Política

Fernando Fialho coloca advogado para comandar DEM no Maranhão

Augusto Serra, advogado

Augusto Serra, advogado

O blog publicou ontem a saída Clóvis Fecury da presidência do Democratas no Maranhão, em uma articulação do ex-secretário de Desenvolvimento Social do governo Roseana Sarney, Fernando Fialho e do deputado federal de Juscelino Filho (PRP).

Fernando Fialho, que passou a deter o comando da legenda no estado elegeu o advogado Augusto Herbert Lima Serra como novo presidente do DEM no Maranhão.

O ex-secretário já foi investigado por diversas irregularidades, a exemplo dos diversos convênios celebrados com entidades, para viabilizar a campanha do genro, Juscelino Filho, em diversos municípios do Maranhão.

Juscelino inclusive pode ser cassado por corrupção e desesperado tentou de apropriar de diversos partidos para evitar danos a seu mandato, o que justifica a articulação política de ambos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Fernando Fialho também pode enfrentar CPI na Assembleia

Fernando Fialho

Fernando Fialho

Baseado em documentos comprobatórios que podem resultar até em cadeia, deputados estudam pedir a criação de uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que pode estremecer um outro secretário do governo Roseana Sarney.

Trata-se de Fernando Fialho, ex-secretário de Desenvolvimento Social do Maranhão, que pode ter cometido atos nada republicanos, a exemplo dos diversos convênios celebrados com entidades, para viabilizar a campanha do genro, Juscelino Filho, em diversos municípios do Maranhão. Juscelino inclusive pode ser cassado por corrupção e desesperado tenta de apropriar de diversos partidos para evitar danos a seu mandato.

Por sua vez, Fernando Fialho coleciona muitos atos que dariam uma belíssima investigação, como aquelas dos seriados americanos. Apesar da ficção se misturar com realidade vez ou outra, os destinos podem tomar rumos diferentes. A começar pela junção de provas que configurem a veracidade de informações levantadas para uma possível condenação.

Primeiro, não se some com dinheiro do nada. Em 2013 R$ 5 milhões que deveriam ter sido investidos no melhoramento de vias no município de Raposa desapareceram como em um passe de mágica. Uma auditoria constatou irregularidades na celebração de convênios firmados entre uma empresa fantasma, que levava o nome da avó de Roseana, com o governo do estado. O caso foi denunciado, mas acabou engavetado.

O espetáculo foi parar em rede nacional. E que vergonha o então secretário passou ao tentar explicar o inexplicável. Fialho foi um dos principais envolvidos nos mais de 105 convênios firmados entre sua secretaria e o governo, para executar obras que nunca saíram do papel.

Em 2012, Mais de R$ 3 milhões foram “investidos” na promessa de que poços artesianos seriam construídos em comunidades, assim como o melhoramento de vias, desta vez entre com o “Clube de Mães Nossa Senhora das Graças”, que nada tem em comum com a atividade de obras. Na época a diretora afirmou que nunca viu a cor do dinheiro.

E não parou por aí, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes) foi um prato cheio para as lambanças de Fernando Fialho. Contratos com a SONOTEC (Sociedade Norte Técnica de Construções Ltda.) e a I.M. Construções e Serviços somaram R$ 1,2 milhão e tinham a mesma finalidade: execução de serviços de conclusão de obras de implantação do sistema de abastecimento de água no município de São Luís.

Aliando bons resultados e um gosto peculiar por contratos, Fernando Fialho ainda carrega nas costas uma denúncia no valor de R$ 270 mil, em uma parceria assinada com uma ONG na cidade de Humberto de Campos, para construir dois banheiros.
Depois de tudo isso o artista ainda foi articulado para assumir o Ministério dos Portos em 2014. Agora imaginem: o que não se faz por terra… Faz-se por água.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Fernando Fialho é novamente denunciado na Assembleia

Secretário Fernando Fialho.

Secretário Fernando Fialho.

Os deputados de oposição usaram a tribuna para levar o conhecimento da sociedade uma nova denúncia contra o secretário de Desenvolvimento Social do Estado (Sedes), Fernando Fialho, na Assembleia Legislativa.

A nova denúncia trata-se de um novo convênio que seria de R$ 270 mil para construir dois banheiros em povoado de Humberto de Campos, com uma ONG.

“O Governo do Estado se manifesta dizendo que não são dois banheiros, são 57, entretanto no povoado tem apenas 30 casas e os banheiros não foram feitos, o que é ainda mais grave.

O que dá o indicativo de que boa parte dos recursos conveniados, especialmente com a Secretaria de Desenvolvimento Social, foram para o ralo, o ralo da corrupção, da má aplicação dos recursos públicos, ou quem sabe irrigar os caixas eleitorais”, garantiu.

As denúncias contra Fialho foram relatadas até mesmo pelo prefeito Chico Gomes, de Viana, que atesta que no município dele não aconteceram as obras.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Empresa usada no esquema Fernando Fialho é encontrada após denúncia do blog

Deputados encontraram uma escola comunitária no lugar do Clube de Mães, durante a vistoria

Deputados encontraram uma escola comunitária no lugar do Clube de Mães, durante a vistoria

Após denúncia veiculada no Blog do Neto Ferreira com o titulo “Bomba! O “esquema” Fernando Fialho no governo do clã Sarney”, os deputados estaduais Rubens Pereira Jr (PCdoB), Othelino Neto (PPS), Bira do Pindaré (PT) e Marcelo Tavares (PSB) identificaram os convênios suspeitos, firmados pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes), que tem como titular Fernando Fialho. Desta vez, o “Clube de Mães Nossa Senhora das Graças”, na Ilhinha, que, na Verdade, trata-se de uma escola comunitária, constou como conveniado para execução de obras de poços artesianos e melhoramento de acessos, no valor de R$ 3.012.825,50 (mais de três milhões de reais), que teriam sido realizadas em comunidades de São Luís.

Os parlamentares vão denunciar mais esse caso à Assembleia Legislativa, ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). Os deputados estranharam o fato de uma escola comunitária da Ilhinha firmar convênios para construção de poços e melhoramento de acesso em comunidades de São Luís, já que esses não são objetos de uma instituição educacional.

A vistoria, solicitada pela Comissão de Administração Pública, Seguridade Social e Relações de Trabalho, presidida por Othelino Neto, fez, na manhã desta quinta-feira (20), uma busca pelo endereço do “Clube de Mães Nossa Senhora das Graças”, na Ilhinha. Os parlamentares encontraram na Rua 09, na verdade, uma escola comunitária, dirigida por Lúcia dos Santos, que confirmou a existência dos convênios, admitiu que a instituição foi usada para o desvio de finalidade, porém negou que qualquer parte desses recursos tenha ficado com a entidade.

“Representantes do governo do Estado disseram para a gente que algumas comunidades de São Luís estavam precisando de poços artesianos e de melhoramento de acesso, aí nós assinamos o convênio para ajudar, só para ajudar. Mas esses R$ 3 milhões não passaram por nós”, tentou explicar a diretora Lúcia dos Santos em meio a palavras desencontradas.

Os convênios com a escola comunitária ou creche foram firmados no dia 04 de julho de 2012 e têm como objetos “Projeto de Sistema Simplificado de Abastecimento D´Água e rede de Distribuição”, no valor de R$ 2.392.257,43, e “Melhoramento de caminho de acesso”, no valor de R$ 620.568,07. Os dois totalizam R$ 3.012.825,50 (mais de três milhões de reais).

Durante a visita à sede do “Clube de Mães Nossa Senhora das Graças”, e ao ser questionada a diretora sobre o paradeiro dos R$ 3 milhões à creche. Diante das respostas, percebe-se que a entidade teria sido usada como laranja por pessoas ligadas ao Governo do Estado para desvio de verba pública.

Os deputados foram, ainda, à sede da empresa Sornotec, localizada na estrada que dá acesso ao Araçagy e que recebeu o valor dos convênios para a execução das obras. Mas lá, não encontraram ninguém. Segundo os parlamentares, essa construtora é sempre escolhida nos convênios firmados entre a Sedes e as associações beneficiadas. Há a suspeita de que por ela já tenham passado, pelo menos, algo em torno de R$ 15 milhões.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bomba! O “esquema” Fernando Fialho no governo do clã Sarney

Apontado como um dos maiores escândalos no governo do clã Sarney, onde o coadjuvante do filme da máfia italiano chama-se, o engenheiro Fernando Fialho, secretário de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar.

Ex-diretor da Antaqui e apadrinhado político de José Sarney, Fialho passa por maus momentos após o estouro da bomba de efeito retardante afetar sua honra, integridade e dignidade perante a sociedade maranhense.

O elo de associações com a pasta que deveria combater a pobreza no Maranhão é, sem sombra de dúvidas, o iceberg que deverá desmoronar diante os contratos das empresas SONOTEC (Sociedade Norte Técnica de Construções Ltda.) e a I.M. Construções e Serviços, sendo a última de propriedade de Zé Augusto.

Em nome de possível laranja, a empresa Sonotec que tem à frente um assessor da Assembleia Legislativa do Maranhão, Arcelino Brito, irmão da diretora de comunicação da Assembleia Dulci Brito, conhecido como coronel, é apontado como o maior beneficiado em termo de contratos com associações.

Além do contrato com a Vera Macieira – entidade citada como fantasma pelos deputados – o Clube das Mães Nossa Senhora das Graças também firmou contrato com as empresas SONOTEC, I.M. e RJ Construcoes e Serviços Ltda., com dispensa de licitação.

Publicado no Diário Oficial do dia (28) de maio, os contratos nitidamente direcionados as empresas envolvidas no escândalo de possível desvio de R$ 4,9 milhões, somam mais de R$ 1,2 milhão e tem a mesma finalidade: execução de serviços de conclusão de obras de implantação do sistema de abastecimento de água no município de São Luís.

Neste recente contrato abocanhado pela SONOTEC, I.M e RJ Construções da qual foram assinados todos no mesmo dia 21 de março, a primeira aparece levando R$ 443 mil do convênio celebrado entre a Secretaria de Fernando Fialho e a entidade. A segunda também abocanha R$ 447 mil e a ultima R$ 444 mil. A equipe de reportagem tentou contato com o secretário do governo Roseana Sarney, mas não obteve êxito.

Segundo apurou o Blog do Neto Ferreira, há uma associação que teve um convênio celebrado por meio de influência política do deputado estadual Stênio Rezende, que tem um parente casado com a filha de Fernando Fialho. Mas isso é assunto para uma próxima publicação.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Fernando Fialho será imprensado na Assembleia Legislativa

Depois das graves denúncias da bancada oposicionista a respeito do convênio fantasma firmado entre o governo estadual e o grupo Vera Macieira, os parlamentares de oposição tiveram recentemente acesso ao documento original do convênio que, a priori, melhoraria os acessos ao município da Raposa, Maranhão.

Desde que os deputados de oposição iniciaram as apurações e denúncias, o secretário de estado do Desenvolvimento Social, Fernando Fialho, emitiu duas notas oficiais que até agora confirmaram todas as acusações feitas pela bancada oposicionista.

“O secretário insiste em dizer que houve erro de digitação na publicação do lugar das obras e que o convênio é para vários municípios. Agora que estamos com o convênio em mãos, comprovamos que não houve nenhum erro. No convênio original, rubricado e assinado por Fialho, consta que as obras são destinadas ao município da Raposa”, denunciou o líder da oposição Rubens Jr.

Com isso, Fialho será imprensado nas paredes na Assembleia Legislativa.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

A máscara de Fernando Fialho vai caindo‏

O moralista Fernando Fialho e a patroa Roseana Sarney.

O moralista Fernando Fialho e a patroa Roseana Sarney.

Esse clã Sarney é tão cômico que chega ser uma piada. Os peemedebistas quando na situação de oposicionistas, eram elogiados, aplaudidos, classificados como corretos, justos e de boa índole, a exemplo da governadora do Maranhão, Roseana Sarney.

Transvestidos da moralidade ao defender a bandeira do combate a corrupção em prol dos pobres e oprimidos, desta vez tiveram um lapso de memória quando trata-se do apadrinhado político de Sarney e secretário de estado do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Fernando Fialho, que celebrou convênio de R$ 4,9 milhões com a Associação Vera Macieira da qual possivelmente não usou as cifras corretamente.

O escândalo envolvendo Fialho é tão grande que foram constatadas inúmeras irregularidades cadastrais, a exemplo do CNPJ divergente e dos endereços inexistentes da sede do grupo conveniado.

Durante a verificação denominada “caça fantasma” coordenada pelos deputados Rubens Júnior (PCdoB) e Marcelo Tavares (PSB), foi confirmado a inexistência do povoado Trechos, nome que consta no extrato do convênio firmado pelo estado que na verdade nunca existiu.

“Fomos à Raposa e não encontramos nenhum povoado com este nome, nenhuma obra de melhoria de acesso e muito menos o endereço do grupo Vera Macieira descrito no extrato”, disse o líder da oposição.

No prédio Sousa Center, onde teria uma sala comercial da associação, está fechada sem móveis.

Mas tudo isto é, ao que parece, a ponta do iceberg que deve retirar a máscara de Fernando Fialho – titulado como “o bom samaritano”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Tremei, clã Sarney! Esquema no convênio de R$ 4,9 milhões é comprovado

Foi constatado, in loco, no município da Raposa, na tarde desta quarta-feira (05), a inexistência de obras de melhorias no acesso ao povoado “Trechos”, localidade desconhecida pelos moradores, pelos Correios e que não foi encontrada pelos deputados de oposição durante a vistoria.

O convênio, no valor de R$ 4,9 milhões, foi firmado entre o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes), e o “Grupo de Ação Social Vera Macieira”, que não existe em todos os endereços informados e vistoriados pela Comissão.

Após constatarem a inexistência da associação conveniada e da localidade beneficiada e a não realização das obras, os deputados decidiram que convocarão o secretário estadual de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Fernando Fialho, para explicar o caso na Assembleia Legislativa do Maranhão. Outra providência urgente será pedir a suspensão do restante do convênio junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e ingressar com representação no Ministério Público.

Em documento consta que a Associação Vera Macieira seria registrada na Rua do Cacau do bairro Pirâmide. Porém, não foram encontrados nem sinais da associação. E mais: os moradores garantiram desconhecer a existência dessa entidade, nunca ouviram falar no povoado “Trechos” e, muito menos, em obras de melhoramento de acesso naquelas proximidades.

Segundo o motorista Robson da Nóbrega, um dos supostos terrenos que
pertenceria à associação foi vendido por ele há dez anos para uma pessoa chamada Lurdes, que havia informado intenção de construir no local uma entidade social, mas que nunca iniciou obra nenhuma. O espaço foi apenas murado e só acumula mato e lixo.

Othelino Neto (PPS/MD), Rubens Júnior (PCdoB) e Marcelo Tavares (PSB) foram também ao prédio Sousa Center, na Beira-mar, e encontraram a sala 106, que seria outra sede da inexistente associação, fechada, desabitada e sem móveis. Comerciantes que trabalham no local também nunca nem ouviram falar da “Associação Vera Macieira”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Governo levará projetos de Ribamar para o Maranhão

Ações exitosas desenvolvidas pela Prefeitura de São José de Ribamar, nas gestões Luis Fernando Silva e Gil Cutrim, servirão de modelo para a atuação da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes) no interior do Maranhão.

Fialho, acompanhado por Gil e Luis Fernando, conversa com agricultores familiares ribamarenses.

Fialho, acompanhado por Gil e Luis Fernando, conversa com agricultores familiares ribamarenses.

A informação foi confirmada pelo secretário Fernando Fialho, responsável pelo projeto de Combate à Extrema Pobreza no Maranhão, que visitou, em duas oportunidades (no dia 27 do mês passado e na última terça-feira, dia 08), o município. Ele conheceu o funcionamento da Cozinha Escola Municipal; da Escola Municipal Liceu Ribamarense; da Fábrica de Beneficiamento de Pescados e Mariscos e do Centro Municipal de Aprendizagem Rural – projetos implantados pela Prefeitura e que tornaram São José de Ribamar referência nos setores da educação pública de qualidade, produção de alimentos, geração de trabalho e renda e combate as desigualdades sociais – além dos pólos agrícolas de Itapari e Panaquatira.

Na oportunidade, técnicos da Sedes captaram imagens do funcionamento dos projetos, assim como do trabalho dos agricultores familiares, que serão utilizadas na elaboração de um vídeo institucional que será exibido durante a peregrinação que Fialho pretende promover, nas próximas semanas, pelos municípios maranhenses.

“O objetivo é levar a experiência exitosa de Ribamar para as cidades do interior. Estimular os gestores e a sociedade civil organizada mostrando que, através de políticas públicas que promovam a distribuição da renda e a geração de trabalho, é possível mudar a realidade dos municípios mais pobres”, afirmou Fialho, que visitou os projetos acompanhado por Luis Fernando e Gil Cutrim.

O Liceu Ribamarense (primeira escola pública em tempo integral de Ribamar e do Maranhão, construída e mantida com recursos próprios da Prefeitura), a Cozinha Escola (oferece, gratuitamente, cursos profissionalizantes na área da gastronomia, além de funcionar como um restaurante popular oferecendo, também de forma gratuita, 200 refeições diárias para famílias carentes) e a Fábrica de Beneficiamento (nela, pescadores e marisqueiras, fazendo uso de equipamentos modernos, realizam todas as etapas de beneficiamento do seu produto, além de serem incentivados a comercializá-los diretamente com o consumidor final) foram implantadas por Luis Fernando, durante os seus seis anos de mandato como prefeito de Ribamar.

Já o Centro Municipal foi inaugurado na gestão Gil Cutrim.  Localizado no pólo agrícola de Bom Jardim, o Centro oferece, gratuitamente, cursos de capacitação para jovens residentes na zona rural da cidade, garantindo o início da profissionalização dos alunos das escolas municipais e estaduais localizadas no território ribamarense. É uma marca do pioneirismo da administração de São José de Ribamar, levando-se em conta tratar-se da primeira escola rural profissionalizante criada e mantida por um município no Estado do Maranhão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Fernando Fialho toma posse na Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar

Em cerimônia realizada na tarde desta quarta-feira (18), no Palácio Henrique de La Rocque (Calhau), tomou posse na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes) o engenheiro civil Fernando Fialho.

Secretário Fernando Fialho assina termo de posse.

Secretário Fernando Fialho assina termo de posse.

O ato contou com a presença do vice-governador Washington Luiz, do chefe da Casa Civil, Luis Fernando Silva, além de secretários de Estado, prefeitos, empresários e lideranças comunitárias.

Ao tomar posse, o secretário Fernando Fialho destacou a importância do Estado no esforço de reduzir a pobreza extrema, uma das atribuições da secretaria. Tenho grande satisfação de integrar a equipe da governadora Roseana Sarney, pois sei da tamanha responsabilidade de buscar reduzir a pobreza extrema. Vamos otimizar todos os recursos do Governo Federal para que possamos acelerar esse processo no estado. Tenho certeza que conseguiremos, afirmou o secretário Fernando Fialho.

Para o vice-governador Washington Luiz, a presença de Fernando Fialho no governo trará mais qualidade aos projetos e políticas públicas voltadas a melhorar a vida dos maranhenses. Trata-se de um grande especialista, que fez um excelente trabalho no Governo Federal e que agora vem ajudar o Governo do Estado, declarou o vice-governador.

O secretário Fernando Fialho é formado em Engenharia Civil, pela Universidade Estadual do Maranhão (Uema); possui MBA Gestão Empresarial, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/ISAN-MA). Já exerceu os cargos de diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap); e gerente de Estado de Articulação e Desenvolvimento Regional de São Luís.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.