram também acionados quatro secretários municipais, integrantes da Comissão Permanente de Licitação (CPL), empresários, “sócios-laranjas” e operadores de um esquema criminoso que desviou cerca de R$ 14 milhões dos cofres públicos de Anajatuba, decorrentes de fraudes em licitações ou dispensas e inexigibilidades ilegais.

As ações – quatro no total -, além de pedirem o afastamento do prefeito, requerem também a perda do cargo, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, o ressarcimento integral do dano, a suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos, pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial e a proibição de contratar com o Poder Público, pelo prazo de até dez anos, contra outros envolvidos.

Nesta situação encontram-se os secretários municipais Edinilson dos Santos Dutra (Administração e Finanças), Álida Maria Mendes Santos Sousa (Educação), Leonardo Mendes Aragão (Assistência Social), Luís Fernando Costa Aragão (Saúde) e os membros da CPL de Anajatuba, João Costa Filho, Georgiana Ribeiro Machado e Francisco Marcone Freire Machado.

Francisco Diony Soares da Silva e Antonio Carlos Muniz Cantanhede, respectivamente, ex-controlador-geral e ex-procurador-geral do município, também foram processados pelos mesmos fatos. Contra eles foi requerida a condenação nas mesmas sanções, exceto a perda do cargo, por já não se encontrarem mais no exercício das funções que ocupavam em Anajatuba.

INVESTIGAÇÃO

Segundo o promotor de justiça Carlos Augusto Soares, titular da Promotoria de Anajatuba, as ações são fruto de uma investigação realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do MPMA, em conjunto com a Polícia Federal, Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas da União. “Foi uma investigação aprofundada, extensa e bem coordenada, na qual foram realizadas quebras de sigilo fiscal, telefônico e bancário dos investigados, com autorização judicial, mecanismos esses que permitiram a constatação inequívoca do envolvimento de todos os requeridos nos ilícitos apontados”, revelou o promotor.

Para o membro do Ministério Público, a participação de todos os envolvidos no esquema criminoso é irrefutável. “Eles são responsáveis pela assinatura de contratos, oriundos de fraudes em licitações ou dispensas e inexigibilidades ilegais, na importância de R$ 13.914,048,02, contratos esses firmados entre a Prefeitura de Anajatuba e as empresas de fachada A-4, Vieira & Bezerra, Construtora Construir e M A Silva Ribeiro”, relatou o promotor de justiça nas ações civis.

OUTROS DEMANDADOS

Foram demandados ainda os vereadores Marcelo Santos Bogea e Domingos Albino Beserra Sampaio; como empresário de fachada, Fabiano de Carvalho Bezerra; como financiadores do esquema criminoso e Hilton José Paiva os Reis, além dos “sócios-laranjas” e os operadores do esquema Glauco Mesquita de Oliveira, José Antonio Machado de Brito Filho, Anilson Araújo Rodrigues, Ginaldo Marques da Silva, Franklin Bey Freitas Ferreira, Marcelo Alexandre Silva Ribeiro, José de Ribamar Costa Moura, Matilde Sodré Coqueiro, Natascha Alves Lesch, Diego Fabrício Silva Barbosa e Maina Maciel Mendonça.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bomba! Políticos e empresários podem ser presos por formação de quadrilha no MA

Uma relação de pessoas conhecidas do mundo político e empresarial do Maranhão aguarda a liberação das pulseiras e até tornozeleiras solicitadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Estado.

Conforme a lista que chegou ao conhecimento do Blog do Neto Ferreira, tem um ex-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, que hoje vive como lobista e de assessorias de um parente próximo de deputado estadual. Também aparece um deputado federal, que atua no ramo de cerveja.

Além dos dois acima citados, tem uma rede de outras pessoas que tiveram o pedido de prisão solicitado, mas um desembargador se deu por impedido. Eles são acusados de formação de quadrilha por fraudar licitações de contratos de aquisição de materiais e eventos.

O prefeito da cidade de Anajatuba consta na relação, que será divulgada nas próximas horas pelo blog. Aguardem!


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bomba! Maioria dos cheques encontrados com agiota Pacovan são da Prefeitura de Santa Inês

Prefeito Ribamar Alves será investigado na agiotagem.

Prefeito Ribamar Alves será investigado na agiotagem.

O prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves (PSB), não mediu esforços para tentar eleger a primeira dama Luana Alves à deputada federal. Ele fez de tudo, inclusive usou vários cheques da prefeitura que estavam sob posse de um agiota. Segundo documentos obtidos com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira.

Esses cheques foram encontrados pela Polícia Civil e Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), durante as operações “Maharaja” e “Morta-Viva”, desencadeadas no último dia 4 de maio, e que investiga crimes de agiotagem no Maranhão. Foi uma grande quantidade de folhas que estavam no cofre do agiota Josival Cavalcanti, o Pacovan.

Para se ter ideia, foi tanto cheque que dava até para fazer um talão. Os responsáveis pelas operações, a Policia Civil e os promotores de Justiça do Gaeco, tomaram um verdadeiro susto.

E o pior é que Ribamar Alves nem conseguiu eleger a mulher.

O Blog vai revelar, em uma outra postagem, a quantidade de cheques e a imagem de todos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Prefeitura de Nova Olinda operou com empresa atrelada a corrupção

Prefeito Delmar Sobrinho.

Prefeito Delmar Sobrinho.

O Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão, devem investigar rigorosa a Prefeitura de Nova Olinda, administrada por Delmar Sobrinho.

A gestão de Sobrinho contratou com a Construtora Construir Ltda., para a realizar serviços de manutenção preventiva e corretiva do sistema de iluminação pública. O enoresa faturou R$ 187.606,00 (cento e oitenta e sete mil, seiscentos e seis reais).

A mesma empresa é investigada pela Polícia Federal e Ministério Público Federal por participar de uma organização criminosa (ORCRIM), que desviou recursos discorres públicos.

A Construtora Construir faturou R$ 1,4 milhão da Prefeitura de Anajatuba, em 2013, para reforma de escola e obras em estradas vicinais. A empresa foi registrada em uma casa de fachada.

Na Superintendência da Polícia Federal em São Luís, consta um depoimento revelando a atuação de Fabiano Bezerra como chefe da Construir. Fabiano teve a casa vasculhada na semana passada por agentes federais na Operação Geist (fantasma em alemão).

A testemunha disse também que o esquema das empresas é prestar serviços e fornecer produtos superfaturados a diversas prefeituras e que todas as notas dessas empresas são frias.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.