Poder

Emserh prevê gastar R$ 9,2 milhões em medicamentos

CasaAlugada

A Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares – Emserh, órgão ligado ao governo Flávio Dino, continua celebrando contratos milionários.

No dia 4 de agosto, a Emserh firmou dois acordos com as empresas Laboratório Cristália, localizada em Itapira, interior de São Paulo, e a Distribuidora de Medicamentos Hospitalares e Odontológico.

Os contratos preveem o fornecimento de medicamentos via parenteral (frasco-ampola) grupo 2 para as unidades de saúde administradas pela Empresa do governo.

De acordo com o Diário Oficial do Maranhão, o Laboratório Cristália, que tem como donos Ogari de Catro Pacheco, Luiz Stevanatto Neto, Andréa Stevanatto, Kátia Stevanatto Sampaio, Ricardo Santos Pacheco, Renata Pacheco Carvalho Santos, Rogério Santos Pacheco, OCP Participações Ltda, JMS Participações Ltda e Irís Scussel Stevanatto, faturou o acordo contratual com o valor maior, R$ 7.819.727,80 (Sete milhões, oitocentos e dezenove mil, setecentos e vinte e sete reais e oitenta centavos).

E a Distribuidora de Medicamentos, ficou com o contrato orçado em R$ 1.400.000,00 (Um milhão e quatrocentos mil reais).

O Blog do Neto Ferreira fez uma pesquisa em sites de cadastros de empresas acerca da Distribuidora, mas não encontrou quaisquer informações, como por exemplo o CNPJ. A própria Emserh também não divulgou o cadastro da empresa.

Os contratos tem validade de 12 meses e, se somados, chegam a R$ 9.219.727,80 milhões.

emserh

emserh1

emserh2


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Empresas de Recife e São Paulo ganham contrato de R$ 8,5 milhões na Emserh

CasaAlugada

As empresas Oncoexo Distribuidora, Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos e a Jassen-Cilag Farmacêutica ganharam um contrato milionário no Governo Flávio Dino (PCdoB).

As distribuidoras ficarão responsável pelo fornecimento de medicamentos oncológicos injetáveis para atender a demanda do Hospital do Câncer, Dr. Tarquínio Lopes Filho, que é administrado pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares – EMSERH.

O valor total que será repassado às empresas é R$ 8.501.537,88 milhões, que foi dividido da seguinte forma:

A Oncoexo, localizada em Recife e tem como proprietários Geraldo Vieira de Melo Júnior e Dilson Cavalcanti Vieira de Melo, vai lucrar R$ 549.467,64 (Quinhentos e quarenta e nove mil, quatrocentos e sessenta e sete reais e sessenta e quatro centavos).

Já a Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos, que tem sede em São Paulo e pertence à Rolf Erik Honger, Fabrice Henri Goisset e Marcos Emílio Dehollain Lorenzana,ficou com uma parcela maior e o montante é de R$ 4.956.870,24 (Quatro milhões, novecentos e cinquenta e seis mil, oitocentos e setenta reais e vinte e quatro centavos).

E ao Janssen-Cilag, situada em São Paulo e que tem como proprietários Johnson&Johnson Industrial Ltda, Johnson&Johnson do Brasil Indústria e Comércio de Produtos para Saúde Ltda, ambas administrada por Gustavo Daniel Sala, Felipe Chiattone Alves, Ronaldo Galvão, Gustavo Daniel Sala, José Rodolfo Ochoa Gonzalez, Bruno Rodrigues de Andrade Costa Gabriel e Sérgio Henrique Abe da Cruz, vai lucrar R$ 2.995.200,00 (Dois milhões, novecentos e noventa e cinco mil e duzentos reais)

A vigência do contrato milionário é de 12 meses.

emserh

emserh1

emserh2

emserh3

emserh4

emserh5

emserh6


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Investigado em São Paulo, Instituto acumula contratos de R$ 313 milhões na Emserh

medico

Em março de 2017, a entidade gestora IB Instituto Biosaúde, localizada em Mogi das Cruzes e de propriedade de Nilberto Lainetti, interior de São Paulo, foi contratada pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), órgão ligado ao Governo Flávio Dino (PCdoB), para gerir unidades de saúde estaduais pelo período de 12 meses.

O valor do contrato inicial é de R$ 264.027.361,68 milhões.

Já no início do mês de julho, a Empresa Maranhense celebrou o primeiro Termo Aditivo sobre o acordo contratual no valor de R$ 24.719.568,20 milhões com validade de 120 dias. Ou seja, há acúmulo de contratos milionários por parte da Entidade.

Nessa mesma publicação, que foi oficialmente divulgada no Diário Oficial do Maranhão, a EMSERH reajustou o valor mensal repassado ao Instituto Biosaúde de R$ 22.002.280,14 milhões para R$ 28.182.172,19 milhões, o que implica na mudança do valor global de R$ 264.027.361,68 milhões para R$ 288.746.929,88 milhões, o que equivale ao acréscimo de aproximadamente 9,5%.

Se somados o termo aditivo e o contrato inicial reajustado, o montante que será pago ao Instituto é de R$ 313.466.498,08 milhões.

Contrato firmado entre o Instituto Biosaúde e a EMSERH

Investigado

editalfantasma

Em abril, o Blog do Neto Ferreira publicou a matéria Emserh contrata Instituto investigado em São Paulo, onde explica como se deu o processo licitatório, no qual a Entidade sagrou-se a vencedora do certame.

Na publicação, o Blog ressaltou que o Biosaúde é investigado na Justiça de São Paulo, mais precisamente na cidade de Ubatuba, por irregularidades no contrato de gestão de serviços de saúde celebrado entre o Município e a empresa Bio-Saúde.

Os órgãos fiscalizadores terão que averiguar o contrato firmado entre o Instituto Biosaúde e a Emserh, afinal os valores são exorbitantes e o governo Flávio Dino já tem sido alvo de diversas investigações por causa de entidades acusadas de desvios de dinheiro público.

emserh

emserh7

emserh9

emserh8


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Emserh vai gastar R$ 4,8 milhões em medicamentos oncológicos

CasaAlugada

A Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares – Emserh, presidida por Ianik Rafaela Lima Leal, continua celebrando contratos milionários mesmo com a crise financeira que assola o país.

Segundo o Diário Oficial, a empresa pública contratou a Uni Hospitalar, que possui sede em Recife (PE), e a Mundifarma Distribuidora, que fica localizada em Juiz de Fora (MG) pelo valor exorbitante de R$ 4.812.492,96 milhões.

O acordo contratual prevê o fornecimento de medicamentos oncológicos orais, necessários na assistência prestada pelo Hospital do Câncer do Maranhão, Dr. Tarquínio Lopes Filho, administrado pela Emserh.

Para executar o serviço, a Uni Hospitalar, que pertence á Pedro Ferreira da Silva Filho e Christian Mendes Oliveira Tavares, vai receber R$ 4.750.682,40 (quatro milhões setecentos e cinquenta mil, seiscentos e oitenta e dois reais e quarenta centavos).

Já a Mundifarma, de propriedade de Pedro Ricardo de Melo e Lucinda Arruda de Melo, vai faturar apenas R$ 61.810,56 (sessenta e um mil oitocentos e dez reais e cinquenta e seis centavos).

O contrato foi assinado em 30 de junho e tem validade de 12 meses.

emserh1

emserh2

emserh3

emserh4

emserh5


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Emserh firma mais um contrato de R$ 3,4 milhões para compra de algodão e materiais médicos

CasaAlugada

Mais uma vez,o governo Flávio Dino gastará milhões com a compra de algodão e outros materiais de consumo médico hospitalar para os hospitais do Estado.

O contrato milionário foi firmado entre a Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares – Emserh e a J.J.R Viana Eireli, localizada em São Luís e de propriedade de Joaquim José Ribeiro Viana, no dia 5 de junho e tem vigência de 12 meses.

Os materiais hospitalares custarão ao governo do Estado R$ 3.493.136,80 milhões. Mas essa não é primeira aquisição milionária feita pela Emserh.

No dia 19 de junho, o Blog do Neto Ferreira publicou uma matéria sobre a compra de algodão e materiais de consumo médico hospitalar, que custaram R$ 6.899.390,40 milhões. (relembre)

Veja a tabela de preços abaixo:

emserh1

emserh2

emserh3


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Medicamentos vão custar R$ 47 milhões no governo Flávio Dino

CasaAlugada

R$ 47.043.173,06 (quarenta e sete milhões quarenta e três mil cento e setenta e três reais e seis centavos). É o que a Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares – Emserh vai gastar com medicamentos via parenteral (frasco-ampola) grupo 2, necessários na assistência prestada pelas Unidades de Saúde do estado.

O contrato milionário foi dividido para várias empresas, de acordo com o Diário Oficial do Maranhão.

A Mundifarma Distribuidora de Produtos Farmacêuticos e Hospitalares, localizada em Juiz de Fora, Minas Gerais, e de propriedade de Pedro Ricardo de Melo e Lucinda Arruda de Melo, vai faturar com o acordo R$ 6.216.001,35 (seis milhão duzentos e dezesseis mil um real e trinta e cinco centavos).

Já a Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos, situada em Itapira, em São Paulo, deve lucrar cerca de R$ 7.819.727,80 (sete milhões oitocentos e dezenove mil setecentos e vinte e sete reais e oitenta centavos).

Pertencente à Rafael Vieira de Moura e Thiago Matos de Moura, a Distribuidora de Medicamentos Hospitalares e Oncológicos, de Fortaleza, Ceará, vai embolsar o montante de R$ 1.400.000,00 (um milhão e quatrocentos mil reais).

A Imperialmed Comércio de Produtos Hospitalares, de propriedade de Francisco José Santos Jacob e Fátima Regina Santos Jacob e localizada no Rio de Janeiro, vai lucrar R$ 899.760,96 (oitocentos e noventa e nove mil setecentos e sessenta reais e noventa e seis centavos) com o contrato.

De Anapólis, em Goiás, a NovaFarma Indústria Farmacêutica ganhou uma generosa fatia do acordo firmado com a Emserh, o valor gira em torno de R$ 5.091.806,07 (cinco milhões noventa e um mil oitocentos e seis reais e sete centavos).

Já a Costa Camargo Comércio de Produtos Hospitalares, localizada em Vila Velha, no Espírito Santo e de propriedade de Felippe David Mello Fontana e Ariana Mello Fontana, ficou apenas com a parte mais barata do contrato, R$ 192.899,00 (cento e noventa e dois mil oitocentos e noventa e nove reais)

E o valor mais alto que a Emserh vai vai pagar é R$ 16.344.979,20 (dezesseis milhões trezentos e quarenta e quatro mil novecentos e setenta e nove reais e vinte centavos). Que será destinado para a empresa Novartis Biociencias S/A, que fica em Tabão da Serra, em São Paulo.

A Comercial Valfarma, que fica em Fortaleza e é pertencente à Ricardo Lira Pimentel e Paula Francinete Macedo Marques Pimentel, ficou com o valor de R$ 3.914.124,71 (três milhões novecentos e catorze mil cento e vinte e quatro reais e setenta e um centavos).

Situada em Teresina, Piauí, a MedFarma Comércio de Medicamento, Luís Sebastião de Carvalho Júnior, vai faturar R$ 5.163.873,97 (cinco milhões cento e sessenta e três mil oitocentos e setenta e três reais e noventa e sete centavos) no governo do Maranhão.

Veja o contrato:

emserh4

emserh5

emserh6

emserh7

emserh8

emserh9

emserh10

emserh11

emserh12

emserh13

emserh14

emserh15

emserh16

emserh17

emserh18

emserh19

emserh21

emserh20


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Empresa de Paço do Lumiar ganha contrato de R$ 7,3 milhões no governo Flávio Dino

CasaAlugada

A empresa Maranhense de Serviços Hospitalares – Emserh, órgão ligado ao governo Flávio Dino, contratou a Vértice Construções e Terraplanagem, localizada em Paço do Lumiar, por cifras milionárias.

De acordo com o Diário Oficial, a empreiteira, de propriedade de Apolinário Rodrigues dos Santos e Apolinário Rodrigues dos Santos Filho, deverá prestar serviços continuados de manutenção predial, preventiva e corretiva nas unidades de saúde de Caxias e Timon.

O valor que será pago pela Emserh é de nada menos do que R$ 7.324.412,77 milhões.

O contrato tem validade de 12 meses.

EMSERH

emserh1

emserh2


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Governo Flávio Dino gastará R$ 10,4 milhões em medicamentos oncológicos

CasaAlugada

R$ 10.460.240,07 milhões. Esse é o valor exato que a Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), órgão ligado ao governo Flávio Dino (PCdoB), vai pagar para 5 empresas diferentes.

Os contratos firmados preveem o fornecimento de medicamentos oncológicos injetáveis, necessários na assistência prestada pelo Hospital do Câncer do Maranhão Dr. Tarquínio Lopes Filho.

As empresas contratadas foram a Conquista Distribuidora, localizada em Camboriú, Santa Catarina; United Medical, que fica em São Paulo; Uni Hospitalar, situada em Fortaleza; a Jorge Batista e CIA, localizada em Teresina; e a Mercúrio, situada em São Luís. Os valores que serão recebidos por elas são diferentes.

De acordo com o Diário Oficial, a Conquista Distribuidora, de propriedade de Geraldo Ribeiro Franco e Maria da Conceição Franco, ganhou um contrato de R$ 154.297,44 (Cento e cinquenta e quatro mil, duzentos e noventa e sete reais e quarenta e quatro centavos).

E para a United Medical, que pertence ao Grupo Biotoscana SL, a Cláudio Coracini, Perbal S.R.L, Luciana Pietro Lorenzo Ryan, Marcus Alexander Steffen, a Emserh pagará nada menos do que R$ 3.270.240,00 (Três milhões, duzentos e setenta mil e duzentos e quarenta reais).

A Uni Hospitalar, de propriedade de Pedro Ferreira da Silva Filho e Christian Mendes Oliveira Tavares, ficou com o contrato de R$ 50.349,60 (Cinquenta mil, trezentos e quarenta e nove reais e sessenta centavos).

A Empresa Maranhense vai desembolsar R$ 75.492,00 (Setenta e cinco mil, quatrocentos e noventa e dois reais) para pagar a empresa Jorge Batista e CIA.

E a empresa de São Luís, Mércurio, de propriedade de Patrícia Vasconcelos Ribeiro e Paulo Braid Ribeiro, ficou com a maior parte do “bolo” e deve faturar R$ 6.909.861,03 (Seis milhões, novecentos e nove mil, oitocentos e sessenta e um reais e três centavos).

emserh6

emserh7

emserh8

emserh9

emserh10

emserh11

emserh12

emserh13

emserh14

emserh15


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Empresa do Rio de Janeiro ganha contrato de R$ 6,8 milhões no governo Flávio Dino

CasaAlugada

A Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), órgão ligado ao governo Flávio Dino, continua gastando uma fortuna em contratos mesmo com a crise financeira “batendo à porta” do Estado.

Segundo o Diário Oficial, a Emserh firmou um contrato de R$ 6.899.390,40 milhões com empresa Torres Valporto Comércio e Distribuição de Produtos Médicos, que fica localizada no Rio de Janeiro.

De propriedade de Renato Luis de Torres e Ana Paula de Torres, a empresa de materiais hospitalares deverá fornecer material de consumo médico hospitalar, entre eles algodão.

De acordo com a Ata de Preço, a compressa para campo operatório irá custar aos cofres do Estado cerca de R$ 2.392.416,00 milhões. Já para pagar o algodão, a Emserh terá que desembolsar o montante de R$ 1.179.360,00 milhão.

É necessário que os órgãos competentes apurem os contratos firmados pela Emserh, afinal são acordos que valem cifras milionárias e os hospitais estaduais são alvos frequentes de denúncias, pois o descaso se instalou nos locais.

emserh

emserh1

emserh2

emserh4

emserh5


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Construtora abocanha contrato de R$ 65 milhões para reformas em hospitais do Estado

CasaAlugada

Em meio a crise que assola o país, o governo Flávio Dino parece não se importar com a recessão, afinal vem gastando milhões em contratos.

Na última segunda-feira (5), a Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), órgão ligado à gestão estadual, publicou no Diário Oficial do Maranhão um acordo contratual de R$ 65.466.791,56 (Sessenta e cinco milhões, quatrocentos e sessenta e seis mil, setecentos e noventa e um reais e cinquenta e seis centavos).

O valor exorbitante é para pagar a empresa Meso Engenharia Ltda (MDL Engenharia), de propriedade de Rilma Maria de Oliveira Ribeiro e Daniel Silva de Sousa, que ficará responsável em fazer manutenção predial, preventiva e corretiva das unidades de saúde do Estado.

Somente para executar o serviços nas unidades de saúde da regional da Grande São Luís, que engloba as cidades de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e São Luís, a empreiteira, que fica localizada no Calhau, na capital maranhense, vai lucrar cerca de R$ 30.437.463,99 (Trinta milhões, quatrocentos e trinta e sete mil, quatrocentos e sessenta e três reais e noventa e nove centavos).

Os valores que serão pagos pela Emserh para manutenção de hospitais de cada regional podem ser visto abaixo.

A vigência do contrato é de 12 meses.

emserh

emserh1

emserh2

emserh3


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.