Crime

Barbosa é apontado como líder da organização criminosa

dimen
O dono da Dimensão Engenharia, Antônio Barbosa Alencar, é apontado como líder de organização criminosa (ORCRIM), pela Polícia Federal, que atuava dentro da Receita Federal, com objetivo de sonegar imposto.

O empresário teria arregimentado funcionários públicos do órgão para integrar o esquema. Pois, ao ser descoberto suprimindo pagamentos de ordem tributária, pagou propina aos auditores fiscais, que prontamente aceitaram.

“Constatou-se a configuração de uma verdadeira organização criminosa (ORCRIM) comandada pelo empresário, em plena atividade, dividindo suas tarefas entre seus integrantes com objetivo de obter vantagem econômica a qualquer custo, e que para tal manteve agentes públicos no esquema criminoso e arregimentou outros também durante o período de investigação”, afirmou a Polícia Federal.

Babosa foi preso na manhã desta terça-feira (12), durante a operação Lilliput, juntamente com vários auditores fiscais.

Entre os funcionários públicos presos estão: Antônio Alves Neto, Osmir Torres Neto, Arivaldo Silva Braga, Alan Fialho Gandra, Maria das Graças Coelho Almeida, José Roosevelt Pereira Bastos Filho e Dário Jacob Bezerra.

Durante a operação, foram cumpridos 42 mandados judiciais, sendo 9 de prisão temporária, 11 de condução coercitiva e 22 de busca e apreensão.

Eles vão responder na Justiça pelos crimes de corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistema, além de crimes a ordem tributária.

IMG-20160712-WA0015

IMG-20160712-WA0016


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bomba! Polícia Federal prende Barbosa, dono da Dimensão Engenharia

dimensao-engenharia-antonio-barbosa-alencar-mirella-palacio-alencar-e1462202362685-1260x540

A Polícia Federal do Maranhão, prendeu, na manhã desta terça-feira (12), o empresário e proprietário da Dimensão Engenharia, Antonio Barbosa Alencar, e alguns auditores fiscais da Receita Federal, em São Luís.

Todos os detidos foram encaminhados para a sede da Superintendência da Polícia Federal, localizada na Cohama.

Aguardem mais informações.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder / Saúde

Dimensão Engenharia volta a estar na mira da Polícia Federal

Foto ilustrativa. Agentes Federais na porta da Dimensão Engenharia durante a operação Cartago de 2010

Foto ilustrativa. Agentes Federais na porta da Dimensão Engenharia durante a operação Cartago de 2010.

A empreiteira Dimensão Engenharia, que em agosto de 2014 foi acusada de fraudar carteira de financiamento de imóveis da Caixa Econômica Federal, na Operação Cartago, pode estar de volta na mira da Polícia Federal.

O empresário Antônio Barbosa Alencar, o Barbosa, dono da Dimensão, é apontado como um dos envolvidos em mais um suposto esquema fraudulento de desvio de dinheiro do Sistema de Saúde do Maranhão, durante a gestão de Ricardo Murad.

Também estariam participando do esquema, as construtoras Lastro Engenharia, Proenge Engenharia Ltda. e a JNS Canaã, Geotec, Guterres Engenharia, e a Ires Engenharia.

As irregularidades começaram no segundo semestre de 2009, quando o governo de Roseana Sarney lançou o programa Saúde é Vida e entregou a execução do projeto nas mãos do seu cunhado.

Murad alegou urgência para dar andamento ao programa e contratou sem licitação a empresa Proenge Engenharia Ltda. para a elaboração dos projetos básicos e executivo, no entanto foi descoberto que esse projeto já tinha sido elaborado por técnicos da própria SES. A mesma empresa venceu depois, um dos lotes da concorrência 301/2009 para construção de 64 hospitais de 20 leitos. Ou seja, a Proenge recebeu duas vezes pelo mesmo serviço, que deu no total de R$14,5 milhões.

A construção dos hospitais de 20 leitos foi dividida em seis lotes, mas três deles não entraram na licitação e foram entregues a três construtoras diferentes: Dimensão Engenharia e Construção Ltda, Lastro Engenharia, e a JNS Canaã, que receberam o montante de R$ 64 milhões de recursos.

Informações revelam que a Dimensão Engenharia injetou R$900 mil no caixa do PMDB durante a eleição estadual de 2010.

Sem falar da JNS Canaã, que é filial do grupo JNS, que teve seu ato constitutivo arquivado na Junta Comercial do Maranhão em 24 de novembro de 2009, dias antes de fechar contrato com o governo. Sozinha, a empresa recebeu R$ 9 milhões e não concluiu nenhuma obra dos 11 hospitais e teve seu contrato rescindido por Ricardo Murad, porém, antes teria doado R$ 700 mil para o partido peemedebista.

A empreiteira conseguiu dois contratos com dispensa de licitação, a reforma do Hospital Pam-Diamante, em São Luís, e a construção de hospitais de 20 leitos. Além disso, foi vencedora da licitação 302/2009 para erguer unidades de saúde com 50 leitos. Esses contratos foram aditivados e a Lastro faturou R$ 58 milhões.

Conforme levantamentos das ordens bancárias de 2010, o governo fez uma série de repasses redondos. Entre eles, está o valor de R$ 1 milhão que a Dimensão Engenharia recebeu em 19 de julho.

O Programa Saúde é Vida teria custado mais de R$ 418 milhões e teve apenas 12% do cronograma concluído e uma das empresas apontadas pelo recebimento das verbas é a Dimensão Engenharia, de Antônio Barbosa Alencar.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

PF invade apartamento de Barbosa da Dimensão; veja o vídeo

Os agentes da Polícia Federal que participaram na manhã de hoje da Operação Cartago invadiram não somente a empresa Dimensão Engenharia, mas também o apartamento do empresário Antonio Barbosa Alencar, que fica no luxuoso Condomínio Residencial Eugene Delacroix, localizado no Calhau, em São Luís.

As imagens obtidas pelo Blog do Neto Ferreira, mostra os federais na porta do condômino do mega milionário para fazer a condução dele para Superintendência da Polícia Federal. O delegado Alexandre Silva Saraiva, disse que houve o pedido a prisão de Barbosa, mas a Justiça negou.

Em decorrência da Dimensão Engenharia possuir uma correspondente imobiliária – empresa que recebia pagamento indevido de comissões -, Barbosa pode responder pelos crimes de estelionato, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, gestão fraudulenta, advocacia administrativa, sonegação fiscal entre outros.

Ao todos, 121 policiais federais dos estados do Maranhão, Brasilia, Ceara, Piaui e Minas participaram da Operação que coíbe fraudes no financiamento de imóveis da Caixa Econômica Federal (CEF).

Os agentes da Polícia Federal vasculhando documentos na Dimensão Engenharia.

Os agentes da Polícia Federal vasculhando documentos na Dimensão Engenharia.

Os agentes da Polícia Federal vasculhando documentos na Dimensão Engenharia.

Os agentes da Polícia Federal vasculhando documentos na Dimensão Engenharia.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Projeto de Lei do esquema de propinagem de Stênio Rezende

Veja a documentação do projeto corrupto de autoria do deputado estatual Stênio Rezende (PMDB), que teve um custo de R$ 1,5 milhão para os empresários do setor da construção civil.

Na época do acordo,Stênio Rezende conseguiu as 30 assinaturas ,acordo este descoberto pelo deputado Rogério Cafeteira que desmascarou o espertalhão, que com olho grande embolsou tudo sozinho.

O empresário Barbosa da Dimensão Engenharia foi um dos principais interessados no projeto

 

 

 

 

 

 

 

 


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.