Maranhão

Se o futuro do país depende da educação, Marajá do Sena está fora do mapa

Caco Barcellos durante gravação do Profissão Repórter em Marajá do Sena

Caco Barcellos durante gravação do Profissão Repórter em Marajá do Sena

A educação no Brasil nunca foi sinônimo de orgulho e se depender da atuação dos gestores que prezam pela má qualidade do ensino e situações precárias de locomoção pelas quais os estudantes passam, tão cedo será. O país ocupa a 53ª posição no ranking de educação, entre os 65 países, segundo O Programme for International Student Assessment (Pisa).

Além do alto índice de analfabetismo, o Brasil enfrenta problemas com a merenda escolar e o transporte dos alunos, que deveriam ser itens indispensáveis da gestão pública para zelar pela educação das crianças, que são o futuro do país.

Ontem (11), o Profissão Repórter destacou mais uma vez as mazelas sobre as quais os estudantes de Marajá do Sena, no Maranhão, passam diariamente. Não há investimentos por parte da administração e a renda mensal por habitante no município é assustadora – R$ 96 reais, segundo o Atlas do Desenvolvimento Humano. Índice que torna a cidade uma das mais pobres do país.

Para chegar até a escola mais próxima as crianças são transportadas em um pau de arara, transporte que não é considerado seguro e é proibido por lei. No meio do trajeto, um trator precisa desatolar o veículo, devido às péssimas condições da estrada. Quando chove é impossível chegar.

O prefeito da cidade, Edvan Costa (PMN), foi preso em maio deste ano suspeito de crime de agiotagem. A prisão foi efetivada durante as operações “Morta Viva” e “Maharaja”, que foram desdobramentos do assassinato do jornalista Décio Sá, morto em 2012 na Avenida Litorânea. Na época, a polícia descobriu que o que motivou o assassinato foi uma postagem no “Blog do Décio”, referente à morte do agiota Fábio Brasil, no Piauí. Outros políticos e empresários também foram presos na ação.

O que possivelmente salvaria a instrução de alguns estudantes seria o interesse em estudar e crescer na vida, porém como muitos não tem condições de estudar em outros locais, o sonho fica muito mais distante a cada dia…


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.