Crime

Presos em operação da PF foram assessores do deputado Eduardo Braide

Oito pessoas foram presas durante ação deflagrada na manhã desta terça-feira (20) pela Polícia Federal (PF) em São Luís e Anajatuba. A operação Attalea, que conta com o apoio do Ministério Público Federal, Estadual e a Controladoria Geral da União, desmantelou uma organização criminosa responsável por desviar milhões de prefeituras.

Dentre os presos estão dois ex-assessores do deputado estadual Eduardo Braide (PMN), além do prefeito afastado Hélder Aragão (PMDB). Os acusados de integrar o esquema são Fabiano de Carvalho Bezerra (proprietário de fato da empresa A4) e José Antônio Machado de Brito filho, o Zé Filho.

Zé Filho montava em seu escritório que fica no bairro do Cohatrac varias licitações fraudulentas. As prefeituras apontadas em depoimento como sendo coniventes são as de Anajatuba, Trizidela do Vale (Fred Maia), Tuntum (Cleomar Tema), Itapecuru Mirim (Magno Amorim), Codó (Zito Rolim), Alcântara (Domingos Araken), Parnarama (Dr. Davi), Mirinzal (Amaury Santos Almeida), entre outras.

Os ex-assessores de Eduardo Braide foram presos por saquear recursos públicos federais do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), por meio da contratação de “empresas de fachada”.

Abaixo o depoimento confirmando a participação dos ex-funcionários do parlamentar que é líder do maior bloco da Assembleia Legislativa.

Depoimento na PF.

Depoimento na PF.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Dinheiro de corrupção pertencia a Helder Aragão

Prefeito de Anajatuba, Helder Aragão

Prefeito de Anajatuba, Helder Aragão

Apesar de retornar ao cargo no último dia 25 de agosto, por uma decisão judicial do desembargador Luiz Gonzaga Almeida Filho, que concluiu não haver provas suficientes para manter Helder Aragão afastado do cargo, as investigações sobre o envolvimento do prefeito no esquema de corrupção em Anajatuba dizem totalmente o contrário.

Entre as diversas páginas do documento obtido com exclusividade pelo blog do Neto Ferreira, Helder Aragão figura a maior parte. São grampos, conversas telefônicas e documentos encontrados com o nome do prefeito que evidenciam sua participação junto aos demais envolvidos: o empresário Fabiano Bezerra e o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado e pai do deputado estadual Eduardo Braide, Carlos Braide.

Em uma leitura mais recente foi constatado que Fabiano Bezerra trocava mensagens pelo aplicativo de mensagens instantâneas, WhatsApp, com Natascha, pessoa que ele usava como laranja para fazer depósitos e outras transações bancárias. Em uma das conversas a moça cobrou o empresário por débitos em seu nome que estavam gerando restrições e então ele revela que os R$ 20 mil que estavam depositados na conta dela pertencem a Helder Aragão, não a ele.

Fabiano Bezerra ainda revelou sua preocupação em ser morto, devido ao andamento das investigações e disse a Natascha que pretendia gastar R$ 100 mil com habeas corpus.

No inicio da conversa a moça ainda questiona se o empresário negará ao Ministério Público que trabalhava com a empresa M A Silva Ribeiro, e o mesmo afirma que sim, que as empresas não estão em seu nome e que se não negar ele se compromete.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Bomba! Interceptação revela participação de ex-presidente da Assembleia em corrupção

Três dos principais envolvidos no esquema de Anajatuba - Helder Aragão, Fabiano Bezerra e Carlos Braide

Três dos principais envolvidos no esquema de Anajatuba – Helder Aragão, Fabiano Bezerra e Carlos Braide

O blog do Neto Ferreira teve acesso com exclusividade a documentos que revelam declarações feitas pelo empresário Fabiano Bezerra, apontado como articulador do esquema de Anajatuba, a partir de uma interceptação telefônica autorizada pela justiça, um dia após ser exibida matéria no Fantástico, no quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui?”, que denunciou o forte esquema de corrupção no município.

Mais de R$ 14 milhões foram desviados por um grupo de políticos e empresários, que envolvem o prefeito Helder Aragão, o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Carlos Braide, o empresário Fabiano Bezerra, entre outros.

Na gravação, Fabiano deixa claro que vai procurar o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), para contar tudo que sabe: “[…] Eu vou lá e vou falar tudo. Tudo que eu sei, tudo que aconteceu […]”, diz o empresário ameaçando revelar todo o esquema, com os nomes de quem ganhou dinheiro e de quem não ganhou.

Em outra escuta, o ex-presidente da Assembleia, Carlos Braide, que é pai do deputado estadual Eduardo Braide, demonstra estar bastante preocupado com a reação de Fabiano Bezerra em fazer as revelações e cita o nome do prefeito de Anajatuba, Helder Aragão: “[…] Sim depois que Fabiano Souber ‘Negão’… Aí Helder […]”, momentos antes de a ligação cair. Durante o grampo ainda é citado o Jornal Pequeno, com quem os envolvidos fariam uma possível negociação.

Os grampos telefônicos disseminam a proximidade entre os investigados e levantam suspeitas para uma investigação mais apurada em torno do envolvimento de ambos no esquema de desvio de verbas. Helder Aragão, que estava afastado a 12 dias da prefeitura de Anajatuba, retornou ao cargo ontem (26), após decisão do desembargador Luiz Gonzaga Almeida Filho, que entendeu não haver provas suficientes para manter o prefeito afastado do cargo.

Fabiano Bezerra ameça falar tudo que sabe ao GAECO

Fabiano Bezerra ameça falar tudo que sabe ao GAECO

Carlos Braide demonstra preocupação com as revelações que Fabiano pode fazer

Carlos Braide demonstra preocupação com as revelações que Fabiano pode fazer


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.