Poder

Ministro da Educação vai à Câmara, repete críticas a deputados e pede demissão

Do G1, em Brasília

Depois de discutir com deputados no plenário e abandonar o recinto da Câmara em meio à sessão na tarde desta quarta-feira (18), o ministro da Educação, Cid Gomes, foi ao Palácio do Planalto e pediu demissão à presidente Dilma Rousseff, que aceitou.

O pedido ocorreu logo depois de o ministro participar na Câmara dos Deputados de sessão em que declarou que deputados “oportunistas” devem sair do governo.
“A minha declaração na Câmara, é óbvio que cria dificuldades para a base do governo. Portanto, eu não quis criar nenhum constrangimento. Pedi demissão em caráter irrevogável”, declarou o ministro.

O Palácio do Planalto informou após a demissão de Cid Gomes que o secretário-executivo da pasta, Luiz Cláudio Costa, comandará o Ministério da Educação interinamente. Costa já foi presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e foi secretário-executivo do MEC em 2014, quando a pasta era chefiada por Henrique Paim.

Do plenário, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, chegou a anunciar a demissão antes mesmo de ter sido oficializada. “Comunico à Casa o comunicado que recebi do chefe da Casa Civil [ministro Aloizio Mercadante] comunicando a demissão do ministro da Educação, Cid Gomes”, anunciou Cunha no plenário.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

'Eu também emprestaria aeronave para Sarney', diz Cid Gomes

Sarney e Cid Gomes

Sarney e Cid Gomes

O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), afirmou que já cedeu aeronaves do Estado para autoridades – a serviço ou a passeio – e não considera antiético ou abusivo o episódio envolvendo o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

‘Eu estou falando especificamente do Estado do Ceará, que tem contratos com aeronaves fretadas, e faria esse deslocamento. Eu já fiz isso. Tá certo? Eu já fiz isso. Pessoas me procuraram, autoridades e tal, e já foi feito deslocamento. Sinceramente, eu já fiz, enquanto governador’, disse Cid Gomes.

Questionado se emprestaria um helicóptero da Polícia Militar, como fez Roseana ao pai, Cid Gomes disse que evitaria, pois neste caso a aeronave é destinada a urgências e ‘poderia alegar-se’ que ‘estava sendo usada com outra finalidade’.

Em outros casos, de aeronaves fretadas pelo Estado, o governador do Ceará disse que não veria problema, mesmo que fosse a passeio, como oferecido a Sarney. ‘Que seja… que seja… Eu estou sendo franco e absolutamente sincero’, confirmou Cid, ao afirmar que, ‘dificilmente’, o papel de promotor ou de acusador se casa com sua personalidade.

(Com informações do G1)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.