Esportes

Messi conquista Bola de Ouro pela 5ª vez e Wendell Lira leva o Prêmio Puskás de 2015

 Lionel Messi e Wendell Lira

Lionel Messi e Wendell Lira

Lionel Messi pode voltar a se gabar: ele é novamente o melhor jogador do mundo – pela quinta vez na história, diga-se. Após ver Cristiano Ronaldo levar a Bola de Ouro para casa nos dois últimos anos, o argentino recuperou o trono nesta segunda-feira, após desbancar Neymar e o próprio português na escolha da Fifa, anunciada em evento de gala em Zurique. Estreante entre os finalistas, o brasileiro terminou na terceira colocação, superado pelo craque do Real Madrid.

Assim, com seus 52 gols na temporada, o camisa 10 do Barcelona aumenta a vantagem para Cristiano Ronaldo, que poderia igualar a disputa, como maior vencedor do prêmio: o argentino tem cinco troféus (2009, 2010, 2011, 2012 e 2015) contra três do português (2008, 2013 e 2014). Último vencedor antes de a dupla dominar a disputa, Kaká foi o responsável por entregar a Bola de Ouro a Lionel Messi.

Messi leva 41,33% dos votos

Outro brasileiro tinha a chance de interromper a sequência de vitórias de Messi e Cristiano Ronaldo. Neymar foi o primeiro finalista do país desde que Kaká levou o troféu para casa, mas terminou em terceiro ao receber 7,86% dos 498 votos de capitães e técnicos das seleções, além de jornalistas. Messi levou 41,33% e Cristiano Ronaldo 27,76%.

Brasileiro leva o Puskas

Só que o auge da festa brasileira foi quando o japonês Nakata anunciou a vitória do brasileiro Wendell Lira como gol mais bonito do ano, superando Messi e Alessandro Florenzi, do Roma. O lance incrível do atacante (à época jogador do Goianésia) contra o Atlético-GO ocorreu na nona rodada da primeira fase do Campeonato Goiano, no dia 11 de março e venceu a disputa após votação na internet.

Entre os técnicos, nova vitória do Barça. Após um ano em que venceu o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei, a Liga dos Campeões, a Supercopa da Europa e o Mundial de Clubes, Luis Enrique superou o argentino Jorge Sampaoli, da seleção chilena, e o compatriota Pep Guardiola, do Bayern de Munique, na disputa particular de treinadores.

Via Globoesporte.com


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.