Poder

Preso em Peritoró homem que matou esposa com um tiro na cabeça em Imperatriz

A Polícia Civil do Maranhão, através da Delegacia de Homicídios de Imperatriz – SHPP/IMP, prendeu Jocélio Kerllynson Pereira Dantas, de 39 anos, pelo crime de feminícidio.

Segundo informações, a polícia deflagrou investigação para apurar as circunstâncias e a autoria da morte violenta de que foi vítima Jaine Ferreira Oliveira, de 18 anos.

A vítima foi encontrada morta, sentada em uma cadeira na cozinha da própria casa, com uma lesão por disparo de arma de fogo na cabeça, na manhã de ontem (19).

Ao receber a notícia, investigadores chegaram ao local dos fatos quando, além da vítima, encontraram uma criança com três anos de idade, dormindo em um dos quartos.

Testemunhas relataram que na noite anterior ouviram um disparo de arma de fogo, antecedido por discussão, agressões físicas e choro da vítima e da criança. Por volta das 06h, o companheiro da vítima, Jocélio telefonou para familiares de Jane contando que a vítima teria cometido suicídio e que a filha estava sozinha na casa.

Após o telefonema, o autor do crime abandonou seu automóvel e fugiu da cidade utilizando transportes alternativos (van).

O carro de Jocélio foi localizado próximo à BR-010 e apreendido, tendo sido encontrado em seu interior, sob o banco do motorista, a arma de fogo usada no crime.

Diligências foram realizadas, com base em informações e apoio de outras equipes, tais como SENARC/IMPERATRIZ, Delegacia Regional de Bacabal, Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal de Peritoró/MA, e foi possível montar uma barreira policial e realizar a prisão do suspeito no interior de uma VAN, em Peritoró.

A prisão preventiva foi decretada pelo juízo do Plantão Judicial ainda na noite de ontem.

A Delegacia de Policia Civil de Peritoró, prestou apoio para a formalização do cumprimento do mandado de prisão. Jocélio será recambiado para Imperatriz nos próximos dias, onde permanecerá custodiado à disposição da Justiça, na Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Casos de feminicídio aumentaram no Maranhão

Dados do Departamento de Feminicídio do Maranhão revelam que ocorreram 25 mortes de mulheres em 2015. Em 2016 o número subiu para 28 mortes; e em 2017 foram registradas 47 mortes de mulheres no Maranhão.

O levantamento aponta que os números de assassinatos de mulheres no maranhão são um dos mais altos do país. Segundo a Delegada do Departamento de Feminicídio, Viviane Azambuja, a maior causa da violência é o inconformismo do homem com o fim do relacionamento.

“Infelizmente são histórias que se repetem. São histórias de machismo exacerbado, onde a mulher é tida como se fosse um objeto. O homem é aquele ser dominante que não aceita o término de um relacionamento. A maioria dos casos é a pessoa não se conformar em ter perdido aquele objeto”, declarou.

Desde novembro de 2017, vítimas da violência contam com um plantão 24 horas na Casa da Mulher Brasileira, em São Luís, para incentivar as mulheres a denunciar o agressor.

Após a instalação do plantão, a Delegacia da Mulher registrou um aumento de pedidos de medida protetiva de 200 para 300 pedidos por mês. De acordo com a delegada da Delegacia da Mulher, Wanda Moura, a medida protetiva acontece de forma rápida.

“No mesmo dia em que esse pedido é feito na Delegacia é encaminhado ao poder judiciário. Também com celeridade o judiciário está deferindo essas medidas, que é uma forma de proteger essa mulher de manter esse agressor distante dela”, afirmou Wanda.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Homem que matou a ex-esposa a facadas é preso em São Luís

João Batista dos Santos, acusado de matar a ex-mulher.

Nesta segunda-feira (20), a Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa da SHPP, por meio do Departamento de Feminicídio, prendeu João Batista dos Santos, no bairro Nova República, zona rural de São Luís.

Ele é acusado de matar a ex-mulher Domingas Ladyelle Maciel, técnica em enfermagem, a facadas no dia 16 dentro da própria casa, no bairro Coroadinho.

Segundo a polícia, o assassino não aceitava o fim do casamento de 18 anos. Eles estavam separados há 3 meses.

João Batista trabalhava como porteiro da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Itaqui-Bacanga.

Domingas Ladyelle Maciel, morta a facada pelo ex-marido João Batista.

O criminoso foi encaminhado para a sede da Superintendência de Homicídio, onde será autuado pelo crime de feminicídio. Em seguida, ele será recambiado para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde ficará à disposição da Justiça.

Em São Luís, esse é o 31º caso de feminicídio só este ano.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Polícia descarta envolvimento de mãe no assassinato de Alanna Ludmila

A polícia descartou o envolvimento da mãe de Allana Ludmilla, Jaciane Borges, do assassinato da menina. Segundo a delegada que investiga o caso, Viviane Azambuja, também ainda existe a investigação da possibilidade de mais uma pessoa ter participado do crime.

“O que a gente já descartou foi a participação da mãe. Ela não teve participação alguma nesse crime. Ainda estamos investigando a participação de um terceiro ou não”, declarou a delegada.

A polícia ainda estuda a possibilidade de fazer uma reconstituição do crime. Contudo, para a delegada Viviane o forte esquema necessário poderia inviabilizar os trabalhos. “Não está definido data, mas se for realmente ter com certeza nós vamos contar com um forte esquema de segurança”, afirmou.

Ainda não há previsão para a entrega dos laudos periciais porque o local do crime foi alterado, o que dificultou o trabalho dos peritos. Só após o resultado do laudo a polícia terá mais certeza sobre tudo o que aconteceu. De acordo com o superintendente de perícia criminal do Instituto Médico Legal (IML) , Miguel Alves, existem procedimentos que precisam ser realizados para a conclusão dos laudos, o que faz com que o resultado demore um pouco.

“Nós temos uma série de exames que estão sendo realizados a partir de amostras coletadas tanto no local do crime, quanto no cadáver. Cada amostra dessa requer um tempo diferenciado para exame. Então nós teremos o laudo emitidos em tempos diferentes. Acredito que até o final da semana já teremos uma série grande de laudos produzidos, mas estaremos dando continuidade a finalização e encaminhamento de outros laudos no decorrer do tempo”, afirmou.

O ex-padastro da criança, Robert Serejo, estava foragido até o dia 04 de novembro, quando foi preso depois de embarcar em uma van, na BR-135. Ele foi ao ser reconhecido por dois policiais militares que estavam por acaso no veículo . Jurandir Burgos, sargento da reserva, conta que Robert pediu parada na BR-135 e que logo foi reconhecido quando entrou no na van.

“Quando ele adentrou eu pensei: ‘é o cara que matou a menina!’. Aí eu comuniquei o César e disse para ele: ‘César, o rapaz que matou a menina’. Ele me perguntou: ‘Você tem certeza’. Eu respondi: ‘absoluta’. Eu esperei ele sentar e pensei ‘vamos abordar’, mas César sugeriu abordar perto da barreira da Estiva”, descreveu.

Segundo o segundo policial que estava no veículo, sargento César Roberto, a voz de prisão só foi dada em Pedrinhas por medida de segurança. “Como tinha várias mulheres dentro do microônibus, eu achei melhor fazer uma abordagem segura perto da barreira da Estiva”, declarou o policial.

G1,MA


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.